A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

30/10/2013 07:27

Estudantes que trocaram MS pelo Paraguai têm vida de "bacana" em Assunção

Ângela Kempfer
Iago e Andressa cursam Medicina e hoje são namorados.Iago e Andressa cursam Medicina e hoje são namorados.

Em um sábado de balada em Assunção, os mais animados estão no grupo de universitários brasileiros. Eles andam pela festa como quem domina o pedaço. A maioria muito jovem, bonita e bem vestida, que não parece ter motivos para reclamar.

Veja Mais
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz
Passada "nuvem negra" que trouxe o câncer, rosa tatuada no braço une 4 mulheres

Eles trocaram o Brasil pelo Paraguai para fazer Medicina em uma das 10 universidades que oferecem o curso do outro lado da fronteira e conseguem curtir muito mais a vida com muito menos dinheiro. São privilegiados em um país pobre.

“Gasto no máximo R$ 1,5 mil por mês. Isso com tudo que tenho direito, até comprando roupas. Para ter essa vida no Brasil, gastaria o dobro”, explica Iago Andrade, de 18 anos. Depois de 6 meses de cursinho e nenhuma aprovação no Brasil, ele partiu para Assunção. “Tem gente aqui até de Tocantins”, comenta.

Na cidade, arrumou uma namorada, também brasileira e estudante de Medicina. Loirinha e linda, Andressa Santos é filha de agricultores do interior do Paraná e só optou pela mudança radical depois de não conseguir vaga em 2 universidades brasileiras.

Além da disputa praticamente desumana por uma vaga aqui, o pagamento de um universidade particular é inviável, primeiro pela mensalidade, depois porque a maioria fica longe de casa e a mudança de cidade demanda custos extras.

Já no Paraguai, no primeiro ano do curso, Andressa divide casa com outros 4 amigos, pelo custo de R$ 250,00 ao mês para cada um. No cinema, os ingressos custam de R$ 7,00 a R$ 20,00, outra economia em relação ao Brasil. “Na academia são mais R$ 75,00”, soma a jovem de 18 anos. Mas é a mensalidade o maior atrativo, cerca de R$ 400,00 de ínicio, contra R$ 5 mil, pelo menos, em solo brasileiro.

Um dos colegas a dividir o aluguel é Henrique, um rapaz gente boa que ao terminar o Ensino Médio também se mudou para Assunção fazendo o mesmo caminho da irmã. “Tenho família em Ponta Porã, então já conhecia bem o Paraguai. Aqui é tudo muito bom, só tem alguns abusos contra brasileiros às vezes, por isso a gente tenta falar sempre em espanhol”.

De Dourados, Nova Andradina, Ponta Porã, Jardim, Campo Grande e Paraná, estudantes chegam em peso ao Paraguai. Primeiro, por conta da faculdade que não cobra nem vestibular, apenas a matricula. Só a universidade nacional (pública) e outra faculdade católica têm exames de admissão, mas a última não recebe estrangeiros.

Com o tempo, os estudantes descobrem muitas outras vantagens. Mais velho, aos 25 anos Lucas Jaques tentou primeiro Buenos Aires. Cursou Veterinária por um ano, não gostou e acabou em Assunção. “O que mais gosto aqui é a tranquilidade. É uma cidade pequena, não vejo crimes, assaltos. O paraguaio gosta muito do brasileiro. Lá na Argentina é bem mais complicado”, justifica.

Andressa saiu do interior do Paraná para estudar em Assunção.Andressa saiu do interior do Paraná para estudar em Assunção.

Maduro - Para Artur Ovando, a escolha ocorreu há 6 anos. Prestes a se formar na Unida (Universidad de la Integración de las Américas), ele diz que nunca teve dúvidas sobre a decisão de estudar em Assunção. De Jardim, terra natal, já saiu para morar em 8 cidades. Também fez Veterinária, mas só agora, aos 29 anos, diz estar convicto sobre o futuro. “Escutava muita coisa negativa sobre o Paraguai, mas desde que cheguei tenho boa impressão sobre o país”.

Segundo ele, mais de 100 brasileiros chegam todos os anos para tentar a faculdade de Medicina, mas a maioria desiste quando descobre que a rotina é bem puxada. “Ficam só uns 10. Eles acham que é fácil porque não tem vestibular, mas é bem difícil seguir em frente. Só quem está aqui vê o quanto é séria a formação”, garante.

