A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

19/03/2013 07:35

Ele tinha todos os motivos para desistir, mas já caminha para o terceiro diploma

Elverson Cardozo
Graduado em teologia, Toni Massiaba agora cursa pedagogia e enfermagem. (Foto: Elverson Cardozo)Graduado em teologia, Toni Massiaba agora cursa pedagogia e enfermagem. (Foto: Elverson Cardozo)

Ele tinha tudo para desistir, mas sempre foi um sonhador. Persistiu, enxergou o futuro, abraçou as oportunidades e agora começa a colher o resultado de todo o esforço. Nesta terça-feira (19), o Lado B conta a história de um moçambicano que deixou tudo para trás - família, amigos e o país onde nasceu - para estudar em Campo Grande. Na cidade há 5 anos, o rapaz tem motivos de sobra para se orgulhar. Graduou-se em teologia e agora é acadêmico de pedagogia e enfermagem.

Veja Mais
No Tiradentes, brasão do Chapecoense surge na rua como uma homenagem do bairro
Com quadros de amigos e fotos do passado, casa de Isac é pura recordação

Quinto filho de um casal de camponeses, Toni Salvador Massiaba Jorge, de 29 anos, viveu na costa oriental da África Austral até os 24 anos. Teve uma infância sofrida, longe dos luxos e das diversões necessárias a qualquer criança.

Aos 4 anos, o menino já trabalhava na roça. Por anos, parte da madrugada, para ele, virou dia. Toni e os irmãos ajudavam os pais na plantação e colheita de alimentos como amendoim e feijão. Muitas vezes o trabalho durava até o fim do dia.

A ajuda garantia a alimentação da família. A agricultura, na casa dele – e em todo o país - sempre foi de subsistência. A renda, quando surgia, não passava de 2 dólares por dia. “Dificilmente vendia. O que não dá para vender”, explicou.

Foi assim até os 10 anos, quando o menino resolveu estudar. A situação ficou ainda mais crítica. Para conseguir comprar materiais básicos da escola, os pais, que sempre o apoiaram, se viam obrigados a vender parte dos alimentos que colhiam em um dia inteiro de trabalho.

Sem autorização para trabalhar no Brasil, moçambicano se dedicou aos estudos. (Foto: Elverson Cardozo)Sem autorização para trabalhar no Brasil, moçambicano se dedicou aos estudos. (Foto: Elverson Cardozo)

O reflexo era visto à mesa. Não foi uma única vez que a casa inteira foi para a cama sem a janta. Quanto havia refeição, o jeito era se contentar com pão ou mandioca com chá no café da manhã. O almoço geralmente era polenta, peixe ou folhas.

A dificuldade, no entanto, foi o “combustível” que “alimentou” os sonhos do menino. “Nasceu a vontade de estudar. Eu queria um dia ser diferente. Tive que batalhar para ter acesso à educação”.

E a batalha foi árdua. A sala de aula, do primeiro ao 5º ano, era debaixo de uma árvore. Nos anos seguintes, até o término do ensino fundamental, a turma foi para uma “escola” feito de pau a pique, mas não havia cadeiras. A lousa era um quadrado feito de cimento. O primeiro, segundo e terceiro ano foram diferentes. As salas já contavam, pelo menos, com carteiras.

O início de uma nova vida – Com o ensino médio completo, Toni passou a dar aulas de biologia para crianças em um orfanato. Em 2008, o encontro com uma médica brasileira, campo-grandense, que estava em viagem missionária naquele país, trouxe novas esperanças ao jovem que sempre quis “ser alguém na vida”, mas não via novas saídas.

Toni pretende quer voltar à Moçambique para ajudar o país. (Foto: Elverson Cardozo)Toni pretende quer voltar à Moçambique para ajudar o país. (Foto: Elverson Cardozo)

Em pouco tempo, o moçambicano estava em Campo Grande. Foi acolhido pela família da missionária e ganhou uma bolsa de estudos para cursar teologia. Formou, mas não parou de estudar.

