A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

06/02/2015 06:56

Entre notícia ruim e mil tarefas, a vida da mãe de dois num domingo de sol

Carol Alencar
Carol e os meninos.Carol e os meninos.

Chegamos de viagem pós Natal. Fomos levar as crianças para curtirem a vovó e a bisa paterna. Sim, como eles ainda são pequeninos, fazemos questão de construir as memórias deles com uma infância regada a primos, tias, avós, bisavós e até tataravós.

Veja Mais
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz
Passada "nuvem negra" que trouxe o câncer, rosa tatuada no braço une 4 mulheres

Pois bem. Mal desembarcamos em casa, vem a notícia do acidente de carro da minha prima-irmã, que estaria indo à praia com o namorado. Como mãe e prima “criada junto”, fiquei naquela tensão. Por mais que ela e ele tenham sobrevividos, fiquei com aquele aperto no peito, com vontade de que isso não tivesse acontecido, pensando na cabeça dela, como estaria, nas dores, enfim. Queria, ao menos, pegá-la no colo e mimá-la.

Tudo bem, não podia esticar mais este assunto. Guardei para as minhas orações e pensamentos. Tinha que amparar meus filhos. Vamos dormir crianças... e fiz o ritual do sono deles.

Com Miguel, de três anos, damos o tetê (mamadeira) e depois contamos uma história. Já com o de 8 meses, ainda ninamos. Como toda mãe, temos aquele amor imensurável, mas que também se desgasta quando ele está relutando para dormir e testa sua paciência. Acreditem, temos de ser pacientes, eles merecem. Pronto, dormiram.

Entre preparar um tetê e outro, lembrei de colocar as roupas que estavam molhadas da viagem na máquina de lavar. Lá deixei e fui dormir.

Acordei e, antes mesmo de levantar da cama, minha tia já ligou para dar notícias da minha prima. Levanto e enquanto fico com o pensamento na prima, vou lá estender a roupa que coloquei ontem à noite. Vi que seria um domingo ensolarado daqueles, coloquei mais umas roupinhas.

Quando saio da área de serviço já ouço um chorinho, corri para o banheiro para, ao menos, escovar os dentes. Enquanto isso, meu celular apita e é minha mãe, mandando mensagem perguntando se pode levar o mais velho até o supermercado com ela. Detalhe: ela estava esperando o mercado abrir, ou seja, isso tudo antes das 7 da manhã.

Certo. Crianças acordadas, o marido que já pegou o neném no berço e preparou o tetê matinal, fica enrolando na cama com o caçulinha e o interfone toca. Lá sai o filho um, correndo de pijamas e gritando vovóóóó até o portão. Eu saio correndo atrás e o faço voltar para escovar os dentes, por roupa e chinelo. Ufa.

Quando volto do portão, o "filho dois" fez cocô e o marido ainda estava um pouco sonolento. Peguei a banheira, coloquei dentro do box e já pensei em dar um banho para ele relaxar. Abre aspas, tudo isso sem ao menos tomar um copo de água, fecha aspas.

Filho limpo, engatinhando e brincando na sala. Fui, pedi educadamente ao marido para preparar um tereré bem gelado e refrescante. Volto para a cozinha. Coloco o frango na panela de pressão, pensando no almoço de domingo e começo a fazer a lista do supermercado para o marido comprar. E sem tomar água.

Nisso, peguei o material de limpeza para dar uma geral no banheiro e o marido partiu para o supermercado, mas deixou o tereré. Ufa! Refresquei um tico.

O caçulinha já estava coçando os olhinhos para o soninho da manhã, deitei ele de bruços no meu colo e comecei a acarinhá-lo. Enquanto sussurro um mantra, uma amiga manda whatsapp pedindo conselhos. Queria uma orientação, pois havia brigado com o namorado. Não sei se sou boa nisso, mas dei os melhores conselhos enquanto ninava Ravi, o meu menor. Pronto, dormiu.

Fui correndo terminar a “geral” no banheiro, parti pra varrer o jardim – claro, para as crianças poderem brincar – voltei, estendi o restante das roupas e fiz uma papinha rápida e suco de laranja. Detalhe dois: uso espremedor e liquidificador, ou seja, louça amontoada. Pronto, deixei a louça lavada.

O marido voltou do supermercado. Como de praxe, iniciamos juntos o almoço de domingo. Fiz um fricassê de frango com batata palha, arroz branco e salada verde. Minha mãe deixou Miguel para o almoço, pois ela iria almoçar com as amigas e quando meu filho viu um dos pratos prediletos dele, abriu um sorrisão, que paga qualquer cansaço físico dessa correria.

Almoçamos, depois colocamos um vídeo para todos na sala e lá ficamos administrando as crianças no chão e curtindo o domingão. Adoro domingos. Tem meu marido comigo e com as crianças o dia todo e tem aquela paz de descanso. Mesmo não descansando 100% o dia deixa a gente mais feliz. Terminamos aquele domingo com os pequeninos no parquinho do Parque das Nações Indígenas. Com o fim de tarde e por do sol. Voltamos para a casa prontos para iniciar outra semana cheia de novidades.

*Carol Alencar é jornalista, dona de casa, amiga e mãe de dois.




num quero ser essa mulher que curte um domingo com marido filho lavar casa, limpar coco. lavar roupas fala serio heim..
to fora dessa vida monótona dessa mulher. se ela gosta disso eu que num gosto..
 
debora em 09/02/2015 20:08:37
Todo mundo hoje fica fazendo esse bico horrivel do self, notem que até a criança tá imitando a mãe fazendo o bico, o resultado disso no futuro vai ser todo mundo com ruga na boca mesmo não sendo fumante.
 
Max em 06/02/2015 12:41:20
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.