A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

24/10/2012 15:47

Não, Luan Santana não quer saber da morte dos índios

Ângela Kempfer e Anny Malagollini
Luan começou turnê internacional. (Foto: Divulgação)Luan começou turnê internacional. (Foto: Divulgação)

Há dias o assunto tem provocado discussões quentes nas redes sociais, até que o motivo de tanto debate acabou desmentido ou melhor, amenizado. Os índios guarani kaiowá de Mato Grosso do Sul não vão cometer suicídio coletivo.

Veja Mais
Uber multado, reajuste de ônibus e cidade sob chuva bateram recordes nas redes
Do Corinthians ao canteiro de obra, zagueiro que virou servente tem nova chance

Para quem não acompanha Facebook, uma carta escrita pela comunidade guarani fala em morte coletiva, por conta da situação de miséria que nenhum sul-mato-grossense pode fingir desconhecer. Alguém interpretou o texto como “suicídio coletivo” e daí  surgiu a mobilização "urgente" para “salvar” os índios, pedir demarcação...

Hoje, até a figura de Luan Santana entrou na conversa, o que de pronto foi respondido pela assessoria dele. "De onde você tirou".

Todo mundo "tirou" de uma reportagem falsa postada na internet garantindo que o cantor decidiu nunca mais fazer shows em Mato Grosso do Sul em apoio à causa indígena.

Um astro com perfil de Luan Santana teria tamanha revolta? Mas como tudo dito nas redes sociais vira verdade, teve gente que acreditou e saiu escrevendo comentários do tipo: “Nossa, subiu no meu conceito!”

Primeiro esclarecimento: o jornal da suposta reportagem, o Diário Pernambucano, é uma versão do tipo “100% sarro”.  Dia desses, a manchete era a construção de uma ponte que ligaria Porto Seguro a Fernando de Noronha.

Segundo ponto: no momento, Luan está mesmo interessado em conquistar o mundo.

Bem grande, no perfil do cantor no Facebook a frase comprova: “Depois de conquistar o seu País, chegou a vez de conquistar o mundo”, sobre turnê internacional que começou por Angola, segue em novembro pelos Estados Unidos e termina em Portugal.

Para os fãs preocupados, a assessoria garante: o lugar onde Luan mais gosta de estar é em Mato Grosso do Sul. Mas vamos ser justos com o menino. Quantas estrelas no Brasil estão ligando para os índios de Mato Grosso do Sul? Quantas pessoas realmente dão importância ao que o povo guarani precisa? Dá para crucificar o Luan Santana?

E para quem quer saber o que é verdade, segue a carta dos índios de Mato Grosso do Sul:

Nós (50 homens, 50 mulheres e 70 crianças) comunidades Guarani-Kaiowá originárias de tekoha Pyelito kue/Mbrakay, viemos através desta carta apresentar a nossa situação histórica e decisão definitiva diante de da ordem de despacho expressado pela Justiça Federal de Navirai-MS, conforme o processo nº 0000032-87.2012.4.03.6006, do dia 29 de setembro de 2012. Recebemos a informação de que nossa comunidade logo será atacada, violentada e expulsa da margem do rio pela própria Justiça Federal, de Navirai-MS.

Assim, fica evidente para nós, que a própria ação da Justiça Federal gera e aumenta as violências contra as nossas vidas, ignorando os nossos direitos de sobreviver à margem do rio Hovy e próximo de nosso território tradicional Pyelito Kue/Mbarakay. Entendemos claramente que esta decisão da Justiça Federal de Navirai-MS é parte da ação de genocídio e extermínio histórico ao povo indígena, nativo e autóctone do Mato Grosso do Sul, isto é, a própria ação da Justiça Federal está violentando e exterminado e as nossas vidas. Queremos deixar evidente ao Governo e Justiça Federal que por fim, já perdemos a esperança de sobreviver dignamente e sem violência em nosso território antigo, não acreditamos mais na Justiça brasileira. A quem vamos denunciar as violências praticadas contra nossas vidas? Para qual Justiça do Brasil? Se a própria Justiça Federal está gerando e alimentando violências contra nós.  Nós já avaliamos a nossa situação atual e concluímos que vamos morrer todos mesmo em pouco tempo, não temos e nem teremos perspectiva de vida digna e justa tanto aqui na margem do rio quanto longe daqui. Estamos aqui acampados a 50 metros do rio Hovy onde já ocorreram quatro mortes, sendo duas por meio de suicídio e duas em decorrência de espancamento e tortura de pistoleiros das fazendas.

Moramos na margem do rio Hovy há mais de um ano e estamos sem nenhuma assistência, isolados, cercado de pistoleiros e resistimos até hoje. Comemos comida uma vez por dia. Passamos tudo isso para recuperar o nosso território antigo Pyleito Kue/Mbarakay. De fato, sabemos muito bem que no centro desse nosso território antigo estão enterrados vários os nossos avôs, avós, bisavôs e bisavós, ali estão os cemitérios de todos nossos antepassados.