Em 2010, o rapaz era calouro do curso de enfermagem em uma universidade particular. Entrou pagando, conseguiu desconto de 50% e, depois, se tornou bolsista integral. Um ano depois, se tornou acadêmico do curso de pedagogia da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul).

Como o visto de estudante não permite que ele trabalhe, Toni resolveu focar nos estudos. Aos finais de semana e em qualquer tempo livre ele se debruça em cima dos livros.

Dar conta de dois cursos não é tarefa fácil, mas o jovem aprendeu que, na vida, as oportunidades devem ser agarradas. “Aqui as pessoas não aproveitam. É a configuração da população. Talvez pensem que todo tempo vão ter e que se não aproveitarem hoje vão aproveitar amanhã ou depois”, avaliou.

Patriota - No quarto ano de enfermagem e no terceiro de pedagogia, o universitário explica que escolheu duas áreas distintas pela importância que elas tem no país onde nasceu.

O acesso à educação, pontuou, continua a ser uma das principais dificuldades que os moçambicanos enfrentam. A saúde, por outro lado, nunca esteve “bem das pernas”.

“Aqui as pessoas não aproveitam. É a configuração da população. Talvez pensem que todo tempo vão ter e que se não aproveitarem hoje vão aproveitar amanhã ou depois”. (Foto: Elverson Cardozo)“Aqui as pessoas não aproveitam. É a configuração da população. Talvez pensem que todo tempo vão ter e que se não aproveitarem hoje vão aproveitar amanhã ou depois”. (Foto: Elverson Cardozo)

“Quero atuar na área de pediatria. Moçambique é um dos países que sofre com a mortalidade infantil. O índice de desnutrição é muito alto. Também tem as doenças oportunistas como diarréia, malária e anemia, entre tantas outras”, disse.

Toni está em Campo Grande, gosta da cidade que o acolheu, mas não quer ficar aqui. “Eu nunca tive o desejo de morar fora. Se voltar formado vou poder ajudar minha família e aqueles que estiverem perto de mim. Estarei ajudando o país inteiro”, revela.

O moçambicano que um dia sonhou com um futuro melhor e que deixou o país onde nasceu para estudar no Brasil, é mais um entre muitos estrangeiros que colecionam histórias parecidas – únicas, no entanto -, mas é, sem dúvida, um exemplo de vida para quem vive reclamando e culpando os outros pelo próprio fracasso. Toni é, acima de tudo, um guerreiro.




Bom dia meu irmao,

Que exemplo cara..... eu pessoalmente estou super encantado com sua trajectoria para alem de que fui uma das pessoas que viu de perto as dificuldades pelas quais passaste em panticular em Maputo no bairro policial 3 de Fevereiro - Laulane. Meu irmao que tenhas muita forca pois a sua estória de vida não so mostra a tua vontade de vencer mas que tambem sirvas de inspiracao aos outros jovens do seu pais, quica do mundo..... Parabens

Tonyto/Maputo
 
Antonio Hofico em 28/03/2013 05:01:05
Parabéns Toni! Continue a ser este aluno brilhante e orgulhe-se por sua trajetória de vida!
 
Bartolina Ramalho Catanante em 22/03/2013 23:09:34
Toni, continue se esforçando. Você é um bom aluno e acredito que fará diferença no seu país com todo conhecimento que está adquirindo.
 
Lizandra Félix em 20/03/2013 19:38:16
Toni, você é um exemplo para todos nós, parabéns pelo aluno dedicado. Com certeza você já faz a diferença na vida de muitas pessoas. Sucesso. Um forte abraço Prof. Karine - UCDB.
 
KARINE FERREIRA DA COSTA em 20/03/2013 19:20:33
O Toni realmente é um cara pelo qual todos devemos ter respeito,não simplesmente pela sua historia mas pelo homem que ele é.Serve de exemplo a todos nós.Assim que tinha que ser, sai do pais para buscar oportunidades e trazer estas de volta aqui,infelizmente isso não acontece com muitos que saem do Brasil para ganhar o seu e não pensa no próximo ao contrário do nosso amigo Toni que veio aqui para buscar meios de ajudar seu povo provando assim que suas origens são importantes para ele.Para mim é um orgulho ser colega desse cara que ao longo desses três anos de convivência mostra sempre a todos sua garra e sua vontade,é um aluno exímio e com toda certeza fará a diferença ao seu pais levando todo conhecimento que construiu com dedicação aos estudos no Brasil.Toni é muito especial!!!!!!!!!!!!!!
 
