A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

11/09/2013 06:26

Pai de santo desde os 16 anos, jovem mora em terreiro e foge dos estereótipos

Paula Maciulevicius
Longe daquela imagem que se tem dos pais de santo, jornalista é sacerdote há 9 anos. (Fotos: João Garrigó)Longe daquela imagem que se tem dos pais de santo, jornalista é sacerdote há 9 anos. (Fotos: João Garrigó)

Ele é branco, jovem, pai de família, não fuma cachimbo a todo momento e fala da religião com paixão. Lucas Junot Dutra Morisson, 25 anos, é pai de santo dentro do Candomblé desde os 16 anos. Brincalhão, cercado de amigos crendice afora e jornalista, ele quebra qualquer estereótipo que venha à cabeça. "As pessoas acham que vão pegar um sacerdote velho, gay e acham que é um padrão. Assim como eu, tem outros jovens. A maioridade religiosa independe da cronológica. Se a pessoa tem vocação, ela tem a missão de ter uma casa e cuidar dos outros", diz. Claro que para chegar até esse nível foram sete anos de preparo e uma sabatina até que lhe fosse dados os direitos de pai de santo.

Veja Mais
Astrologia védica mostra o futuro, mas também ensina a aceitar o destino
Como mágica, o amor encontrou o palhaço e romance vive liberdade em belas fotos

O termo abrasileirado para o sacerdote é "babalorixá", mas popularizou devido ao significado de 'baba' ser papai, e 'orixá' como zelador espiritual. A tradução que caiu na boca do povo ficou como pai de santo e na cabeça de muitos, vem carregada de preconceito. O rapaz que, por exemplo, te acompanha num bar para uma cerveja e vai pra balada final de semana, mora dentro de um terreiro que hoje tem 60 frequentadores, de crianças à senhoras que o chamam de pai. O jovem encara a religião como modo de vida, tanto é que passa os princípios para quem perguntar. Quando do outro lado, se ouve quem ele é, a reação imediata, segundo ele, é de curiosidade, justamente pelo estereótipo que muita gente tem formado.

O pai de santo não tem nada da imagem de charlatão e tem o jornalismo como profissão, ou seja, nem ele e nem a família vivem do terreiro. Quem frequenta, costuma contribuir apenas para manutenção da casa. "Não é uma condição, mas como é um templo religioso e que não é isento de água, luz e impostos, as pessoas, quando podem, contribuem. Mas para a minha vida pessoal, daqui não sai 1 real", deixa bem claro.

Além da luta que trava para vencer o preconceito contra a religião, ele ainda se depara com supostos pais de santo que aparecem na mídia cometendo crimes em nomes de rituais. "Falo que sou do Candomblé e as pessoas veem com olhos ruins. É como qualquer religião, acredita no bem, no amor, não tem nada de negativo, a maldade está no coração das pessoas". O último caso de ganhou as manchetes, de homem que se passava por pai de santo, estuprou mulheres dentro do que chamava de rituais. "Não existe qualquer conotação sexual em qualquer ritual. Eu sou pai de santo, eu zelo pelos meus filhos, seria como incesto", explica.

Ele trabalha pelos outros e também para desmistificar o que se formou em torno da fé que acredita.Ele trabalha pelos outros e também para desmistificar o que se formou em torno da fé que acredita.

Filho de mãe de santo, ele cresceu em uma casa democrática. Tanto é que entre os dois irmãos, um é ateu e o outro pastor. "Minha mãe não deixava, ela falava que a gente tinha que crescer para escolher o que queria ser na vida. Aos 9 anos eu manifestei o desejo de estar aqui e me iniciei. Fui me relacionando com as pessoas e isso contribuiu muito para o meu amadurecimento e sensibilidade", diz.

Dentro de uma religião primitiva que não tem Bíblia e os ensinamentos passam de boca a boca, ele resume que ser do Candomblé é mais do que praticar. "É modo de vida, não tem nada de capeta. A gente lida direto com a natureza. Cada força da natureza é regida por um orixá, terra, ar, floresta, rio e mar e a soma de tudo isso é o que nós entendemos como Deus. O Candomblé é uma religião monoteísta", reforça.

Como pai, o trabalho dele, apesar de pouca idade, é de aconselhar e orientar quem precisa. No fim acaba sendo uma troca, ele ouve as histórias de vida e se dedica às pessoas e a desmistificar o nome da fé em que crê. Em uma conversa de minutos, se o assunto chegar à religião, é certo que ele assume para quem for a posição que ocupa dentro do Candomblé. Não por querer mostrar superioridade, mas por assumir a própria identidade. "Se hoje eu sou uma pessoa de bem, eu devo isso à minha religião, isso me formou ser humano, eu assumo em qualquer circunstância e me orgulho disso".

