A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

21/11/2012 08:00

Depois de 30 anos, filha encontra a mãe no Facebook

Ângela Kempfer
Jaqueline, hoje com 30 anos só conheceu a mãe agora.Jaqueline, hoje com 30 anos só conheceu a mãe agora.

A mensagem foi enviada em junho, mas só neste mês Jaqueline leu o que esperava há mais de 30 anos. A mãe biológica se revelou pelo Facebook. “Ela começou perguntando da minha mãe adotiva, dizendo que era amiga há mais de 40 anos. Então perguntei se ela conhecia minha mãe biológica e ela respondeu: ‘sua mãe de sangue sou eu”, conta a filha.

Veja Mais
Caligrafia da escola rendeu à Marystella a profissão de designer de lousas a giz
Luis ganhou o título de presidente e hoje é dono da própria cadeira no bar

Mas antes do final feliz da história, a vida de Jaqueline teve um roteiro quase dramático. A menina, nascida em Dourados, foi entregue pela mãe à amiga, que anos depois, ao se divorciar, a deixou com a avó, que passou a guarda para o pai adotivo, que levou a garota para viver com um tio, que passou a fazer “rodízio” com a menina pela casa dos irmãos.

Os “quês” só terminaram aos 9 anos. Vendo a neta adotiva sofrer a cada mudança de endereço, a avó paterna (e postiça) tomou a menina para si. A garota ganhou uma referência familiar, mas não desistiu de encontrar a mãe verdadeira, uma vontade desde os 6 anos. “Mas eu era muito pequena e só aos 16 consegui sair para procurar. Comecei pelo cartório”, lembra.

A adolescente partiu praticamente do nada. As únicas informações eram o apelido e uma indicação de endereço: "Cida de São Paulo". Os pais adotivos nunca deram nenhum detalhe sobre a negociação que definiu o futuro da menina.

Aos 18 a moça resolveu seguir sozinha, veio para Campo Grande trabalhar em uma pousada para pacientes trazidos do interior e a sobrevivência passou a ser mais importante que a busca pelo passado.

Há 3 anos a vida deu um daqueles giros que leva tudo ao mesmo lugar. Solteira, Jaqueline engravidou e teve de optar entre ver o filho crescer ou não. Escolheu a maternidade e hoje comemora os 2 anos de Artur, menino arteiro, que adora subir em uma janela.

Com as coisas mais aprumadas, emprego em uma empresa fotográfica e casa dividida com 3 amigos, só faltava uma imagem: o rosto da mãe verdadeira, pelo menos isso.

 

A filha diz que não chorou ao ver a mãe biológica. A filha diz que não chorou ao ver a mãe biológica.

Tecnologia - Cida encontrou Jaqueline graças a um filho, batalhador, que nunca desistiu de encontrar a irmã caçula. A sétima.

Feita a descoberta no Facebook, finalmente chegou o momento das duas conversarem e do abraço ser combinado.

No final de semana passado, Jaqueline viajou a Bauru, onde a mãe biológica vive. “Minha família adotiva pagou tudo e foi junto”, comenta.

Em São Paulo, conheceu primeiro o irmão de 40 anos, o responsável pelo encontro. Descobriu que a mãe voltou para buscá-la quando tinha 2 aninhos, mas a família já havia se mudado de Dourados para Campo Grande, em uma das muitas idas e vindas dos pais adotivos.

“Ela apanhava todos os dias do meu pai verdadeiro e já tinha 6 filhos. Então pediu para a minha mãe adotiva me registrar no nome dela, chegou a passar o aniversário de 1 aninho comigo e combinou de voltar todo o ano para me ver, mas a minha mãe adotiva não cumpriu nada”, diz Jaqueline.

Toda essa história foi contada por Cida, a mãe que recuperou a filha depois de 30 anos. O primeiro olhar trocado entre as duas foi pontuado com um abraço forte, mas sem choro. “Fiquei em choque, apesar de muito feliz. Não sei explicar”, comenta Jaqueline, a mulher aparentemente frágil, magrinha, com jeito de gente endurecida pelo tempo. “É que depois de tudo que a gente vive, fica com medo de que as coisa boas não durem”, argumenta.

Apesar da mãe postiça já ter morrido, a filha não duvida de nenhuma palavra dita pela mãe biológica sobre o que passou e justifica: “Ela é muito simples e fala de um jeito muito verdadeiro”.

Convidada para viver com a mãe em Bauru, Jaqueline abre o sorriso ao falar do futuro. “Vou com o meu filho para lá. Tenho de ficar perto, aproveitar minha mãe”.




Oi Jaqueline,emocionante a sua história.Eu também depois de trinta anos,consegui encontrar minha mãe e irmãos através do facebook,hoje somos amigas,mas ainda não nos encontramos,só nos falamos por telefone,Ela mora em Brasília,é uma pessoa maravilhosa,disse que agora em fevereiro vem me visitar,estou ansiosa para vê-la.Bjos
 
Roseane Beltrão Lima em 13/02/2014 08:46:54
olha jaqueline eu nao te conheço mais li a tua historia e fiquei feliz muito feliz, aconteceu algo comigo e eu deixei minha filha nas maos de uma outra pesoa ai fui a tras dela tenho ela no facebook mais eu nao sei o que aconteçe com ela ja pedi perdao ja chorei mais ela nao me perdoa. e quando li o que aconteçeu com vç eu me emoçionei muito olha muitas felicidades ta e cuide bem de tua mamae e ore para que a minha filha me perdoe bjs
 
edna de souza joaquim em 26/11/2012 18:51:08
Ao ouvir seu relato eu não pude deixar de informar isso a uma amiga jornalista e realmente a história é emocionante e muito bem relatada nessa reportagem majestosa. Parabéns a todos que se empenharam em revelar algo tão bonito.
 