Danyelle Bento em 19/03/2013 23:39:22
Parabéns pelo ser humano que você é, meu esposo viveu em Moçambique durante quinze anos e conhecemos bem a realidade daquele país, é de pessoas de coragem e persistência como voçê que precisamos para construirmos um mundo melhor.
 
Poliana Zapata em 19/03/2013 21:41:21
Congratulo com esse guerreiro, sei muito bem o que é isso, tbm trabalhei criança na roça-6 anos, 7 anos, desde então preocupado com a pobreza reinante, lutei em duas frentes, ajudar em casa e competir fora. Foram anos de luta, vieram doenças do trabalho precoce com inseticida, mas tb vieram vitórias: concurso serviço público desde 1987, cursei letras(UFMS) e direito (UCDB), detalhe: quebrei paredes em 1981 no edifício que trabalho hj. LÁ ou AQUI, as possibilidades que se abrem para quem acredita são numerosas. HOJE tal qual ONTEM, se o jovem acolher os apelos publicitários da bandalheira e da mediocridade, não sai do lugar, infelizmente é o que se ve: DROGAS, ALCOOLISMO, DEPRAVAÇÃO... acorda juventude!!!
 
elias antonio pereira em 19/03/2013 21:25:20
Que exemplo de vida você está dando. Nunca pare, o mundo precisa de seguidores como você.
 
VANESSA MARCONDES DE SOUZA SANTANA em 19/03/2013 20:13:36
Que Deus te ilumine e que você possa servir de exemplo para muitas pessoas como estudante e profissional em suas áreas...
 
Michele Vieira Aguayo em 19/03/2013 18:00:09
parabéns guerreiro Toni, Deus te de ,muita saúde,e toda força,para atuar em seu país ,você é uma inspiração para todos que encontram algum tipo de barreira.
 
Tito Cândido da Rocha em 19/03/2013 16:27:52
Bonita história mas espero que ele contribua algo no nosso país também, e algo interessante é que realmente no Brasil não estuda quem não quer porque a cada dia que passa surge novas oportunidades como o FIES, PROUNI,SISU,PRONATEC e assim vai. Meu pais sempre me orientaram a estudar por isso não pretendo jamais parar de estudar pois adquirir conhecimento nunca faz mal a ninguém.
 
Diego Souza em 19/03/2013 15:21:34
Toni você é um guerreiro, e ninguém vai poder dizer ao contrário! Continue lutando, você vai vencer e ajudar o seu país. Deus nos fez irmãos independente de políticas e fronteiras,você é um orgulho para nós brasileiros e particularmente pra mim que te admiro muito e tenho a honra de estudar com você!
 
Linda Arruda em 19/03/2013 15:21:00
Ao chegar ao Brasil o seu ensino médio,não foi aceito, para prestar vestibular, teve então que fazer o EJA, e concluindo antes do prazo, por ter tirado notas no ENEN que daria ao Toni direito de curso concluído, enquanto cursava a Teologia ele pode fazer numa outra Faculdade online um curso que lhe permite ministrar aulas de Ensino Religioso nas Escolas. Eu o admiro muito, que Deus continue a dispensar sobre vc bençãos sem medidas, e continue sempre firme naquele que o criou, escolheu e o separou para fazer a sua gloriosa obra.
 
Ada Sabino em 19/03/2013 15:20:34
A história de vida do Toni é, sem dúvidas, uma história de dedicação e busca pelo crescimento pessoal e, além dele, seus pais e a missionária que o ajudou também merecem elogios: os primeiros por apoiarem o filho nos estudos, mas sem ter o que comer; e a segunda por dar a ele esta oportunidade. Porém, dois fatos me chamaram mais a atenção nesta reportagem: famílias "sobrevivendo" do que plantam e crianças estudando sob árvores (aguardando uma chance) também existem no Brasil, principalmente no Nordeste; e um visto que só dá opção para estudo é absurdo (tem gente que não tem como pagar nem os estudos, como fazer?).
 
