A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

25/05/2015 06:45

Para celebrar os bons detalhes da vida, manifesto é feito como festejo cultural

Aline Araújo
No som, musicas da nova MPB com classicos já bem conhecidos. (Foto:Fernando Antunes)No som, musicas da nova MPB com classicos já bem conhecidos. (Foto:Fernando Antunes)

Uma festa para celebrar os detalhes, aqueles pequenos gestos que fazem toda a diferença e, por vezes, na correria, passam despercebidos. Contemplar um céu estrelado, abraçar apertado, trocar um beijo, encontrar alguém, reencontrar e sorrir. Para isso foi criado o Manifesto das Pequenas Satisfações, para comemorar a vida.

Veja Mais
Casal queria poetizar início, mas soube rimar como ninguém o "fim" do amor
Monogâmico ou não, gays e lésbicas querem o direito de viver a afetividade

No sábado passado, a trilha sonora da noite teve muita nova MPB com Tiê e Mallu Magalhaes, também clássicos como Elis Regina e um pouco de folk para animar. No palco, as meninas da “Pequenas Satisfações” , banda que ganhou o nome por promover o evento, recebeu convidados, amigos, e pessoas que foram prestigiar a festa.

 

As amigas saíram de casa para prestigiar o evento. (Foto: Fernando Antunes)As amigas saíram de casa para prestigiar o evento. (Foto: Fernando Antunes)

Tem poesia declamada, dancinha improvisada e demonstrações de carinho. O palco e o microfone estão abertos para quem quiser somar. O clima, no Truti's Bar, era de festa na varanda, com os amigos, com a música que toca no MP3, mas poucas vezes está nas festas. Tudo com tranquilidade para curtir e aproveitar cada momento.

O pessoal sentou no chão em frente ao palco, todo florido e iluminado e fez o coro para algumas músicas. Por todo lugar, o evento fazia jus ao nome, sorrisos mostravam que as pessoas ali entenderam a proposta. Nos telões, prosas e poesias, nas paredes arte! Fotos, desenhos, pinturas...

A ideia surgiu de uma conversa entre amigas que dividiam alguns ideais em comum e hoje formam a banda. Kezia Karina Miranda, de 25 anos, Rafaela Cheide, de 22, Alice Hellman, de 24, e Camila Brusamarello, de 18 anos.

A banda ganhou o nome de Pequenas Satisfações A banda ganhou o nome de Pequenas Satisfações

Kezia é advogada, professora de Direito, violinista e flautista nas horas vagas. Sentiu a necessidade de intervenções culturais diferentes aqui em Campo Grande e encontrou na criação do manifesto, que já está na segunda edição. É um jeito de declarar publicamente e chamar atenção para que as pessoas olhem para a vida com mais cuidado, para apreciar os detalhes.

“Esses detalhes são as pequenas satisfações que exigem cuidado e tornam a vida muito mais significativa. Portanto, o Manifesto das Pequenas Satisfações é a oportunidade de oferecer música, contos, curtas-metragens, bordados e telas, que nos permitam rever aonde e como estamos investindo nossas doses cotidianas de amor e liberdade de expressão”, pontua.

A ideia era fugir do óbvio. Rayane Rondina, de 17 anos, celebrou dançando com Nathan Alves, de 16, dando “rodadinhas” no “salão”. “ A ideia é fantástica, um jeito diferente de festejar, eu acho que tinha que ter toda a semana”, comenta a estudante.

A ideia do evento é não ter um lugar fixo, nem uma periodicidade marcada, mas vai acontecer sempre que as pessoas se juntarem para celebrar com música e arte.

Rayane queria uma festa assim por semana.. (Foto: Fernando Antunes)Rayane queria uma festa assim por semana.. (Foto: Fernando Antunes)
Raphael adorou o clima já familiar da festa. (Foto: Fernando Antunes)Raphael adorou o clima já familiar da festa. (Foto: Fernando Antunes)
O pessoal sentou no chão para curtir o som. (Foto: Fernando Antunes)O pessoal sentou no chão para curtir o som. (Foto: Fernando Antunes)

Para ela, uma das melhores pequenas satisfações e contemplar um céu estrelado.

“Estar aqui, com as pessoas que a gente gosta, escutando música e, para as minhas amigas que bebem, tomar uma cerveja”, conta Ana Paula Mendes, de 16 anos, sobre alegrias comuns.

O professor de inglês Raphael Ribeiro, de 39 anos, estava se sentindo em casa. Ele conta que junto aos amigos custa fazer em casa um encontro no mesmo estilo, tanto na música, como na decoração.

“Para mim, aqui nada é estranho, a gente costuma se reunir e celebrar essas alegrias, como reunir os amigos para tomar uma bebida, mas o bacana é que aqui tem o encontro e reencontro com pessoas que você não esperava”, relata.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.