O início é de aulas das 8h às 18h, depois os alunos passam a misturar pratica com alguns créditos teóricos. Quando começar a residência, o aluno tem de estar entre os primeiros na turma para ter direito a escolher a especialidade, o que significa manter média alta durante todo o curso.

O custo de vida é outro bom motivo para uma vida longe de Campo Grande. De aluguel, Artur paga R$ 600,00 em um apartamento mobiliado e bem localizado. Quando chegou, não tinha carro e com R$ 8 mil comprou recentemente um completo, automático. De alimentação são mais R$ 25,00 por dia. "Isso porque como nos melhores lugares, poderia economizar muito mais", explica. Fã de música clássica, também elogia a quantidade de atrações culturais, muitas de graça. Na faculdade, em estágio avançado, pagará neste mês só R$ 1,1 mil.

Por tudo isso, não cogita a possibilidade de retornar ao Brasil depois da conclusão do cursoHoje está muito bem adaptado. Só alguns "eventos" ainda provocam espanto. "O transporte coletivo é muito precário, mas custa R$ 1,00, nem dá para reclamar. Mesmo assim, há algum tempo, um grupo se crucificou de verdade, exigindo redução da tarifa", lembra.

 

Artur já está se formando.Artur já está se formando.

Artur é do tipo que aproveita as horas de folga para explorar a região e conhecer costumes. Adora empanada e Chipaguaçu, pratos típicos. Mas não é todo elogios a Assunção. Critica o trânsito caótico, a sujeira, mas é otimista. “As coisas estão mudando aos poucos. Antes, ninguém nem andava de cinto de segurança aqui. Mas campanhas têm mudado isso”. Ainda assim considera estranha, por exemplo, a forma como um jovem consegue habilitação para dirigir. "Não tem nem teste de direção", explica.

O universitário também reclama que não há lixeiras pela cidade e dia desses deu até uma de repórter, enviando foto e informações ao jornal ABC Color, um dos mais importantes do Paraguai, para denunciar o desleixo. “Passei depois e tinham resolvido o problema”, conta.

Ele considera o povo paraguaio “companheiro”, uma conclusão depois de boas surpresas. “Um dia meu carro ficou sem gasolina. Passaram 2 caras em uma moto, dei dinheiro para eles comprarem para mim e eles voltaram com o combustível”.

Até time do coração Artur já definiu, é "Libertad" do Paraguai. Torcedor do São Paulo, descobriu a nova paixão em 2011, quando os paraguaios eliminaram justamente o time brasileiro na copa Sulamericana. "Nem fiquei triste. Quando vi, já era Libertad".

Sobre o preconceito com quem tem um diploma paraguaio, Artur diz que sabe que vai enfrentar isso, mas não tem medo. "Nunca vou negar ou esconder o lugar onde estudei, porque confio na minha formação", justifica.




gostei, lutem para formarem-se, porque o brasil tem que ter mais medicos para atenderem a populacao e nao formarem mercenarios para tirar proveito do povo. vai com deus e voltem com o coracao cheios de bondades. abracos
 
vanderlei alves de amorim em 25/01/2014 18:14:48
gostaria de obter o site da faculdades do paraguai, curso de medicina,
como também de alguns alunos para saber mas destas faculdades, minha filha tem interesse em fazer medicina.
abraço a todos
 
ELIVAN EUCLIDES em 11/01/2014 10:27:56
ESTUDO NO PARAGUAY E SÓ TENHO AGRADECER ESSE PAIS QUE ME ABRIU AS PORTAS PRA MIM REALIZAR MEU SONHO,SER MEDICO......ESTOU SUPER FELIZ COM O ENSINO, A UNIVERSIDADE PASSA 5 POR CENTO PRO ALUNO, O RESTO É INTERESSE DELE EM SABER E APREENDER GALERA, SABADO, DOMINGOS E FERIADOS SE RESUMEM EM ESTUDOS ESTUDOS E MAIS ESTUDOS....NÃO É NADA FACIL NAO, MAS NAO É IMPOSSIVEL PRA QUEM ESTUDA DE VERDADE,PARABENS PARAGUAY,OBRIGADO POR ME ACOLHER TAO BEM, E VIVA O PARAGUAYYYYYYYYY
 
rogerio jose goncçalves em 06/01/2014 20:15:57
A medicina em qualquer parte do mundo e igual depende do aluno, tem estudantes que são bom em teoria e outros na pratica, aqui mesmo no brasil ,tem formandos de universidade federal que não sabem muito de medicina, so depois de fazer residência que se mostran hábeis, falo isso porque eu vi e pratiquei medicina juntos a eles, hoje em dia tem 3 jeitos de revalidar diploma medico: através do Revalida, Através da justiça Direito internacional, e esse programas mais médicos obrigado.
 