Marco Brito em 19/03/2013 15:05:45
Fabio. Se o caro Toni estudar e permanecer no Brasil, trabalhar e salvar alguns brasileiros, ele mereceu o que recebeu. Desistentes existem em todos os lugares, não só na UEMS, mas também em Harvard ou Cardiff ou Hokkaido. E custa a um pais ajudar os outros. E custa manter fronteiras abertas. Te recomendo ler a Historia Econômica do Brasil pra entender o que é colonia de exploração e como o mundo ajudou o Brasil em sua formação. Humanitarismo sacrificial não melhora nada.

Sidney. Onde critiquei o rapaz não me lembro. Recordo de criticar as politicas de admissão de imigrantes no Brasil e aquilo que eles não fazem em troca. Como não sei por que meios Toni entrou aqui, não o critico por isso, mas disse que seu caso abre precedência. Caso não saiba o que isso significa, procure no dicionário.
 
Alessandro Massulo em 19/03/2013 14:36:49
issp ai toni to muito orgulhosa de ti voce merece que bom que vc quer voltar e ajudar o nosso pais sao pessoas como tu que nos precisamos aqui. xicuembo a xi ku katekise, hi massico incuawo.
 
ligia lourenco em 19/03/2013 14:28:57
Parabéns Toni!!!! Você é um exemplo de vida!!!!
 
Ana Andrade em 19/03/2013 14:00:27
Parabens companheiro! Sou grata por participar contigo desta caminhada. Sou testemunha do seu esforço e, pactuo do seu pensamento sobre o "deixar pra amanhã" oportunidades de desenvolver uma profissão que nos fortaleça como sujeitos que somos, o que é uma perda para muitos. Mas confiemos! Façamos a nossa parte.
 
ivanete rodrigues em 19/03/2013 13:56:40
Parabéns, Toni! Você é um ótimo exemplo de que quando queremos algo e batalhamos por ela podemos alcançar nossos sonhos e faze-los tornarem-se realidade. Você é um excelente estudante, dedicado, com sede de aprender e principalmente é muito educado, ajuda e respeita as pessoas. Sucesso e que você possa ajudar seu país, família e mantenha essas qualidades que te fazem uma pessoa muito querida :D
 
Cecilia Rodrigues em 19/03/2013 13:56:22
Este é um exemplo muito valioso para todos nós, sua persistencia faz com que todo seu esforço valha a pena, parabéns Toni!
 
Janaína Santos em 19/03/2013 11:11:12
Parabéns ao Toni.... mas e aqui no Brasil? onde a miséria é para o pai de familia comer e dar de comer aos filhos onde bolsa de estudo é brincadeira?realmentedificil vai falar do FIES é tem fies sim , mas é pra quem está sem restrições cadastrais, aqui tem sempre um si ou um mas.......nosso País deveria dar mas enfase no ensino na educação com certeza muitos problemas sociais iriam ser resolvidos.
 
sandra lima em 19/03/2013 10:18:28
Conheci Moçambique em Outubro/2012. Fizemos um trabalho missionário social em um vilarejo chamado Vilankulos, 700 km ao norte de Maputo, capital do país. Realmente, o país é muito pobre. Crianças vivem a beira da miséria, e pior, o governo não se importa com isso. Fora a miséria, a Malária e a AIDS lideram índices de mortalidade. Toni, você é o 2º Moçambicano que conheço que estuda aqui e pensa em voltar pra lá pra ajudar seu país. O povo Moçambicano é muito querido e receptivo. Não te conheço, mas estou orgulho de sua atitude. Siga lutando, seu exemplo deve ser seguido até por brasileiros. Um abraço
 
Nildison Maroni em 19/03/2013 09:57:57
Primeiramente Parabéns Tony... suas conquistas vão servir para ajudar muitas pessoas, inclusive no seu País, fico triste pelo comentario do Alessandro Massulo, pois o Tony apenas esta fazendo oq todo ser humano deveria fazer, independente de qual País ou continente ele seja, agora tem pessoas aqui do nosso querido BRASIL que tem tudo nas mãos e naum dão valor nos estudos, deixa o rapaz estudar e vai procurar oq fazer Alessando, em vez de ficar criticando esse Homem de Coragem e Determinação!!!
mais uma vez PARABÉNS TONY!!!
 
