A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

25/08/2015 06:23

Mesmo grávida de 7 meses, Meire encontrou um amor que nunca desistiu dela

Paula Maciulevicius
Meire, Fábio, a filha Emanuelly e o caçula Felipe. (Foto: Arquivo Pessoal)Meire, Fábio, a filha Emanuelly e o caçula Felipe. (Foto: Arquivo Pessoal)

A selfie dos quatro foi no último domingo. Na foto estão Meire, Fábio e dois filhos do casal, depois de 21 anos de união. O marido e pai não têm só a cara de gente boa. A história dessa família mostra o quanto ele é do bem. Insistente no amor, ele nunca desistiu de Meire, a mulher por quem se apaixonou em 1994, mesmo ela estando grávida de 7 meses.

Veja Mais
No Tiradentes, brasão do Chapecoense surge na rua como uma homenagem do bairro
Com quadros de amigos e fotos do passado, casa de Isac é pura recordação

Os dois se conheceram no bairro Tiradentes, em Campo Grande. Ele, policial militar recém formado, costumava almoçar e frequentar o bar que ficava de frente para a casa de Meire. À época a jovem estava grávida e noiva. No sexto mês ela terminou o relacionamento e passou a receber recados. Fábio pedia a um amigo que dissesse o que ele não tinha coragem de falar, o interesse que sentia pela jovem. 

Além da proximidade do bar, Fábio conhecia Meire de vista, quando ela cruzava o pelotão para ir até a casa da avó. O mesmo amigo passou meses entregando recados. "Eu só ria, não respondia nada. Um dia eu disse: 'deixa eu falar uma coisa, aonde que você acha que eu vou acreditar numa coisa dessa? Um rapaz novo vai querer eu? Com uma barriga desse tamanho?" lembra Meire Rodrigues de Barros Quinteiro. Hoje com 40 anos, quando começaram as primeiras conversas ela tinha 19.

No aniversário de 1 ano de Emanuelly, a menina que Meire carregava na barriga quando conheceu Fábio. (Foto: Arquivo Pessoal)No aniversário de 1 ano de Emanuelly, a menina que Meire carregava na barriga quando conheceu Fábio. (Foto: Arquivo Pessoal)

A filha de Meire nasceu e o policial foi visitar. Um mês depois, os dois se encontraram num churrasco da dona do bar.

Foi quando deram o primeiro beijo. No dia seguinte, Fábio viajou e quando voltou, a primeira coisa que fez foi bater na casa da então mãe, Meire. Pouco mais de um mês de namoro e os dois foram morar juntos. Os três na verdade, o bebê também.

"Dia 25 de maio ficamos e dia 12 de julho fomos morar juntos. Ele cuidava da minha filha, fazia ela dormir todos os dias", recorda Meire. Fábio também tinha um filho de 2 anos que passou a chamá-la de mãe. Dois anos depois, nasceu o filho do casal.

"Esses dias comentei com uma pessoa, que isso de namorar e se conhecer, eu não tive namoro. Eu casei para conhecer. Tem gente que fala que não dá certo, sou a prova que dá certo sim", brinca.

Depois de 11 anos juntos é que eles foram se casar no civil. "Eu acreditei que podia dar certo no dia que ele voltou de viagem, deixou a bagagem e foi até a minha casa. Ou esse homem está desesperado atrás de uma mulher, ou de fato quer ficar comigo", pensou à época.

Todos os filhos do casal: Afonso com 24 anos, Emanuelly com 21, Felipe com 18. (Foto: Arquivo Pessoal)Todos os filhos do casal: Afonso com 24 anos, Emanuelly com 21, Felipe com 18. (Foto: Arquivo Pessoal)

Quando chega a vez dele falar, Fábio resume que "não tem explicação e foi amor à primeira vista". Pra gente ele conta que achou a jovem bonita mesmo grávida, ao vê-la saindo de casa. "Eu perguntava se ela não queria sair para passear, lanchar, andar", lembra Fábio Quinteiro, de 44 anos. A intermediação do amigo era porque o PM tinha receio de que ela tivesse um compromisso.

"Tinha gente que achava estranho, eu não ligava não. O dia que eu voltei de viagem e a gente se beijou de novo, aí eu vi que não tinha mais volta".

Meire passou por uma depressão séria há 8 anos, incluindo tentativa de suicídio. O casal se separou por oito meses, mas Fábio ia todos os dias visitá-la. "Eu amo ele todos os dias. Agradeço a Deus pela insistência. Ele nunca desistiu de mim".

"E já são 21 anos de amor, amizade, companheirismo, cumplicidade. Eu a amo igualzinho, desde o primeio dia", declara o PM.




Amo essa família! Saudades!
 
Gialyson Corrêa da Silva em 25/08/2015 17:17:10
A alguns anos, ficaria receoso com esta história de amor a primeira vista. Eu era cético. Até que um dia, conheci uma mulher pelo bate papo e depois MSN (no mesmo dia), e depois de 4 dias que a conheci pela internet, já estávamos morando juntos. Parecia loucura para muitos, mas...
Lá se vão 6 anos, 02 meses e 19 dias. Roseli era minha alma gêmea que encontrei graças a um complexo "acaso". Por isso hoje eu acredito sim, no amor a primeira vista.
 
Jonas_Inocencio em 25/08/2015 10:05:35
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.