O endereço para caronas ou mesmo para um tereré, é o próprio terreiro. Piadista, o rapaz diz que gosta de tomar cerveja e como qualquer outra pessoa, trabalha para pagar as contas. "Mas parece uma coisa mágica, quando eu passo deste portão, esvazio de tudo que possa ser ruim".

Pai de santo há 9 anos, ele faz o convite para uma conversa. "Se alguém estiver precisando de conversa, de um bom conselho, eu como sacerdote, esqueço que tenho problema e vou pensar na resolução do seu, quando eu olhar para o meu de novo, a minha angústia, dor, vai ter sumido também. Isso é uma coisa muito especial pra mim", prega.

O preconceito bate à porta diariamente e muitas vezes até vem em forma de pedras. O terreiro onde mora e trabalha espiritualmente, na Vila Nasser, é frequentemente atingido por pedras, acompanhadas de xingamentos ao "macumbeiro". "Se todos que veem com olhos ruins tivessem a oportunidade de ouvir as histórias de vida que eu vi e ouvi, iam se esvair, a minha recompensa é essa coleção de histórias de vida. Candomblé pode não servir pra todo mundo, mas também não faz mal a ninguém", finaliza.




Que Deus Tenha Piedade de Suas Almas .
Senhor, Perdoe-nos . Pois Não Sabe o Que Fazem !
Sangue de JESUS Tem Poder .
 
Andre Lucas em 17/02/2014 13:39:51
preciso de tel e endereço,preciso muito conversar com o PAI DE SANTO LUCAS
 
thais rodrigues em 18/12/2013 19:42:24
Por favor, poderia ter o seu contato Lucas? Gostaria de conversar sobre um problema.
 
Gicele Silva em 16/12/2013 13:20:18
gostaria do endereço do terreiro.
 
Beatriz Gusso em 11/11/2013 09:19:04
Boa Tarde a todos!!!!! olha so gente aconteceu uma situaçao chata comigo hoje!!!! nao conheço esse tal de lucas seu nome ne amigo!!!! e ele invadiu meu face me acusando de ter postado uma comentario que esta logo acima sabe jesus do que!!!! porque quem postou se chama roberto mattos e meu nome tambem termina com mattos!!!!! gostaria de saber que p.. e essa!!!!! de onde voçe saiu e com que liberdade voçe entra no face das pessoas que nao conheçe e julga e acusa sem saber ao menos se realmente nao elas!!!!! voçe sabia que isso e caso de processo amigo!!!!! provavelmente sua imagem nao deve estar boa para aquele comentario do tal roberto mattos!!!! so que eu vou te falar uma coisa vou abrir um boletim de ocorrencia em seu nome por acusar pessoas que nao sabem nem que voçe existe
 
roberto cesar mattos em 30/09/2013 15:42:58
Não existe religião ruim, existem pessoas ruins!
Reflitam!
 
Roberto Rocha em 13/09/2013 12:50:49
MEU DEUS, ESSE POVO NÃO CONHECE O SEU PODER E SEU AMOR, CAMDOBLÉ RELIGIÃO.
 
jane fernandes souza em 12/09/2013 17:00:22
Bom dia Achei bem interessante a matéria .
Porém todos em Campo Grande conhecem Lucas. Sabem que ele foi Ogán da casa do Alexandre Oxum em Campo Grande, nao iniciado(raspado) .
Nao to julgando aqui a pessoa de ninguem mas nessa religiao temos hierarquias e regras.
Se fosse iniciado pelo menos nem taria postando esse comentário, mas campo grande inteiro conhece essa historia, Quem tem dinheiro traz pai de santo de renome em SP e faz o que quer. Na nossa nação ketu, nao raspamos Ogá pois ele pode ser tomado pelo orisa a qualquer momento, mas quem nunca raspou santo nuuuuuuuuuunca irá se manifestar.
Nao podendo essa pessoa se tornar Sacerdote ou Babalorixa ou Pai de santo como queiram...
 