Sidney Freitas em 19/03/2013 09:48:44
O Toni é um exemplo. Isso não tenho dúvidas. Mas quero criticar o comentário do "Alessandro Massulo Bento em 19/03/2013 08:55:57", este tipo de comentário é totalmente desprovido de cabimento. O mundo e as riquesas que produz são para toda humanidade. O que custa um pais em desenvolvimento ajudar um pais que está na miséria??? Nada, não custa nada. Veja bem no curso de Pedagogia, este mesmo da Uems, a oferta era de 50 vagas em 2011, hoje, a turma do terceiro ano não chega a 30 alunos, ou seja, a desistência foi alta. Mas o "imigrante" permaneceu. Por isso, belo exemplo para nós os acolhedores brasileiros. Se for para ajudar a humanidade, que venham mais estrangeiros para cá. Abraços Toni.
 
Fábio Pereira em 19/03/2013 09:41:53
Durante algum tempo trabalhei como professor e instrutor de práricas agícolas em instituição de menores abandonados, assentamentos e acampamentos de sem terra. Nessas atividades e com esse público, conheci e aprendi coisas interessantes que a universidade não me ensinou. Uma delas é o valor que as pessoas, principalmente os jovens, dão às oportunidades que lhes são oferecidas, quando elas são escassas. Esse rapaz é um exemplo muito parecido com aqueles que tive a oportunidade de conhecer, exemplo que deve servir como referência para todos. Parabéns, Toni Salvador Massiaba Jorge, você é um grande homem e seguindo nesse caminho, será maior ainda.
 
Arcelei Lopes Bambil em 19/03/2013 09:39:13
Fico muito feliz que ele tenha conseguido agarrar as oportunidades que ele teve. Que ótimo seria se todos nós pudéssemos agarrá-la assim como ele, é bem o que ele disse, muitas vezes temos as oportunidades mas as deixamos passar. Com os nossos jovens acredito que ainda é assim, e seria muito bom que todos lessem sobre a vida desse rapaz e pensassem como ele.
 
veruska da silva echeverria araujo em 19/03/2013 09:28:14
TONI, deverá ser o SALVADOR, de seu povo, seu pais, sua familia, no BRASIL, você,já nos conquistou, com sua simpatia, humildade, garra, carismo.PARABENS GUERREIRO...DEUS LHE PROTEJA....FELICIDADES...
 
orlando lopes em 19/03/2013 09:19:19
A educação é o caminho para a superação, juntamente com a determinação, sem elas nos sentimos isolados, do outro lado da ponte quebrada. Parabéns ao Toni pela determinação, a médica pela atitude de amor ao ser humano e ao Campo Grande News por essa matéria exemplar.
 
Joel Penha em 19/03/2013 09:16:07
Em primeiro lugar parabéns, mas parabéns mesmo a essa médica de grande espirito humanitário, não só pelo trabalho na medicina mas pelo altruísmo de apoiar e receber em seu lar esse jovem. Toni, parabéns pela dedicação e pelo foco de olho no teu futuro e do teu país, que tu sejas de fato e em breve um cidadão útil ao teu povo e seja muito feliz.
Vira e mexe tomamos conhecimento de situações semelhantes e ao mesmo tempo nos indigna ver que milhares de jovens no nosso país não aproveitam as oportunidades que surgem e não se preparam adequadamente para a vida, criando uma horda de adultos desqualificados profissionalmente e que incham cada vez mais os bolsões de miséria nas cidades, fazendo com que governantes se perpetuem no poder ao fazer caridade com recursos públicos.
 
