A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

10/05/2016 06:10

Filha entrega noivo à mãe que decidiu voltar a amar e se casou aos 51 anos

Paula Maciulevicius
Rita foi levada pelo pai de 90 anos até o altar. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)Rita foi levada pelo pai de 90 anos até o altar. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)

De véu, grinalda e buquê em mãos, Rita se olhou no espelho no último dia 22 de abril, pronta para se casar. Aos 51 anos, a corretora de imóveis, viúva há duas décadas e mãe de três filhos, decidiu amar de novo, amar de verdade e dizer isso ao mundo. O escolhido? Luiz Valter, o noivo levado pela enteada até o altar foi primeiro amigo, para depois de se tornar namorado.

Veja Mais
Caligrafia da escola rendeu à Marystella a profissão de designer de lousas a giz
Luis ganhou o título de presidente e hoje é dono da própria cadeira no bar

Os dois se chamam por apelidos carinhosos: Bonito e Bonita, como declaração de amor e até nos momentos mais banais como pedir açúcar para o café. Evangélicos da Igreja Verbo da Vida, foi lá que os dois se conheceram quando Rita participou pela primeira vez da programação. O roteiro era Campo Grande - Aquidauana. O filho dele que havia convidado o dela para a viagem, Rita embarcou nessa e Luiz Valter, que nem tinha planejado, resolveu ir ali, de última hora, para dar continuidade ao papo com ela que tanto fluía.

Valter, separado desde 2007, havia feito um voto de não se envolver e nem se relacionar com ninguém. Queria aproveitar o tempo para, segundo ele, se dedicar à vida espiritual. E ela, desde que o marido morrera, não concordava em ter alguém em casa com quem não fosse casada por conta dos filhos. 

Noivo entrou com enteada, na ausência da família mais próxima. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)Noivo entrou com enteada, na ausência da família mais próxima. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)
Nervosismo do pai da noiva, misturado à alegria do casal. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)Nervosismo do pai da noiva, misturado à alegria do casal. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)
Nos votos, eles prometeram que nem a morte os separa. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)Nos votos, eles prometeram que nem a morte os separa. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)

O namoro só começou em julho de 2014, depois de quatro anos de muita amizade e compromissos da igreja compartilhados. "Até então, nunca teve nada. Porque foi uma escolha minha e dele, a gente realmente não queria se envolver, nosso maior objetivo era servir a Deus", conta Rita Cássia Aguiar Scaglia. Dois anos atrás, eles viram uma oportunidade se abrir: de decidir se ficariam só na amizade ou avançariam para um namoro. Escolheram amar.

"O amor, ele não é mais um sentimento. Ele é uma decisão. Todo dia você decide amar, independente dos defeitos, dos problemas", explica ela. O marido segue o mesmo raciocínio e diz que falar sobre amor é diferente de descrever uma paixão.

"Amor é algo que você desenvolve, tem que ser alimentado e vem pelo conhecimento, por escolha", completa Luiz Valter.

O pedido de casamento veio junto do de namoro. Isso porque Rita e Luiz já estavam namorando na prática, mas ainda não haviam oficializado. "Eu disse quando a gente começou: mas você nem me pediu em namoro e eu quero que você peça. Ele perguntou, eu falei que sim, porque é importante a gente falar as coisas", enxerga Rita.

Da pergunta do namoro ela já emendou no casamento e os dois justificam que é porque crente não namora, ou melhor, namora sim, mas com o propósito de trocar alianças. Luiz fez o pedido e se tornou noivo logo depois de promovido a namorado. Mas até o "sim", teve muita oração.

O amor, ele não é mais um sentimento. Ele é uma decisão, defende os noivos. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)"O amor, ele não é mais um sentimento. Ele é uma decisão", defende os noivos. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)

Para o grande dia, foi um ano de planejamento. A ideia era de - neste tempo - integrar os seis filhos. Três dele e três dela. Junto da tarefa de formar uma única família estavam os preparativos. Os dois faziam questão de um casamento com cerimônia e festa. 

"Nosso propósito era de casar com cerimônia e vestido, o ritual todo foi para os nossos filhos. Porque hoje qual é a imagem que se tem de família?" questiona a noiva. Rita ouviu de amigos próximos o por que iria se casar se ela já não estava feliz assim? "Justamente, eu sou feliz e quero fazer outra pessoa feliz. Era isso que eu respondia", lembra. 

A festa foi para 120 pessoas resumidas a familiares e amigos que compartilharam da história do casal onde o motivo principal era mais que o amor de um pelo outro. "Mostrar aos nossos filhos e amigos que vale a pena você se casar", completa a corretora. 

Levada pelo pai, de 90 anos, Rita se sentiu mais noiva hoje do que quando casou jovem. "Tive muito mais mimo agora do que no meu primeiro casamento. Tive dia de noiva, esse vestido lindo que minha filha me proporcionou. Era um sonho meu. Casar sempre vai valer a pena, porque tudo começa numa família", finaliza a noiva. 

Curta o Lado B no Facebook. 

Casamento teve cerimônia e festa para servir de exemplo aos seis filhos. Três dele, três dela. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)Casamento teve cerimônia e festa para servir de exemplo aos seis filhos. Três dele, três dela. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)
Casar sempre vai valer a pena, porque tudo começa numa família, finaliza a noiva. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)"Casar sempre vai valer a pena, porque tudo começa numa família", finaliza a noiva. (Foto: Salles/Morena Foto e Vídeo)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.