Roberto Mattos em 12/09/2013 11:14:51
Interessante a matéria. Porem as pessoas realmente falam o querem.
 
roberto moraes em 12/09/2013 10:38:11
Quero registrar meu agradecimento por todos os comentários de apoio e também em respeito às opiniões divergentes. Apenas a título de esclarecimento uma correção: Fui INICIADO no candomblé em 1999. Em 2006, respeitando portando meus sete anos de preparação, aprendizado e obrigações religiosas, me foi designada a missão do sacerdócio e me outorgado o título de sacerdote.
Estou muito feliz com a repercussão desta matéria, não pelo meu nome, nem pelo do meu terreiro, mas porque a liberdade religiosa, a fé e o amor em Deus, seja Ele qual denominação tiver, é algo que quero, não só para os meus, mas para os filhos e netos de toda humanidade.
Como profissional da comunicação também parabenizo o Campo Grande News, o Lado B e a repórter Paula Maciulevicius pela sensibilidade e correção na abordagem
 
Lucas Junot em 12/09/2013 01:12:59
Quero me expressas e parabenizar sua mãe por deixar vcs escolherem os seus caminhos, fico feliz, pois já participei do candomblé linha branca e linha cruzada, mais ou sou evangélico porque achei esse caminho melhor para minha vida, outra coisa dizem que estamos em tempos de fanatismo evangélico, mas como no candomblé tem seu falso e seu mentirosos fanáticos, assim tbm tem no evangélico. parabéns saiba que seu irmão ora por vc.
 
Anderson s Borges em 11/09/2013 23:53:35
Parabéns ao Campo Grande news pela matéria dirigida pela excelente jornalista Paula. Sou a mãe carnal do Sacerdote Lucas, de quem muito me orgulho pelo seu caráter e dignidade.
Percebi que a matéria provocou muitos comentários e na sua maioria positivos. Contudo, algumas pessoas sentiram se no direito de tecer comentários caluniosos, difamatórios e grosseiro. A essas pessoas faço um convite para que venham nos conhecer, depois disso aceitaremos suas críticas.
Rua santa Isabel, 691 Bairro Santa Luzia
Fone: 9259.4366
Sacerdotisa, Mãe Zilá
 
Zilá Dutra em 11/09/2013 23:34:21
Ao senhor "Allan carlos dantas",
O Pai Lucas é sim um Babalorixá. E é tão completo e sábio, que é capaz de exercer até as funções de um Ogan. Sou filho da casa dele, iniciante na religião e, futuro Ogan. Caso você queira tirar a prova do Sacerdotismo do Pai Lucas, sinta-se convidado a visitar a casa e tirar suas dúvidas.
Axé.
 
Sérgio Scheifer em 11/09/2013 23:28:59
Senhor "Pai de Santo" branco, venho informar que como jornalista e Sacerdote, tu és bem mal informado pois:O senhor disse: " como é um templo religioso e que não é isento de água, luz e impostos...". Venho informar que: Segundo a Lei nº 3.193, de 4 de julho de 1957:Art. 1º - À União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios é vedado lançar imposto sobre templo de qualquer culto, bens e serviços de partidos políticos, instituições de educação e de assistência social, desde que as suas rendas sejam aplicadas integralmente no País para os respectivos fins (Constituição Federal, Art. 31, V, b), ou seja, estás atuando ilegalmente.

Se cada força da natureza é regida por um Orixá diferente. Logo, o Candomblé não é uma religião monoteísta e sim POLITEÍSTA. Precisa estudar bem mais!!!!
 
Julia Marconi em 11/09/2013 22:24:19
Continue firme trabalhador do bem, pois o amor de um, neutraliza o ódio de milhões.
Palavras de Gandhi.
 
Mirella Forti Cossignani em 11/09/2013 21:38:18
Parabéns para o Campo Grande News pela matéria, bem redigida e sem tendências. Hoje é muito raro um jornal expor a imagem da religião de atriz africana sem tendenciosidades ou mesmo preconceito.
Lucas parabéns e continue sendo este Babá de sabedoria e respeito conquistados.
Pai Césio de Ogum Megê-Brasília-DF
 
Césio Malta-Pai Césio de Ogum Megê em 11/09/2013 20:25:15
Parabéns Lucas pelas suas palavras e esclarecimentos. Conheço ele desde criança e sempre foi um grande companheiro.
Um grande abraço.
 
Diego Mello em 11/09/2013 18:14:27
Excelente matéria!! Sei o quanto algumas pessoas leigas se preocupam em rotular essas religiões de macumbeiras, sem saber ao exato o que acontece dentro dos templos. Digo isso pois sou Demolay, e gostaria, se possível, que o Lado B faça uma reportagem abordando a Maçonaria e suas Entidades Paramaçônicas. Parabéns ao jovem Lucas, siga sempre acreditando nos seus ideiais, pois falácias e calúnias sempre existirão, mas demonstre sempre um verdadeiro amor ao seu Deus, que quando partistes desta vida serás recompensado. Grande abraço!!
 