Thiago Kalunga em 22/11/2012 13:07:16
Valeu Jaqueline! lembra de mim!
 
daniel camilo do rosario em 21/11/2012 21:54:51
parabens jaqueline por ter encontrado sua mãe, que DEUS te abençoe.
Eu ainda to procurando a família do meu pai (Gilson de oliveira), gostaria de conhecer os familiares, já faz 21 anos que meu pai faleceu.
Quem sabe né...
 
Solange de Oliveira em 21/11/2012 20:40:18
amiga parabéns vc merece essa felicidade de encontrar a sua mãe,vc e muiito especial
 
giovanna doroteia fleitas em 21/11/2012 18:48:22
Parasbéns, seja muito feliz com sua família, Deus é pai e vc tem o direito de conviver com sua mãe. Esqueça o passado e olhe só para o seu futurocom seu filhinho.
 
Maria azaeno em 21/11/2012 16:09:57
Que felicidade , eu tambem encontrei irmaos da minha mae pela rede foi atraves de uma grande busca pelo orkut , ela nao via seus parente a 55ans era uma missao quase impossivel pois ela nem sabia onde poderiam estar mas Deus ajudou e tudo deu certo.
 
paulo sandro benites em 21/11/2012 15:40:37
Até que enfim esse facebook serviu para alguma coisa.
 
sebastiao dos reis em 21/11/2012 15:18:57
Amiga to muito feliz por vc, mulher guerreira e batalhadora vc merec amiga!!!
 
Kellen Oliveira em 21/11/2012 14:42:59
Jac, viva o hoje, o ontem ja se foi, o amanha não sabemos... familia é tudoooooo, viva cada minuto com sua mae, com seu filho... nunca esqueça da familia adotiva .Que Deus te abençõe e seja mui feliz.
 
Sonia Marques em 21/11/2012 14:00:40
ola muito obrigado a todos pelo apoio...estou muito feliz por tudo...este sonho realizeii..
 
jaqueline aparecida de freitas em 21/11/2012 12:37:38
É isso ai Jaqueline ..... aproveita a sua convivência com sua mãe... e que seu filho fique perto da vó.... Isso é mto importante para formação dele.... Fica perto dela.... garanto que amor vc e ela tem mto a contribuir uma com a outra....
 
ivan lopes em 21/11/2012 12:13:38
parabéns campo grande news pela matéria.E pra vc Jaqueline almejo sucesso na sua nova caminhada,que Deus abençoe vc e seu filho,junto com sua família,mas não esqueça nunca da família adotiva, também sou adotiva,conheci minha mãe ,e não deixei d amar minha família adotiva.
 
marta lopes em 21/11/2012 10:55:48
A vida é dura, mas Deus é bom! Desejo felicidades para a Jaqueline!
 
Olices Trelha em 21/11/2012 10:41:32
Jaqueline, seja muito feliz e que Deus seja seu único mentor nesta nova caminhada, poder começar é para todos mas chegar lá é para poucos e você conseguiu, você e seu filho merecem uma família e nada melhor que seja a própria.
 
rosimeire dos santos leal em 21/11/2012 10:01:10
Jaqueline, uma dica, de quem ao ler sua história, chora. Aproveite sua MÃE, viva com ela o que é de direito seu, esqueça ou tente, os viés da sua vida, tudo tem um motivo, só Deus sabe a verdade, o porque de tantas coisas, as vezes tão tristes...
Se minha querida MÃE estivesse viva, dia 12 teria feito 84 anos, hoje já são 3 anos 7 meses 4 dias que ela se foi, cada dia que passa a saudade é maior, mas essa é a certeza, única, da nossa vida, a volta ao PAI !!!
Desejo toda felicidade pra você e sua Mãe, saúde e muitas alegrias, porque MÃE é como o amor de Deus por nós, não tem igual
 
Divina Lemos em 21/11/2012 09:21:21
parabens minha filha vá mesmo morar com sua mãe, voce pode ter certeza abissoluta que embora seu plano de vida tirou voce dela por todo esse tempo e voce sofreu muito, a dor dela é muito maior que a sua, que Deus te abençoe por essa ação digna e seja feliz de agora em diante, um abraço.
 
Silvio Bezerra da Silva em 21/11/2012 08:46:18
Eu tbm encontrei meu pai por uma rede social, depois de 25 anos sem noticias uma irma que eu nem conhecia me achou pelo orkut, foi muito bom.
 
Miguel Luiz de Almeida Neto em 21/11/2012 08:45:53
parabéns pelo encontro, eu tb encontrei esse mês de novembro os irmãos do meu pai que fazia 32 anos desaparecidos , encontrei pelo facebook também, e eles ja vieram aqui em campo grande na outra semana, foi muito emocionante, realmentes redes sociais está levando as pessoas desaparecidas e se encontrarem.. bjocas
 
adriane reis em 21/11/2012 08:32:08
Felicidades para vc Jaqueline. A gente que foi criado com pai e mãe, não pode avaliar o sofrimento de quem não conheceu o pai ou a mãe, mas deve ser um vazio enorme. Mais uma vez felicidades para vc junto com a sua mãe e a família verdadeira.
 
Gilberto Ozuna em 21/11/2012 08:25:57
Eu também só conheci o meu pai depois de adulta, aos 22 anos, sei como esse momento é confuso. Mas é fundamental saber de nossas raízes. Toda sorte do mundo à sua nova relação, que ela não se perca e aproveite cada minuto perdido com a sua mãe, vocês tiveram muita sorte! Tudo de bom, Jaqueline!
 
Thayara Barboza em 21/11/2012 08:13:44
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.