A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

13/03/2013 06:56

Na velha rodoviária, donos cedem imóveis de graça a quem quiser abrir negócio

Ângela Kempfer
Heloísa mostra salas que são alugadas na base da parceria.Heloísa mostra salas que são alugadas na base da parceria.

A vontade de dar vida nova à antiga rodoviária de Campo Grande é tanta, que os donos estão cedendo os imóveis de graça para quem quiser montar algum negócio no prédio. Pelas salas, as menores com 21 metros quadrados, são cobrados apenas IPTU e condomínio, um desembolso de R$ 300 ao mês.

Veja Mais
Com quadros de amigos e fotos do passado, casa de Isac é pura recordação
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz

Dos 112 proprietários, 80 entraram em consenso e decidiram abrir mão do aluguel na tentativa de movimentar o espaço. A revitalização é o assunto dos últimos anos, desde a que o transporte foi transferido do local. Quem ficou, quer ter motivos para permanecer.

A pintura é feia, a estrutura ultrapassada, mas como foi deixada ao léu, artistas e empreendedores underground adotaram a velha rodoviária como “causa”. Vire e mexe, fazem alguma manifestação artística para deixar clara a preocupação com o endereço que já representou muito para a região.

Algumas pessoas já perceberam a nova vocação do prédio: a cultura. Já ocuparam o local, produtora, estilista, estúdio fotográfico, boate e escola de teatro. Hoje, a proprietária Heloísa Cury fechou acordo com mais um fotógrafo, por 6 meses. Se o estúdio vingar, depois o aluguel passará a ser cobrado.

Agora falta um bom bar, mas não qualquer um, lembra a dona de 12 salas no condomínio. “Mas não pode chegar aqui com uma churrasqueira e uma cadeira de plástico dizendo que é bar, isso a gente não aceita. Queremos um projeto bem feito, charmoso, com música ao vivo”.

O problema é que o condomínio fecha às 20 horas e só uma ocupação significativa do prédio garantiria o pagamento, por exemplo, de seguranças para o funcionamento até mais tarde.

Heloísa ainda tem 1 quadra inteira fechada, mas “detonada”, que espera conseguir transformar em sede de uma empresa grande, como uma academia. “Quem assumir a sala, terá de pagar só R$ 900,00 das taxas, nada mais por um ano. O que é esse valor para um ponto da Dom Aquino?”, comenta.

 

Á noite, todo o comércio termina às 20h.Á noite, todo o comércio termina às 20h.

Com o valor referente ao condomínio entrando, será possível dar uma “ajeitada” no prédio, lembra a empresária. “Muita gente não quer vir por achar tudo muito feio. Com esse sistema, vamos ter dinheiro para melhorar, para tudo ficar mais bonito”.

Ela segue com a propaganda, dizendo que há possibilidade da Câmara de Vereadores ou da Fundação de Cultura ocupar 6% do prédio, que é propriedade da prefeitura de Campo Grande. “Daí o movimento será melhor ainda”, garante.

Os dois cinemas da antiga rodoviária, Plaza e Center, estão à venda por R$ 1,5 milhão desde o ano passado, mas até agora ninguém apresentou proposta. O estacionamento subterrâneo, com 250 vagas, também espera um comprador. O valor inicial para os 4,7 mil metros quadrados era R$ 2,5 milhões, mas parece que o preço caiu.

O estilista Fábio Maurício ocupa um salão enorme no prédio. Há 8 meses trabalhava na avenida Joaquim Murtinho. “No começo tive receio, mas me surpreendi. Tenho uma missão, quero produzir algo diferente para mudar a visão sobre este lugar”.

O fotógrafo Igor Duarte está na antiga rodoviária desde dezembro. Começou fotografando shows do cantor Michel Teló e quando teve de montar estúdio, escolheu imóvel no lugar desprestigiado, mas de custo baixo. “Vim sem medo e não me arrependi. Acho que esse lugar ainda tem muito para ser aproveitado”, avalia.




A rodoviária velha poderia ser locada para o Grupo da VAN(Eles não construiram nada, ainda,em Campo Grande, em termos de Shoping). Quem sabe... Ou então, ofertá-la para alguns bancos e farmácias.

Gentil.
 