Luiz Afonso Fadul Gonçalves em 11/09/2013 17:37:50
qual o endereço do terreiro de lucas????
 
raquel rios em 11/09/2013 17:04:41
Como ateu, sou um dos que sofrem grande preconceito assim como outras minorias, que inclui adeptos do candomblé. Eu tenho medo que a relação de grandes igrejas com a política e mídia intensifique esse preconceito e até restrição da liberdade religiosa (ou não-religiosa, como é meu caso) que é tão valiosa. Espero que casos como este mostrem que somos todos seres humanos, que temos nossa vida social, amigos e costumes como qualquer outra pessoa e que não somos um bicho de sete cabeças. Fiquei preocupado com manifestação de pastores famosos pelo país condenando práticas diferentes das deles, quero que os fiéis possam abrir os olhos enquanto é cedo, pois depois que o estrago é feito, só nos restará lamentar.
 
Fernando Valencia em 11/09/2013 16:56:33
luiz alves em 11/09/2013 09:52:54
Esquisito é não ter religião ou fazer parte de um grupo do bem. Está fazendo coisas boas, já está indo bem.
Luiz, não tenho certeza se entendi bem seu comentário, mas se você está insinuando que pessoas sem religião são mas ou não fazem parte de um grupo de bem, seu comentário é muito preconceituoso.
Eu não tenho religião alguma e junto com muitos amigos religiosos ou não faço parte de muitos grupos de bem. Preconceito bobo esse seu. Sou uma pessoa de bem e acho muito desrespeitoso você me acusar de ser mal por não eu não ter uma religião.
Pena seu cometário
 
Douglas Nantes em 11/09/2013 16:16:05
Parabéns a jornalista que fez esta materia..pois nos da umbanda ou candomble somos mtos discriminados. Eh como o Pai de santo Lucas falou, as pessoas espiritas fazem o mal nao., quem faz o mal eh a propria pessoa que quer o mal. as entidades (exu ou caboclo) estao para ajudar a se livrarem do mal. Tem pais de santo que faz o mal como tbm tem o catolico e o protestante (crente) que faz o mal....Nos somos brasileiros e esta religiao veio de nossos antepassados entao eh uma religiao como outra qualquer...
 
Lisandro Fanaia em 11/09/2013 15:55:23
FRANCISCO CARLOS: 'fumando e bebendo'?! Oras, vc parou para pensar que talvez seja parte do ritual?
 
JESSICA MACHADO em 11/09/2013 15:14:43
Esse rapaz é um encanto! Já troquei uma ou outra palavrinha com ele, é um encanto! Asè!
 
JESSICA MACHADO em 11/09/2013 15:08:00
Kamila Azevedo, o que fizeram com os bodes? Bom, se estavam festejando, talvez mataram os bodes para fazer um assado, não é? Pq vc pensou primeiramente em sacrifício?
 
Alinny Vilela em 11/09/2013 14:32:25
legal parabens pela materia imagino o que este moco passa em materia de preconceito, eu uso dois colares de protecao de camdoble que me foram dados e feitos por uma grande amiga de camdoble e a s pessoas ja me juklgam so em olhar parao os colares eu so acho graca e na dou explicacao nenhuma mas tem muitas que chega,mm a me cobrar o uso dos colares que eu nao de veria usar............parabens a campo grande news pela materia e ao pai de santo pela sua absoluta tranquilidade que senti em suas palavras valeu axé.............
 
PAULODORADINHO em 11/09/2013 14:31:10
Parabéns Lucas!!! Conheço você sua família. Seu trabalho é sério, cativante e leva a muitas pessoas a prática do bem!!!
 
Viviane Horst Simones em 11/09/2013 14:29:34
Parabens Lucas...meu grande amigo!!!! Esclarecimentos sobre a religião sempre é muito bom, ainda mais em tempos de "evangelismos fanáticos"... as pessoas esquecem de respeitar o outro, de compreender o outro sem julga-lo, ou sem conhece-lo o que é pior. A materia está maravilhosa, vc sempre com bom humor e muito querido...mas o que mais me surpreendeu foram os comentarios aki,,, assim como a aceitação maravilhosa que vc merece e o candomblé com todo sua linda cultura... há poucos pré-conceitos, esses tao ignorantes, não em ser ou não ser, mas em não conhecer e não se preocupar em conhecer!!! as religiões afros e espiritualistas precisam de pessoas assim, que com um sorriso sincero, muito trabalho e dignidade mostrem o rosto, expliquem e demonstrem que Deus é amor, caridade e paz. te adoro
 