Cientes desse fato histórico, nós já vamos e queremos ser mortos e enterrados junto aos nossos antepassados aqui mesmo onde estamos hoje, por isso, pedimos ao Governo e Justiça Federal para não decretar a ordem de despejo/expulsão, mas solicitamos para decretar a nossa morte coletiva e para enterrar nós todos aqui.

Pedimos, de uma vez por todas, para decretar a nossa dizimação e extinção total, além de enviar vários tratores para cavar um grande buraco para  jogar e enterrar os nossos corpos. Esse é nosso pedido aos juízes federais. Já aguardamos esta decisão da Justiça Federal. Decretem a nossa morte coletiva Guarani e Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay e enterrem-nos aqui. Visto que decidimos integralmente a não sairmos daqui com vida e nem mortos.

Sabemos que não temos mais chance em sobreviver dignamente aqui em nosso território antigo, já sofremos muito e estamos todos massacrados e morrendo em ritmo acelerado. Sabemos que seremos expulsos daqui da margem do rio pela Justiça, porém não vamos sair da margem do rio. Como um povo nativo e indígena histórico, decidimos meramente em sermos mortos coletivamente aqui. Não temos outra opção esta é a nossa última decisão unânime diante do despacho da Justiça Federal de Navirai-MS.    




luan te amo e fico feliz por vc ta namorando bjos
 
thais FERNANDA PASETTI em 05/02/2013 19:30:32
eu adoro ele sou de pernambuco tenho um carinho por ele e acho que é mentira tudo isso luan santana nunca iria deixa a sua terra para lá beijos te AMO KKKKKKKKKKKKK APOS VIU CONHO
 
fernanda ribeiro em 10/12/2012 09:42:54
Seria legal o Luan gravar um clipe junto com os indios daqui... Estourava no mundo inteiro. A imprensa mundial o divulgaria e ele poderia apontar MS no mapa por uma causa justa. Estratégia perfeita!
 
Anita Ramos em 06/11/2012 22:09:55
meu deus vao cuidar das sua vida deixa o luan em paz
 
tarissa saavedra em 29/10/2012 13:56:03
meu deus quando que esses povos
vao deixar o luan em paz em ?
sempre inventando fofocas e etc
do garoto eu em.....
 
carla dias em 29/10/2012 08:45:20
eu queroconhecer elle pq elle é muito lindooooooooooooo
 
larissaa sousaa em 27/10/2012 08:15:21
Até parece que o Luan que ama tanto nosso estado iria deixar de fazer shows aqui por isso! enquando esse povo inventa fofocas, ele vai ganhando sucesso pelo mundo!
 
Bruna Ximenes em 26/10/2012 20:19:23
ainda tem gente que ñ entendeu o texto bando de burro, tem q escutar luan santana msm!
 
henrique andrade em 26/10/2012 12:04:19
Eu não acredito nisso cara!
 
Dominique Barbosa em 25/10/2012 20:03:22
Muito se falou do assunto, desmentidos, esclarecimentos de assessorias, tudo ok. No entanto, algo me chamou mais a atenção: Antes dos esclarecimentos, o que mais se viu foi críticas e dúvidas sobre a intenção sincera de Luan. Ora, isso cheira mesmo mais uma ação preconceituosa de pessoas que não suportam que um artista da música popular (pra alguns isso é depreciação) não possa ter esse tipo de atitude. Então, quando um artista dito "cult" chama a atenção pra um problema desses, ele é chamado de "engajado"; quando é um artista de segmento musical mais simples, ele é falso, metido e outros adjetivos depreciativos? Por favor, gente. Vamos parar com esse "bulling musical" contra os artistas populares. Acredito que o Luan Santana é capaz de um gesto dessa grandeza. Que outros façam o mesmo.
 
José Carlos dos Santos em 25/10/2012 16:00:11
te amo lindo vc canta muito bjjjjjjjjjjjjjjjjjiiiiiiiiiiiiiiiii
 
divina oliveira em 25/10/2012 14:38:34
Caso isso, seja verdade parabéns ao cantor Luan Santana e que se envolva em mais questões sociais. Parabéns.
 
Mário Rosa em 25/10/2012 11:30:54
E, por favor, esse mito de que somos um único povo miscigenado e de que somos todos tratados igualmente já caiu há muito tempo. Se fosse assim, os negros não estariam em grande maioria espremidos nas favelas ou em cadeias, massacrados pelas forças policiais que classificam todos como bandidos e traficantes, e os índios não estariam sendo atacados diariamente por pistoleiros e proprietários de terra, sem nenhuma declaração ou sinal de atenção do governo.
 
Vicente Carvalho em 25/10/2012 11:05:06
É verdade, oficialmente os índios têm direito a 12% do território, o que é o mínimo depois de terem quase sido dizimados e espremidos em pequenas faixas de terra, território que há milhares de anos é habitado por eles e seus ancestrais. Mas, na verdade, isso nunca ocorreu na prática, estão em todo lugar sendo ameaçados por pistoleiros dos grandes proprietários de terra, sendo que em grande parte tratam-se de terras improdutivas, destinadas apenas à especulação imobiliária. Engraçado que todo mundo fala dos plantadores de cana, soja, milho, mas grande parte dessas terras pertence a bancos, atores de novela e políticos, sem nunca terem produzido nada!
 
