A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

09/10/2015 06:54

Fiéis juram que Cerco de Jericó curou tumor, pagou conta e só falta achar neto

Paula Maciulevicius
Por sete dias, a igreja realiza o Cerco de Jericó, uma campanha de oração que faz alusão à história de Josué. (Foto: Paula Maciulevicius)Por sete dias, a igreja realiza o "Cerco de Jericó", uma campanha de oração que faz alusão à história de Josué. (Foto: Paula Maciulevicius)

É durante as sete voltas ao redor da Igreja Perpétuo Socorro que vemos a face dos fieis. Na campanha, enquanto as vozes entoam frases para derrubar muralhas, só é possível enxergar que a fé em milagres que podem sair dali é tão grande quanto a força com que as palavras são ditas.

Veja Mais
Aos 56 anos, Márcia é parceira do filho do tênis de LED ao Pokémon Go
Papai é a estrela, mas Mamãe Noel pode fazer toda diferença no Natal

Por sete dias, a igreja realiza o "Cerco de Jericó", uma campanha de oração que faz alusão à história de Josué, personagem da Bíblia que deu sete voltas em torno da "Terra Prometida" até as muralhas caírem. O grupo de fieis começou pequeno, com 20 pessoas e já alcançou 3 mil em Campo Grande. Cada edição traz gente nova e também novos pedidos. 

"O que muda nos sete dias? Acredito que hoje eu tenha mais espiritualidade, tenho recebido várias bençãos, a maior delas é estar em paz comigo e a minha família", diz a psicóloga Mara Medeiros, de 46 anos. As sete voltas feitas são atrás do "Santíssimo" e requer disposição dos fieis para enfrentar o sol que mesmo antes das 7h da manhã, já vem com tudo. Mas nem isso parece incomodar. A angústia e a certeza de que dali sairão soluções, é maior.

No último dia, são dadas as sete voltas em torno da igreja, como fez Josué. (Foto: Paula Maciulevicius)No último dia, são dadas as sete voltas em torno da igreja, como fez Josué. (Foto: Paula Maciulevicius)

"A doença do meu genro. Isso que o Cerco já fez, ele estava com um tumor no pulmão, quando os médicos fizeram cirurgia, não tinha mais nada. Neste, estou pedindo a um grande amigo que está doente também e que vai ter recuperação", 'profetiza' a aposentada Célia Maria, de 62 anos.

Coordenador do Cerco, Dagmar Lopes, de 54 anos, explica que a campanha é de cura e libertação, por isso vem atraindo cada vez mais fieis. "Todo mês nos reunimos para sete dias de orações e Adoração ao Santíssimo, e pelo poder da oração derrubar as muralhas que impedem o obra de Deus em nossa vida", sintetiza. Mensalmente, na vida dos que creem, ele sustenta que as bençãos são derramadas.

"Apaixonada" pelo cerco, dona Maria Alice Pereira Lopes, de 72 anos, tinha nas mãos as fotos da família para estender as benção a todos. A descrença no mundo está tão grande que, segundo ela, é preciso aumentar também a fé. O pedido deste Cerco foi pela vida financeira. "Pagar conta, é o pior para nós neste momento são as dívidas", relata. "Por isso eu venho pegar forças".

Grupo começou com 20 pessoas e já passou de 3 mil fieis. (Foto: Paula Maciulevicius)Grupo começou com 20 pessoas e já passou de 3 mil fieis. (Foto: Paula Maciulevicius)

Mas a força maior é para a avó Adelina Santos Silva. Aos 60 anos, a senhora querida agradece por acreditar que cada segundo de vida já é um milagre, mas pede também pelo neto. Em abril, completam três anos do desaparecimento dele. Ex-usuário de drogas, o rapaz tinha 17 anos, estava em tratamento e trabalhando quando sumiu.

"Deus só tem feito maravilhas, mas tem um pedido que ainda não consegui, meu neto..." O Cerco entrou na vida dela há 2 anos e já realizou o milagre de, pelo menos em parte do dia, dar paz à senhora. "Eu andava naquela agonia, naquela dor, não dormia à noite, saía procurando por ele. Não achava chão e aqui consegui encontrar paz para eu me controlar".

No meio de nós, dona Adelina diz saber que o neto não está mais. A paz maior vai vir quando a polícia disser onde ele está. "Cada ossada que sai, a gente fica com o coração na mão. Mas eu sei que onde ele estiver, Deus estava olhando por ele".

O próximo Cerco de Jericó começa dia 3 de novembro, das 6h às 6h45 da manhã, na Igreja Perpétuo Socorro.

No coração da avó, falta a benção de encontrar, ao menos a ossada, do neto. (Foto: Paula Maciulevicius)No coração da avó, falta a benção de encontrar, ao menos a ossada, do neto. (Foto: Paula Maciulevicius)



Bom dia!
A paz esteja contigo, Sr.(a) Miranda!
Primeiramente, quero dizer-lhe que, lamentável é ver um comentário igual ao do irmã(o) que em nada acrescenta na vida do próximo e busca, unicamente, atingir a doutrina católica!
Se nos denominamos "Cristãos", que nossas palavras sejam para edificar e não para acusar ou causar desunião, pois, como bom conhecedor (a) da Palavra, que acredito que sejas, Jesus não habita.
Em segundo, a Igreja não usa de meios para "segura fiéis", pois, aqueles que se foram nunca foram fiéis católicos realmente. Não se pode perder o que nunca se teve.
Segue abaixo, Evangelho Puro e simples, que dispensa comentários:
"Tudo o que pedirdes com Fé em Oração, vós o Recebereis"(Mt 21,22), "Não julgueis, e não sereis julgados"(Mt 7,1)
A Paz de Jesus e o amor de Maria
 
Medina em 09/10/2015 13:09:46
É lamentável ver até a igreja católica utilizando destes artifícios para segurar fiéis. Realmente é o fim dos tempos. Apostasia total. Quem começou com essa deturpação foi a Universal e se espalhou, pois isso segura pessoas que precisam disso para ter fé.
O evangelho puro e simples não agrada mais, é retrógrado para a maioria.
Pessoas como o Pastor Paulo Junior são realmente raras no dia de hoje. Prega a verdade pura, vejam videos dele no Youtube.
Jesus está voltando e a grande maioria dos Cristãos não estão percebendo. Quando verem será tarde demais.

Deixem as crendices de lado. Vejam o que a Bíblia diz sobre essas coisas. Despertem !!!

Antes que o grande dia venham como o ladrão que vem a noite !!!
 
Miranda em 09/10/2015 11:19:58
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.