ane lima em 11/09/2013 14:03:56
Há algum tempo uma determinada rede de televisão apresentava durante a sua programação chamadas com autoridades dentro de cada religião para que, naquele espaço, falassem sobre sua religião; bem nestas chamadas vi rabinos, padres, pastores evangélicos, etc., mas vi principalmente homens do candomblé e da umbanda que esclareciam a população que não eram "pai de santo" mas SACERDOTES DE CANDOMBLÉ ou SACERDOTE DE UMBANDA, afirmavam que estas seriam as denominações corretas. Será que o nosso "pai de santo"(vai ver é o pai de Santo Antônio o padroeiro da nossa Campo Grande) já que está a tanto tempo na religião não sabe(ou sabia) disto? É brincadeira hein !!!!!!!!!!!!!!!!!
 
Antonio Furlan em 11/09/2013 13:46:40
Parabéns pela reportagem, quem dera se todas as religiões se respeitassem mas há preconceito de todos os lados, seja ele católico, espírita, evangélico, enfim, se todos fizessem metade do que a religião que eles frequentam prega, não haveria tanto preconceito, cada um tem o direito de escolher onde vai viver, o que vai fazer, no que vai acreditar e que religião vai seguir, é tudo igual.
 
MAXIMILIANO RODRIGO ANTONIO NAHAS em 11/09/2013 13:05:20
Parabenizo meu irmão lucas pela iniciativa de esclarecer alguns tópicos sobre nossa religião. Mas pude observar em um trecho" As pessoas acham que vão pegar um sacerdote velho, gay ".
Como bem exclamou na matéria nossa religião é transmitida oralmente.....e pelos nossos mais VELHOS pois são eles que orientam e ensinam como devemos conduzir nossa religião, ser velho é sinônimo de experiência e sabedoria....E a questão da opção ou escolha sexual , ser ( GAY ) de nada interfere na índole ou no desenvolvimento religioso de alguém....pois nossa religião é aberta a todos sem RÓTULOS DESCRIMINATÓRIOS..... pois bem sabemos que existem grandes nomes e pessoas homossexuais ligadas a religião.
Obrigado!
 
Robson Faciroli em 11/09/2013 12:47:00
BACÃNAA......POREMMMMMMMMM.......ACHOO ISSO QUE O SR LUCAS OGÃNNNN E NAO SACERDOTE BABALORIXA FAZ... SER MAIS UM TRAMPULIM PARA QUE CONHEÇAM A CASA ,O TERREIRO DELE E DE SUA MÃE AO MEU VER... FALE DA RELIGIÃO NO GERAL oGÁN LUCAS , NAO USE DE SEU TRABALHO COMO JORNALISTA,UM TRAMPOLIM PARA SE ALTO INTITULAR E SE CONDECORAR...TENHA IWÁ (CARACTER) SÓ ISSO... ABRÇOS A TODOS...
 
Allan carlos dantas em 11/09/2013 12:45:58
Sou Umbandista há quase 8 anos e espiritualista desde que me entendo por gente. Super bacana essa matéria. Realmente ele nasceu com essa missão grandiosa e não se desviou de seu caminho, como acontece com muitos. Parabéns!!!
 
Silmara Rocha em 11/09/2013 12:41:18
Rodrigo Ferreira,a reportagem diz que ele participa desde os 16 anos e agora é pai de santoNão se inicia em uma religião imediatamente como pais de santo,é como qualquer outra religião quando vc começa frequenta uma igreja evangélica não se inicia como pastor ,é necessário estudos e aperfeiçoamentos pra tal status.No Candomblé e Umbanda funciona da mesma forma.Leia novamente a reportagem.
 
Andréa Lipú em 11/09/2013 12:29:50
Parabéns querido Babalorixá Lucas por teu eloquente testemunho de humanidade. Sinto que teu depoimento é imensa contribuição de serviço à dignificação e justiça humanas. Não tenho dúvidas de que o papel que exerces de aconselhar as pessoas, dando-lhes teus ouvidos para escutá-las num contexto em que poucos ouvem o próximo; ao compartilhar tua fala harmonizada com o que escutas, é de uma beleza ímpar no uso da linguagem para resolver problemas e conflitos ; ao compartilhares teu coração despojado de interessísmos dás o teu amor solidário às pessoas. Não há melhor religião do que ser o que és com o povo.