Vicente Carvalho em 25/10/2012 11:00:39
Infelizmente não temos mais artistas engajados, a ponto de colocar em jogo sua própria liberdade e o conforto de morar em seu próprio país, por causas justas e pela luta de seu povo. Vida longa aos verdadeiros artistas que se insurgiram na época ditadura e por isso tiveram que se exilar. Vida longa a Chico Buarque, Geraldo Vandré e muitos outros ícones.
 
Diego Franco em 25/10/2012 10:49:36
Costumo estar sempre atualizado, e lendo dois comentarios acima ou abaixo, chego a seguinte conclusao:
0,03% tem 22,9% - e produzem quase toda a riqueza nacional.
0,4% tem 12% - e nao produzem nada , vivem as custas dos 0,03%.
SEM CONTAR OUTROS MAMADORES, APROVEITADORES.
 
Joao da Luz em 25/10/2012 09:48:29
hoje em dia, as pessoas só se preocupam com os grupos, são cotas para indios, cotas para negros, conta para isso e cota para aquilo, perdemos a consciencia que todos nos somos brasileiro e temos direitos e responsabilidades iguais. Os indios estão incluidos nesse rol, pois desde que eles desejam a terem direitos tambem tem deveres, a maioria das pessoas só querem saber de direitos, pois o governo acostumou com esses beneficios tais como bolsa familia, bolsa escola, bolsa disso e daquilo, e as pessoas não querem mais trabalhar pra não perder esses beneficios, é logico que tem pessoas que precisam desses beneficios, deveria ser temporario e nao permanente.
 
Angela Franca em 25/10/2012 08:15:08
Seria bem melhor se os fazendeiros fizessem um acordo com a funai e os Indios,os fazendeiros fica com a terra e se responsabilizam em sustentar as familias Indigenas,ja que os Indios querem terra mas nao plantam nada so espera o governo mandar cesta basicas todos os meses. Então pra que querem terra,eles não plantam mandioca,feijão nem milho.Que na minha opinião e o minimo.
 
saulo bitencurt em 25/10/2012 08:08:40
Essa foi por pouco, já pensou eu comprando um cd desse rapaz kkk ufa!
é óbvio que é suicídio coletivo. Achei ótimo o alarde para que possamos acordar pra essa questão tão séria!
 
Izabel Antunes em 25/10/2012 01:23:48
Para o colega que gosta de estatísticas:
Dados do IBGE mostram que 67 mil grandes proprietários de terra detêm 195 milhões de hectares, ou seja, apesar de representarem apenas 0,03% da população brasileira, possuem 22,9% do território nacional. Por onde deveríamos começar a fazer justiça?
 
Fábio Alkmin em 24/10/2012 19:16:06
LUAN EU TE AMO MT BJAOOO DAS SUA FAMQ TE AMA MT
 
VANESSA FREITAS em 24/10/2012 18:30:22
luan te amo d+ vc e td de bom vc e d +..............................................
lindo e canta muuuuuuuuuuuito bem o melhor cantor do mundo intero.
sou uma das suas maiores fas.......

bjsssss te vivo
 
mikaely jeremias em 24/10/2012 18:00:49
O que eu acho criminoso é alguem ficar falando de jornalismo sem entender nada. a reportagem esta perfeita. Fala em tom descontraído de assuntos serios. talvez assim entre alguma coisa na cabeça de gente que todos os dias vê indios se matarem aqui e nunca tentou saber porque.
 
GERSON JANUARIO em 24/10/2012 17:51:57
Conforme Censo 2010/IBGE, os índios, apesar de representarem apenas 0,4% da população brasileira, possuem 12% do território nacional.
 
RODRIGO DA COSTA em 24/10/2012 17:40:28
O jornalismo deixou de ser interessante após o surgimento da editoria Facebook.
 
Leandro Passos em 24/10/2012 17:03:10
É obvio que é suicídio coletivo, eles decidiram ficar ali, na terra ancestral deles, caso contrário pedem para cavarem uma cova lá mesmo e os enterrarem, se isso não é suicídio coletivo é o que?
 
Cintia Bezerra Possas em 24/10/2012 16:52:10
CRIMINOSO. Esse é o teor desta matéria.
Com certeza é interessante abordar que a história é balela. Não estou defendendo Luan Santana. Mas defendo o bom exercício jornalístico.
Jogar um juízo de valor no título "LUAN NÃO QUER SABER DOS ÍNDIOS" é, no mínimo, maldade. Não creio no discurso hipócrita de isenção. Mas neste caso, a opinião do jornalista em nada acrescenta à sociedade. Se as repórteres não gostam do artista, de nada importa. Uma porrada de gente, inclusive eu, também não gosta.
Nem precisamos de muita semiótica pra entender que a chamada quer sugerir que o cantor é um alienado ou insensível que "não quer saber dos índios". Em algum momento ele e a assessoria citaram isso? Ao menos não é o que parece. Caso tenham citado, expliquem com aspas na reportagem, por favor. (CONTINUA)
 
Marcos Harth em 24/10/2012 16:43:05
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.