cesar david perez cachique em 16/12/2013 10:38:15
acho que muitos dos comentários não são fundamentados em nada. portanto se ha ou não preconceito isso ainda não nos leva a lugar algum, seria interessante, se os meios de comunicações fizesse uma reportagem investigativa a nível de orientação para para que todos os interessados possa discernir de forma mais independente sua escolhas..
 
Ricardo Rabelo em 07/12/2013 17:56:06
Super interessante a matéria, e realmente , as coisas no paraguai são muito baratas. Morei 8 anos em assunção, e estou a 10 anos aqui em campo grande, uma coisa que não diz na reportagem, que a vida la é barata pra quem tem alguém que o sustente aqui no brasil, o real la vale muito, mas se você for conseguir um emprego em assunção, e tentar se sustentar com um salario, eu aposto que a dificuldade sera grande, já que o guarani não vale quase nada.
é fácil sair de daqui e ir estudar fora quando se tem alguém que possa lhe sustentar. cuidado para não se iludir demais galera.
agora, não concordo em desvalorizar a qualidade do curso de medicina dos paraguaios
aqui em campo grande mesmo existem inúmeras mortes por erros médicos e ninguém sai la fora falando da qualidade do curso.
 
Fran Bordon em 22/11/2013 10:02:16
Bando de gente invejosa.... se a facul no brasil fosse boa mesmo, não teria tanto erro médico, descaso de médicos, bisturi esquecido no paciente, médico de bate ponto e vai embora pra casa, etc....
Quero ver o médico brasileiro fazer o revalida.... aí vamos ver se tem mesmo essa má formação das universidades paraguaias.
 
Gustavo Nantes em 19/11/2013 09:25:18
"O rapaz acha estranho não ter exame de direção, mas não vi nenhum comentário dele sobre não ter vestibular para entrar no curso de medicina. Para ele isso é normal?" (Thiago Assunção )

Sabe quanto do conhecimento de vestibular se usa no curso de medicina? Bom, só te digo que daquelas apostilas todas, considerando tudo que se estuda, cerca de 20%, chutando alto. Ou seja, nota e aprovação em vestibular não garante que você será um bom profissional, porque os conteúdos do ensino superior são bem diferentes.
 
João Rafael em 14/11/2013 23:54:30
Antes de mais nada, eu fico orgulhosa de ver o esforço de cada um. Se pagam de bacanas ou não, eu acho que continua não sendo problema de quem não tem nada a ver.
Justo é quem corre atrás sendo ou não em nosso País. Justo é cada um ter liberdade de escolher. Feio é ver "bacanas" sem compromisso com a sua profissão.
Justo é darmos as mãos e fazermos a diferença sem pensarmos em nacionalidade, mas no dever e amor a quem nos espera.
Cada um sabe o que faz, e se não estiverem cumprindo com o dever, haverão punições.
Arthur, maninho, eu fico feliz pelo seu esforço.
Aos críticos aconselho que busquem mais conhecimento ao invés de escreverem o que não sabem *-*
Beijo, beijo!
 
Larrubya Ovando Nogueira em 02/11/2013 20:25:04
"O rapaz acha estranho não ter exame de direção, mas não vi nenhum comentário dele sobre não ter vestibular para entrar no curso de medicina. Para ele isso é normal?"
Realmente, porém a cada semestre você é avaliado durante os exames, se passa é por que foi bem e está apto a avançar mais uma etapa, se não passa recursa até estar apto., se você leu a matéria completa, deve ter visto que muitos, a maioria das pessoas desistem do curso. Muito diferente de não ser avaliado nunca, dirigir é coisa séria e pra isso você deve estar tudo ok fisicamente e psicologicamente o problema no caso é jamais ser avaliado, coisa que não acontece durante a nossa carreira, abraços!
 