Certamente as pedras preconceituosas que jogam sobre tua casa santa retornarão para os punhos dos que oprimem e excluem.

Dom Orvandil www.domomb.blogspot.com.br
 
Dom Orvandil Moreira Barbosa em 11/09/2013 12:21:19
Rhaisa F. Moleno em 11/09/2013 10:56:09

Rhaisa, gostei que você usou o verbo no tempo certo, praticavam (passado) não praticam mais !

No início praticamente todas as religiões praticavam sacrifícios animais inclusive a cristã.

Falta apenas o pessoal da defesa dos animais pegarem no pé de vocês !

Se denominam religião, por que tem de ficar fumando e bebendo o tempo todo, durante as “cerimônias” ? invocando espíritos !

Já fui, não vou mais em “cerimônias” de umbanda e candoblé; por isso o comentário !
 
FRANCISCO CARLOS ANONI em 11/09/2013 11:58:42
Parabéns pela reportagem!!! Conheço o Lucas e o terreiro e sei que o trabalho a que se dedicam é sério e muito legal!!! Que Deus abençoe vcs!!!
 
Ana Nascimento em 11/09/2013 11:51:59
"...25 anos, é pai de santo dentro do Candomblé desde os 16 anos. " ... "Pai de santo há 11 anos" //////// Esses números não batem. Confesso que tenho preconceito com o candomblé. Gostaria de conhecer um pouco mais para saber se o que dizem é verdade ou não.
 
RODRIGO FERREIRA em 11/09/2013 11:07:18
Achei bacana a reportagem, sem preconceitos e insinuações, simples e coerente.
Acho bacana desmistificar o candomblé, tirar o preconceito de que é macumba. Sempre respeitei as pessoas de todas as religiões e ficava muito brava ao escutar asneiras e preconceitos contra a umbanda.
Quanto à sacrificios de animais, gente por favor, se informem! No início praticamente todas as religiões praticavam sacrifícios animais inclusive a cristã (pode olhar no antigo e no novo testamento), e também grega, celta, islâmica, indígena, egípcia, nórdica...
Esse argumento é completamente falho!
CG News, vocês poderiam fazer uma matéria neste estilo com Ateus, afinal é outro grupo de pessoas que sofre muito preconceito, e muita falta de respeito.
 
Rhaisa F. Moleno em 11/09/2013 10:56:09
Parabéns a Paula pela matéria, excelente profissional. Sou suspeito em falar, mas não é por acaso que me orgulho dos filhos que tenho (carnais e espirituais). Quando eu e a Mãe Zilatioya, demos início ao Ilê Dará, em 1989 tínhamos a certeza que a nossa fé nos orisás iriam contribuir para dimunuir o preconceito e discriminação, e ajudar a criar nossos filhos, passando a eles e aos nossos netos a formação de caráter e moral, com responsabilidades.
Asé Motumbá, meu filho (Pai Luca PaiLucas De Odé Ilè Dará CG).
Luiz Junot
Jornalista e Ogan ti Odé
 
Luiz Junot em 11/09/2013 10:55:01
Paula, parabéns pela matéria, parabéns pelo texto, parabéns pela ousadia. Parabéns, a redundância, nesse caso, é válida.
 
Dirceu Martins de Oliveira em 11/09/2013 10:26:43
Emocionante!!! Parabéns pela Reportagem....Sou do Candomblé iniciado a 5 anos e realmente minha vida mudou muito..Conheço o Pai Lucas, sou filho dessa casa e digo que vale a pena conhecer pois é uma linda Religião...Não tenho vergonha de dizer também pois isso faz parte da minha Essência e com certeza da minha Filosofia de Vida.
Motumbá meu Pai....Suas palavras foram Muito sábias! Me espelho muito em ti e principalmente no seu modo de conduzir...Conte sempre comigo! Dofonitinho D' Osùn
 
Elkjaer Leandro em 11/09/2013 10:19:45
Adorei a reportagem . Parabéns para a jornalista e pelo trabalho desse menino, tão jovem e tão sábio. Me deu uma sensação de que nem tudo está perdido.
 
maria angelina de Sandre Duenha em 11/09/2013 10:14:19
Disse tudo o pensamento de Mahatma Gandhi apresentado por Nei Saviano. Não importa o caminho, mas sim o objetivo: Deus!
 
GLEICA MEDEIROS em 11/09/2013 10:08:19
Lucas foi meu calouro e hoje é meu colega de profissão. Desde que o conheci, senti essa conexão do Candomblé, mas porque eu ja era daimista e também, porque a conexão com pessoas que praticam o bem e passam longe de pré-conceitos, é detectada no ar.
Isso ai meu amigo, feliz de vc poder vir nesse mundo sendo sacerdote e amparando tanta gente que precisa. Parabéns pela matéria.
 
