A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

13/06/2015 08:33

Para conseguir algo de Santo Antônio, ninguém precisa castigar a imagem

Aline Araújo
Solteiros e solteiras se apegam ao santo para conseguir um parceiro. (Foto: Debora Mancila) Solteiros e solteiras se apegam ao santo para conseguir um parceiro. (Foto: Debora Mancila)

No dia do padroeiro, ainda dá tempo de comprar um Santo Antônio e dar de presente para aquela amiga que há anos luta para se casar. Parece mandinga de teor machista? Pode ser, mas a questão e que, por via das dúvidas, muitas mulheres ainda acreditam que isso faz efeito. Por isso, a imagem é um dos hits nas prateleiras das casas especializadas no mês de junho. Mas para conseguir a graça, quem acredita no poder dele, não precisa colocar o santo de castigo, com alguns fazem.

Veja Mais
Casal queria poetizar início, mas soube rimar como ninguém o "fim" do amor
Monogâmico ou não, gays e lésbicas querem o direito de viver a afetividade

“Dizem que só funciona quando o Santo Antônio é ganhado, então muita gente encomenda e compra para dar de presente para a a amiga” comenta a artesão Tatiane Donatti, de 34 anos.

Ela é dona do Ateliê Arteiro Artesanatos e confecciona imagens de santos personalizadas, com aplicações de miçangas e pérolas, decoupagem e outros detalhes. Tatiane conta que depois das imagens de Nossa Senhora o santo é disparado o que vende mais e a maioria das pessoas compra para dar a alguém. A artesão lembra que a primeira imagem de santo que vendeu, quando começou a comercializar os produtos pela internet, foi de Santo Antônio. 

 

Tatiane confecciona santos personalizados com pérolas, (Foto Fernando Antunes) Tatiane confecciona santos personalizados com pérolas, (Foto Fernando Antunes)

Santo Antônio, que tinha Fernando como nome de batismo, foi o primeiro doutor franciscano da igreja. Tinha uma biblioteca e tanto, lecionou em universidades italianas e francesas. Conquistou status de uma das mais respeitadas figuras da Igreja Católica do seu tempo. Mas a fama do padroeiro de Campo Grande é de que ele é bom mesmo em arrumar a cara metade.

Não se sabe ao certo a origem do título de “casamenteiro”, dizem que como ele tinha muitas posses, ele ajudava a pagar o dote de moças pobres para que elas pudessem casar. Depois que fez o voto franciscano de renuncia aos bens, ele continuou ajudando, pedindo para que amigos presenteassem as moças menos abastadas com o suficiente para o casamento.

Mas a história mais conhecida é de uma jovem que queria muito se casar. Devota do santo, ela rezava todos os dias e fazia o mesmo pedido. Para agradar, sempre colocava junto à imagem algumas flores que ela mesma colhia em seu jardim. Um dia, já cansada de esperar, ela atirou a imagem do santo pela janela. O que dizem é que o objeto caiu então na cabeça de um rapaz que passava pela rua. O moço se apaixonou por ela e mais tarde os dois se casaram.

O fato é que hoje toda moça que sonha em se casar, apela para o santo. O “coitado” tem o menino jesus roubado, é afogado de ponta cabeça em copo, colocam a imagem na geladeira. Esses são os rituais mais simples.

 

Perto do dia do santo as vendas aumentam, principalmente para presente. (Foto: Marcos Ermínio) Perto do dia do santo as vendas aumentam, principalmente para presente. (Foto: Marcos Ermínio)

No centro da cidade, na loja Paullus, que vende artigos religiosos, a procura da imagem do santo também aumenta em junho. As medalhinhas que são usadas para colocar nos bolos em homenagem a ele também vendem muito.

“As pessoas vem, compram para a filha, para prima. Para dar para a amiga do escritório. Santo Antônio vende o ano inteiro e as pessoas são muito criativas, não só nos pedidos como também nas orações”, comenta Flávio Veloso, de 36 anos, gerente da loja.

As histórias que envolvem o santo são um misto de crendice popular e fé, carregam toda uma simbologia e mantêm por exemplo, o tradicional bolo feito pela Igreja que leva o nome do padroeiro, há mais de 12 anos.

O bolo, cortado por volta das 7h da manhã após a missa é famoso. As pessoas fazem filas quilométricas desde a madrugada para comprar um pedaço e, quem sabe, conseguir encontrar uma das 600 alianças colocadas. Diz a tradição que quem encontra a aliança no bolo de Santo Antônio também encontra casamento logo logo.

Tudo começou com um bolo modesto feito por uma das fieis para a quermesse da paróquia. Hoje o bolo tem mais de 2 toneladas, 20 metros, além das 600 alianças, um par de alianças de ouro também é colocado para a alegria dos sortudos.

 Na igreja fieis se mobilizam para fazer a festa.(Foto: Marcos Ermínio) Na igreja fieis se mobilizam para fazer a festa.(Foto: Marcos Ermínio)

“Não vem apenas os solteiros em busca do bolo, vem muitos casados pedindo bençãos pelo seu casamento. Ele é um santo que concede muitas graças, por isso tanta gente vem”, comenta Sueli Telles, coordenadora da festa promovida pela Paroquia.

Ela mesmo dividiu com o Lado B uma história pessoal do nascimento da primeira filha, que faz aniversário no dia 13 de junho, dia do santo.

A criança estava com o cordão umbilical enrolado no pescoço, o médico alertou sobre o risco do parto. Um enfermeira perguntou para ela, você sabe rezar? Ela confirmou que sim. "Então ele disse, se apega a Santo Antônio que hoje é dia dele". Foi o que ela fez. Pediu muito a proteção, a filha nasceu bem, hoje já tem 30 anos e ela coordena as atividades na igreja que leva o nome do santo.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.