Erudilho Nabuco em 19/03/2013 09:13:05
E fiquem a vontade para recusar meu comentário. Humanitarismo sacrificial é moda entre os brasileiros e interpelações desmedidas sobre preconceitos e racismos e discriminações sem fundamento e sem noções de mutuo respeito e dignação humana a estes "pobres coitados" são hype.
 
Alessandro Massulo em 19/03/2013 09:03:43
Deixando de lado o romantismo piegas e toda e qualquer noção de compaixão e bem ao próximo, a história deste Toni é apenas mais uma que abre precedentes para que outros estrangeiros entrem em nosso país e utilizem de nossos recursos para depois ir embora a seus paises de origem, sem contribuir em nada para o desenvolvimento do Brasil. Soô xenofóbico, mas não é isso. Simplesmente esquecemos de olhar o nosso passado, uma terra linda e repleta de natureza que foi devastada para exploração e extirpação de recursos e que depois de conseguir sua "independencia" como nação, manteve as portas e pernas abertas, até hoje, para que pessoas de todo mundo abusem de nossa economia e cultura, sem dar nada em troca, nem mesmo a entrada em seu pais de origem.
Mas que seja, desejo sorte a esse rapaz.
 
Alessandro Massulo Bento em 19/03/2013 08:55:57
Dá pra fazer um filme, escrever um livro. Me deu vontade de chorar...história de vida.
Parabéns ao Toni Salvador, que com certeza vai salvar muita gente e a médica que preferiu ficar incógnita. Parabéns também ao jornalista que escreveu esta matéria com tanta sensibilidade.
 
LUCIANA VILLAMAINA CENTENO em 19/03/2013 08:26:43
Esta história não mostra apenas a vontade de vencer de um jovem que deixa tudo em busca de seus ideais, mas o amor a pátria. Embora com todas as dificuldades de seu país, ele quer voltar e ajudar aos seus, enquanto aqui no Brasil muitos brasileiros querem ir embora para outra nação, fazendo longas criticas ao nosso País. Alguns conseguem estudos avançados e lá ficam, ajudando ainda mais o avanço de tais paises em detrimento do nosso. Prezado Toni, embora não o conheço pessoalmente, tomo a liberdade de dizer com todas as letras que VOCÊ É O CARA. Que Deus o abençoe e lhe de forças em sua jornada. Você não apenas é o exemplo de superação mas coragem, abnegação pessoal e amor aos seus. Por fim, gostaria de saber quem são os missionários para lhes parabenizar também. Abraços...
 
Luciano Correia em 19/03/2013 08:23:33
que linda história deste rapaz e que lição essa médica ter ajudado-o.
A força de vontade que ele tem para os estudos, mostra ainda mais, que todos nós somos capazes também.
Parabéns Toni, continue seu caminho sempre de cabeça erguida e fazendo o bem, não importa a quem.
 
Thayssa Gomes D'avila em 19/03/2013 08:15:39
Um exemplo de vida!!
 
Tatiele Rodrigues em 19/03/2013 08:11:06
Toni. Que sua força seja motivo para que muitos siga o seu caminho, mesmo com dificuldades vc está vencendo na vida. Espero que ainda se lembre de mim. Katiuscia.
 
Katiuscia Nakasato em 19/03/2013 08:10:37
Parabéns Toni que, acima de tudo, acreditou em si mesmo. Belissimo exemplo a muitos!
 
Lara Cardoso em 19/03/2013 08:00:42
Bom dia Campo Grande!! Uma bela matéria para começar nosso dia. Deveria ser divulgada nas salas de aulas de nossos alunos, que tem tudo mas não aproveitam.
 
Francisca Mesquita em 19/03/2013 08:00:07
Eu sempre vejo o Toni pelos corredores da Uems e acho muito bacana que além de morar no Brasil,ele valoriza os costumes e a cultura do seu país..Toni é um exemplo,pela história de sua trajetória e por estar cursando a terceira graduação,além do mais,duas ao mesmo tempo.Tem tudo para galgar profissionalmente e ser um profissional de grande sucesso!!
 
Janaína N.Roque em 19/03/2013 07:58:29
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.