Carol Alencar em 11/09/2013 10:07:22
Bonitas e sábias palavras Lucas.
Me lembro do tempo de Latinão aquele menino que tocava na banda no intervalo,parabenizo pela atitude corajosa de explicar aos leigos o que é ser religioso,e não julgar ninguém por ser diferente.
Sou da Umbanda e por Deus,não tenho vergonha alguma de falar minha crença,MINHA REILIGÃO SIM.
E mais,esclarecer que o nosso Deus,é o mesmo das casas católicas e evangélicas SIM,nós somos monoteístas,e o Deus se manifesta em todas as religiões.
Nada de capeta,satanás,"exu" do mal (coisa absurda q inventam por ai)nós somos do bem e só queremos o bem,responsabilidade dos próprios filhos da casa ñ terem vergonha e assumir aquilo q pregam e gostam.Sou advogada e visto branco com muito amor,e ñ é minha crença em Oxalá e nos orixás que me faz ser menos ou mais que ninguém.
 
Karine Souza em 11/09/2013 09:59:59
Matéria excelente, característica do LADO B. Demonstra claramente o quanto somos preconceituosos e não aceitamos a religião alheia à nossa. Cada ser deve seguir o seu caminho, desde que seja o do bem e o dom de cada um deve ser aperfeiçoado para proporcionar o bem para todos os que necessitam e procuram ajuda. Lucas Junot, continue seu caminho e não se esqueça que todo sacerdote tem priorizar o amor e o conforto daqueles que necessitam.
 
Nelson Silva em 11/09/2013 09:58:06
Realmente , conheço o Pai Lucas, é um jovem que ama sua religião, sempre pronto para ajudar as pessoas, não vejo arrogância na sua pessoa, sabe muito bem separar momentos de função do barracão com momentos fora dele e como ele disse a maldade está dentro de cada um, uma pessoa dessa jamais usaria a religião para fazer mal seja lá pra quem quer que seja, por isso as pessoas que desconhecem que são leigos ao assunto não pode ficar generalizando acha que todo pai de santo, toda umbanda todo candomblé são iguais nelas assim como outras religiões são movimentadas por pessoas e as pessoas são diferentes.Fiz questão de compatilhar a materia para que todos entendam um pouco mais antes de falar o que não sabem. Parabéns Pai Lucas
 
Angelica Franco em 11/09/2013 09:57:54
Sei onde fica o terreiro, uma vez ví na esquina amarrados no poste de luz, 02 bodes, e naquela noite teve fogos de artifícios, festa no lugar. O que será que fizeram com os bodes?? Por que estavam ali amarrados?? Enfim, não estou condenando, mas eu ví os animais bem na esquina no inicio da noite e depois não vi mais. Espero que o que eu pensei na hora esteja errado, lendo essa reportagem.
 
Kamila Azevedo em 11/09/2013 09:55:24
Esquisito é não ter religião ou fazer parte de um grupo do bem. Está fazendo coisas boas, já está indo bem.
 
luiz alves em 11/09/2013 09:52:54
Parabéns!!!
Como disse o Lucas: Templo religioso e que não é isento de água, luz e impostos.....
O outros templos de outras "religiões" também pagam esses impostos?
É somente uma sugestão para outra matéria ou para algum "administrador" de outros templos "religiosos" postar tal informação no comentário(esclarecimento) aqui mesmo!!!
 
Tasso Guerra Junior em 11/09/2013 09:40:31
Parabéns Paula pela matéria, mais uma vez o lado B mostra o jornalismo sensível e que agrega o conhecimento ao invés de primar pelo apelativo. Muito bom!
 
Mayara Martins em 11/09/2013 09:38:08
Existem muitos mitos em torno dessa religião tais como raspagem de cabeça, cortes pelo corpo, sacrifício de animais, entre outros.Eu particularmente me encanto pelos orixás, mas devido aos boatos que não sei se são verdadeiros, não frequento.
 