Arthur Ovando em 01/11/2013 20:50:33
Bando de imbecis invejosos. Só sabem criticar por não terem a coragem que eles tem. Saibam que querendo ou não, o curso de medicina do paraguai é um dos melhores da américa latina e quase nenhum de vocês sabe disso. Quero ver vocês pagarem de bacanas no Brasil onde 100% de tudo o que vocês tem é imposto e vivem numa modinha cultural ridícula e todos sem a menor perspectiva de vida. Brasil! Um lugar onde um vagabundo vale mais do que um pai de família.
 
Antilys Zeolla em 31/10/2013 12:50:05
Ainda assim considera estranha, por exemplo, a forma como um jovem consegue habilitação para dirigir. "Não tem nem teste de direção", explica.
-----------
O rapaz acha estranho não ter exame de direção, mas não vi nenhum comentário dele sobre não ter vestibular para entrar no curso de medicina. Para ele isso é normal?
 
Thiago Assunção em 31/10/2013 10:41:31
Isso aí... Sem vestibular, sem provas, sem avaliação, sem estudar, sem nada. Aí chegam no Revalida e falam que a prova é "impossível". Todos que escolheram o caminho da medicina
sabem que a profissão é sinônimo de estudo antes de faculdade, durante a faculdade e depois para todo o resto da vida. Querer entrar pela porta de trás sem vestibulares é, no mínimo, já começar com o pé esquerdo. É difícil? Sim. Mas eu e mais de 10000 vestibulando todos os anos conseguimos, então não é impossível. Sou a favor do Revalida ser ainda mais difícil, afinal o exame é uma piada: o nível de dificuldade é baixíssimo. Sou a favor também do exame de ordem para estudantes brasileiros no 2o, 4o e 6o anos da faculdade para acabar com a zona das Uniesquinas de medicina.
 
Ricardo Mandetta em 31/10/2013 10:38:39
gostaria de ver os nossos estimados médicos brasileiros fazerem o revalida e passarem a critério de teste vocês irão ver o quanto é desleal esse exame (:
 
luiz teles em 30/10/2013 22:47:43
fico feliz por esses jovem que tem coragem,determinação para estudar no importa onde no paraguay e bom.Em qualquer lugar do mundo e bom sem as pessoa vivem de acordo de esse pais,tem que aproveitar PARABÈNS
 
gregoria cespedes martinez em 30/10/2013 19:26:35
Bela matéria parabens!!! Aos criticos tem que despreza los ignorantes...
 
FELIPE MARTINS em 30/10/2013 17:39:05
Paraguai é barato para quem recebe no Brasil.
 
Maria José em 30/10/2013 15:27:19
Pagar uma de bacana onde 1,00 Real vale mais de 2 mil guaranis que é moeda local do Paraguaí e, onde por 10 mil Reais da pra comprar uma hilux seminova é facil, quero pagar uma de bacana aqui no Brasil.
 
Marcos Wild em 30/10/2013 15:19:26
Depois, esses jovens pagarão um alto preço pela sua "formação": Não conseguirão REVALIDAR seus diplomas aqui no Brasil, pois de cada 10, apenas 01 consegue. Ademais, se nossos profissionais já são ruins, imaginem os formados naquele País!.
 
João Vitor dos Santos em 30/10/2013 13:20:34
Devia era ter uma debandada grande de brasileiros para estudar fora, só assim as universidades nacionais iam parar de crescer tanto e abusar cada vez mais nas mensalidades e taxas que temos que pagar, para fazer o Enem tem que pagar, para prestar vestibular tem que pagar, para se matricular tem que pagar, para se formar tem que pagar e como o governo não é bobo, as inscrições em concursos públicos viraram uma verdadeira mina de fazer dinheiro, virou moda, tá faltando dinheiro, abre um concurso, faz o concurso e não chama quem passou, mas o caixa tá feito, se apertar de novo abre-se um outro concurso e pronto.
 
Maximiliano Nahas em 30/10/2013 13:18:53
Juliana Baptista, agora com o programa Mais Médicos, todos os médicos formados no exterior não precisam mais revalidar o diploma, pois está muito fácil entrar no Brasil. E entre pagar R$4 mil na UNIDERP e R$400 no Paraguai, Bolívia, Cuba e afins, eles escolhem o mais barato. E desconfio da qualidade de ensino de instituições "baratas".
Quando prestei vestibular, prestei em 4 universidades e 3 anos de cursinho.
Mas já que a população aceita médico de qualquer lugar e nem questiona sua formação, enquanto a Dilma e cia se tratam no Sírio Libanês, quem sou eu para dizer o contrário?
 