Gentil Pasqual Abati em 04/04/2013 20:01:08
Essa é a nossa Campo Grande,acabaram com o hipódromo,com a estação ferroviária(a história da cidade começou alí),com o parque de exposição,com os desfiles de carnaval da 14,com a feira da Mato Grosso,com o nosso futebol( a prefeitura impediu os clubes de treinar nos campos da cidade).Aquí é a terra dos Guaycurus, teve alguma história no passado e é preciso restaurá-la de novo!
 
Joelcio Fernandes em 13/03/2013 17:42:26
Muda a Camara de Vereadores de Campo Grande, prá lá. Assim resolve dois problemas.
 
Denis Luz Lara em 13/03/2013 13:22:34
Isso é vergonhoso com a historia de campo Grande. Um local que antes era orgulho e movimentava a economia municipal, deixada de lado pelas autoridades publicas municipais. É pena....Mais um dos váris descasos de nossa classe política. Por isso estão e são tão desacreditados.
 
MILTON BARBOSA em 13/03/2013 12:53:08
Um Centro Cultura!! VOLTA CINECULTURA!!!
 
JESSICA MACHADO em 13/03/2013 11:43:40
Campo Grande tem espaço para mais um Shopping Popular, ( Camelódromo) até porque o atual é inviável transitar dentro dele, de tão apertado.... poderia ser um enorme shopping Popular, a temperatura dentro da Rodoviária antiga é muito mais agradável do que o Atual Camelódromo.....
 
Edson Silva em 13/03/2013 11:24:21
O municipio poderia adquirir esta area e fazer a demolição do predio, ganhando uma boa area para a construcão de um terminal rodoviario no centro para facilitar a todos que morem longe da atual rodoviaria para pelo menos dar movimento ao local que hoje esta morto, mas que seja uma obra mais moderna como em outras capitais com um shopping, um centro comercial, base da policia para coibir a presença de usuarios de drogas e prostitutas.
 
César Catunda em 13/03/2013 10:52:56
Sim...tb concordo que deveriam usar os espaços com órgãos públicos estaduas, federais ou municipais. Seria uma boa, central e prático. O imóvel pode nao ser de direito público porém poderiam negociar Se continuar abandonado daqui a alguns dias será mais uma ruína na cidade, servindo como alojamento de andarilhos,drogados e outros mais.
 
sonia helena lino em 13/03/2013 10:37:42
Esta rodoviária já foi a galinha dos ovos de ouro de muito gente ,só se preocuparam em colher os ovos e não cuidaram da galinha toda ação tem uma reação,ai está as conseqüências ,qualquer leigo sabe se der uma ajeitadinha ela vai voltar a atrair a população e por consequência lucro aos donos; basta uma visão futura.
 
Jonas Alves em 13/03/2013 09:56:37
Podiam abrir várias lojas voltadas ao Rock, como a Galeria do Rock em São Paulo. A quantidade de pessoas que frequentam lá é impressionante, pelo Google Street View dá pra ter uma noção, as pessoas ocupam as ruas porque as calçadas não dão conta. O mobiliário e até mesmo o "ar" da Rodoviária remete aos anos 70/80, auge do Rock, tem tudo a ver.
 
Paulo Medeiros em 13/03/2013 09:28:02
Sempre pensei que seria mto útil ter na antiga rodoviária órgãos públicos como delegacia do menor, posto de arrecadação de impostos, junta militar etc. Quem sairia ganhando seria a municipalidade, mas parece que aqueles que deveriam pensar no bem da coletividade só pensa no bem estar deles e se esquecem que são pagos para servirem à comunidadese é justamente o que jamais vimos é isso.
 
fabio lopes em 13/03/2013 09:08:17
Angélica, ao contrário do q a grande maioria dos campograndenses pensa, o prédio NÃO É público.
 
Bergo de Almeida em 13/03/2013 08:32:36
porque não reformam e colocam órgãos públicos ou municipais seria uma boa, central e prático até mesmo um posto de saúde ou hospital
 
angelica miranda em 13/03/2013 08:15:32
Excelente iniciativa!!!!!! Com Certeza este lugar tem muito valor pra Campo Grande, basta tirar os pontos de prostituição e drogas que o cercam.
 
Edir de Souza em 13/03/2013 07:25:36
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.