Ana Paula em 11/09/2013 08:51:04
Independente de religiões, sendo ateus ou não, muitos desses, nos dão lições de amor ao próximo, humildade e fé. Muitos de nós cristãos, batemos no peito pra dizermos isso: "sou cristão". Não sou espírita, mas temos muito o q aprender com seres humanos q não professam a mesma fé. Não preciso concordar com ele em suas doutrinas, mas isso, não pode impedir de q eu o olhe e admire nele o q eu não tenho. Fui criticada por alguns por assistir o filme sobre Chico Xavier (Não era do Candomblé, mas, espírita). Pra mim, ele foi um homem com história e história de doação, humildade e também e fé. É bom esclarecer. Somos ignorantes em muitas coisas e queremos falar e até "orientar" na base do eu acho...
 
Lúcia Sales em 11/09/2013 08:43:55
Emocionante matéria, parabéns ao Campo Grande News! Pai Lucas Motumbá, me orgulho de ser filho desse Axé...E candomblé pra mim hj é minha vida, faz parte da minha essência e enquanto eu puder e tiver forças estarei fazendo essa diferença!
O Endereço do Barracão é: Rua Santa Izabel, 691 Bairro Santa Luzia
 
Elkjaer Leandro em 11/09/2013 08:26:33
Nós só temos o conhecimento de que Deus (monoteísta) existe pelas experiencias de fé descritos em vários livros e tradições orais de inúmeros povos. Então temos que existem vários tipos de deuses (politeísta) e cada um segue aquilo em que acredita (livremente - direito de cada um). Por essa razão descordo que todos os deuses são na verdade um só deus. Agora analisando a fé no DEUS YAHWEH temos que de fato existem vários caminhos, e todos menos hum destes anteriores convergem para longe Deste (contrariando o pensamento e a vontade da grande maioria) e há um só caminho para o encontra-lo (curiosos de plantão leiam a respeito de YAHWEH). Boa matéria.
 
Josiel Batista GRDX em 11/09/2013 08:19:34
Até que enfim uma reportagem sobre a minha religião de uma forma gratificante, esclarecedora. Estava muito triste ao ver que somente às criticas tinham espaço, sem falar nos charlatões que estão envergonhando nossa bandeira. Ainda bem que os Orixás , na hora certa , abrem caminhos para mostrarmos que somos do bem, que existem sacerdotes e pessoas responsáveis de verdade na nossa religião . Tomara que haja mais oportunidades para esse assunto. Asé !!!!
 
Tatá Nogueira em 11/09/2013 08:15:26
Boa reportagem que esclarece o assunto, eu pessoalmente achava que candomblé e macumba eram a mesmo coisa. Para mim o Islã é o jeito de vida para uma e para a sociedade. Gostaria que o Campo Grande News fizesse uma reportagem semelhante sobre o Islã pois temos um jovem líder aqui na cidade.
 
Nassim Dhaher em 11/09/2013 07:54:23
Parabéns pela matéria.
Parabéns ao jovem Lucas pelo exercício convicto de amor ao próximo. Religiões são rótulos criados pelos homens, para discriminarem os que não iguais a eles. DEUS, Nosso Pai, é um só, e não discrimina ninguém. Só o amor irá modificar o mundo, mudando as pessoas, acabando com o egoísmo. Como disse Lucas, ajudando os outros a resolverem seus problemas, esquecemos dos nossos ou os encaramos de forma diferente.
A verdadeira felicidade está em proporcionar a felicidade dos outros.
Muita paz a todos!
 
José Braga em 11/09/2013 07:51:21
Qual e endereço do barracão do Lucas?
 
Reginaldo Soares em 11/09/2013 07:31:57
Parabens pela reportagem. Parabens por esclarecer os críticos de plantão sobre os verdadeiros cultos espirituais. Charlatões e vigaristas existem em todos os lugares e em todas as profissões. E as religiões não estão isentas destes malandros. Criticar sem separar o joio do trigo, é falar o que não sabe, ou apenas o que lhe convem. Desejo ler mais matérias esclarecedoras sobre o assunto igual a esta
 
CARLOS FERNANDO em 11/09/2013 07:22:13
Boa matéria:
As religiões são caminhos diferentes convergindo para o mesmo ponto. Que importância faz se seguimos por caminhos diferentes, desde que alcancemos o mesmo objetivo?
Mahatma Gandhi
 
nei salviano em 11/09/2013 07:11:27
Muito boa a definição do candomblé,realmente ajuda em muito as pessoas, ninguém confia em mais nada,tudo hoje em dia é camuflado,falso e egoísta,parabéns por ter esse dom e saber usa-lo,que os espíritos continuem te protegendo.
 
neide ribeiro em 11/09/2013 07:06:25
Nota 10 essa matéria!
Que jovem mais cativante, meus parabéns Lucas, você é nota 10.
 
Charles Luciano em 11/09/2013 06:55:39
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.