Karina Rosa em 30/10/2013 12:46:51
Quanto a determinação dos jovens em conseguir oportunidades em outro país ,estão certíssimos e acho justo ! Agora concordo plenamente com a colega (Juliana Baptista), foi declarado na matéria que eles são " filhos de gente rica" pera ai gente .... Para tudo ! É logico que eles vão ter vida de BACANA aonde quer que seja ;) e outra coisa , não sei pra vocês mais pra mim 1,5 mil não é economizar O.O. De qualquer forma desejo sorte a todos os universitários ao qual procuram oportunidades fora do Brasil , já que aqui realmente deixa a desejar ...
 
Larissa Sleiman em 30/10/2013 12:33:19
Gostaria de saber qual o proposito da sua matéria, é para elogiar ou criticar. Nem todos que vão para Assuncion, frequentam baladas. Tal situação presenciamos aqui no Brasil, principalmente em Campo Grande, basta dar uma volta nos arredores das universidades. Você já observou a quantidade de carros estacionados? e o desfile de patricinhas?
Cada um é cada um, e você não de o direito de generalizar sua matéria. Outro detalhe: se as vagas para medicina não fossem vendidas , talvez a concorrência pelas vagas seria mais justa.
 
Marilene Benites em 30/10/2013 12:12:45
Tem coisas que acho estranho em meu Pais (Brasil), ao qual amo convictamente. primeiro só questionam a qualidade da faculdade porque é Paraguaia fato que ocorre frequentemente com a Bolívia. Se o camarada se forma nos EUA, o olhar sobre a sua formação já é outro, se procurarmos entender melhor esta questão veremos que saem ótimos e péssimos profissionais formados de qualquer faculdade do mundo. Isso não passa de uma visão preconceituosa. Só para constar sou totalmente a favor do revalida, e vejo sérias falhas no programa mais médicos.
E para conhecimentos dos que não sabem, um dos melhores dermatologistas de Campo Grande é Boliviano, pessoa simples e de extremo conhecimento e educação que adotou nosso Pais para viver e aplicar seu conhecimentos.
 
Edi Carlos em 30/10/2013 11:54:00
DESEJO TUDO DE BOM PARA ESTES JOVENS QUE ESTUDEM MAIS E MAIS SEMPRE E DEIXEM AS CRITICAS E COMENTARIOS QUE NAO ACRESCENTAM NADA DE UTIL DE LADO.DEUS SEMPRE ESTA DO LADO DE QUEM TEM OBJETIVO DE VENCER E AJUDAR O PROXIMO.QUE SEJAM EXCELENTES PROFISSIONAIS EM SUAS FUNÇOES
 
rejani rilke de oliveira em 30/10/2013 11:32:00
Só queria entender uma coisa, se são ricos, porque fazer faculdade em outro país, se podem muito bem pagar uma faculdade aqui. Vão ter que morar o resto da vida no Paraguai, pois para trabalhar aqui no Brasil, vai ter que fazer o revalida e de cada 10 pessoas, somente uma pessoa passa, e pelo jeito né....um fez cursinho e outra tentou 02 faculdades brasileiras e nada, e lá no Paraguai dizem que não precisa de vestibular. Só queria entender o motivo de fazer faculdade em outro país???
 
Juliana Baptista em 30/10/2013 08:30:39
SIMBORA PRO PARAGUA, MOÇADA! PELO JEITO, A VIDA POR LÁ É UMA FELPA! TRANQUILE, TRANQUILE....LA GARANTIA SOY JO!
 
ITAMAR BARROS em 30/10/2013 08:25:25
O Artur é daqui da nossa cidade (Jardim), pelo menos eu o considero, não sei ele. É um rapaz inteligente e fez certo, não dá no Brasil? vamos procurar onde é possível. Parabéns, Artur!
 
Rita Carmen Braga Lima em 30/10/2013 08:16:45
Olha ele...Parabens meu Amigo Arthur! Sucesso a vcs. "cuidado o jacaré" kkk...Abçs
 
José Everaldo em 30/10/2013 07:55:58
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.