A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

26/05/2013 15:05

Professor ataca “bichonas” da UFMS e defende fim de cursos “coloridos”

Ângela Kempfer
Post do professor no Facebook.Post do professor no Facebook.

Parece pegadinha, pelo teor caricato e violento da mensagem, mas ao que tudo indica não é. No Facebook, o professor universitário Kleber Kruger teve uma reação radical, ao encontrar paredes pichadas nos corredores da universidade na última sexta-feira. Infelizmente, não há como não reproduzir alguns palavrões usados por ele, para não comprometer interpretações.

Veja Mais
Professor admite que exagerou contra “gays”, mas diz ser vítima de “heterofobia”
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz

“Hoje cheguei na Federal e encontrei algumas paredes dos cursos de computação e engenharia pichadas com frases como: ‘O amor homo é lindo!’, ‘Homosexualismo é lindo!’, ‘Fora machismo!’ ... aaah! se fuderem seus *viados fila da puta!”

E não para por aí, depois da explícita raiva, Kleber continua, pedindo o fim de alguns cursos que considera “coloridos”. “Aí, nas paredes daqueles cursos formadores de bichonas tá tudo limpo! Depois eu falo que tinha que pegar aqueles cursos de gente colorida e fechar tudo! E saio rotulado como preconceituoso, porque tá na moda defender homossexualismo.”

Ele continua com termos ainda mais chulos, em frases agressivas. São tantos ataques que a reação foi instantânea, de gente revoltada com o texto, principalmente, por se tratar de um professor universitário, do curso de Ciências da Computação.

“Ninguém nunca chegou em vocês e disse diretamente ou tentou impor um ponto de vista de forma agressiva eu tenho certeza, no máximo picharam corredores que há décadas não são reformados. É o cúmulo da homofobia”, protesta Geisiane Sena.

O professor parece alheio ao repúdio e reforça: “Eu ainda não sei qual o objetivo disso, porque as pessoas que não tinham nenhum tipo de *repudiação ao homossexualismo, com essas atitudes passarão a ter. E essas atitudes de pichar paredes dos outros cursos é vista como uma espécie de provocação. Depois eles tomam uma surra, morre um *viado lá no Campus, sai no jornal e pronto! conseguiram chamar a atenção que eles tanto queriam!”

A jornalista Lyra Libero é uma a reagir: “Como você tem coragem de destrinchar ódio e ainda dizer 'E olha que eu, Kleber Kruger, num tenho nada contra se vc, caro amigo leitor doador de cu'??????? meu, como é que você conseguiu ser professor? Sério.”

Os alunos da UFMS seguem com lembretes do tipo: "Acho que alguém deveria perder o emprego de professor"

Mas também há mensagens de apoio “Falou bem agora Kleber”, diz rapaz que se identifica como José Alves.

Depois de 21 compartilhamentos e vários comentários indignados, Kleber excluiu a postagem do Facebook. O Lado B tentou conversar com Kleber pelo Facebook, mas o professor não respondeu.




se vc tivesse uma filha de seis anos e ela lhe perguntasse as dez da manha,mamae posso dar um beijo na minha coleguinha assim como essa moça ta fazendo na televisao?...o que eu estou querendo que entendam e que tudo que se faz,tem que haver uma coerencia,nao sou contra a relaçao homoafetiva,mas sou contra os exageros e a falta de respeito,os homosexuais conseguiram muitas vitorias,conseguiram legalizar a uniao estavel,agora tem que entender que o mundo nao esta a seus pes. cada qual no se espaço...na boa
 
maylles davis em 05/07/2013 11:23:35
deixo aqui uma pergunta,na boa,vc contrataria uma pessoa que fosse gay para educar seu filho de seis anos ate a maioridade?,responda sem hipocrisia
 
maylles davis em 05/07/2013 11:09:45
ESTA SEMANA FUI AO SHOPPING COM MINHA FAMÍLIA HAVIA UM CASAL DE HOMENS SE BEIJANDO SE ACARICIANDO SE "PEGANDO MESMO" NA PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO COMO SE QUISESSEM AFRONTAR POIS HAVIAM MUITOS CASAIS HÉTEROS QUE NÃO ESTAVAM DAQUELA FORMA TÃO ESCANDALOSA PEGUNTEI AO SEGURANÇA SE ELE NÃO PODIA FAZER ALGUMA COISA ELE ME DISSE QUE SE FOSSE UM HOMEM E UMA MULHER ELE PODERIA, MAS COMO ERA UM CASAL DE HOMENS SE ELE FIZESSE ALGO SERIA CONSIDERADO HOMOFOBIA E ELE PODERIA PERDER O EMPREGO,NÃO SOU CONTRA HOMOSSEXUAIS PORÉM TUDO TEM LIMITE COMO SE FOSSE UM CASAL DE HOMEM E MULHER SE ESTIVESSEM DAQUELA FORMA NÃO SERIA LEGAL !!!
 
CELSO LUIZ DE PAULO em 05/06/2013 01:48:41
Não sou a favor dos palavrões, mas sou, ainda menos favorável as pichações. Querer atribuir a heteros as pichações, pra defender os gays, é forçar demais a situação. Existe homofobia, sim, mas existe, também, a DITADURA GAY, e essa é combativa, agressiva, até. Gays, dizem e fazem o que querem, atentam contra o pudor, atacam religiosos (não só evangélicos, mas até o papa), e tá tudo bem, na hora que qualquer pessoa levanta a voz contra eles aparecem milhares de "defensores". Os/as caras fazem baderna na Câmara Federal, fazem seminários lgbt nas dependências do Senado, ameaçam " pegar em armas" e tudo bem? Eu apoio o professor. Se lgbt pode expressar-se, heteros, também. Viva o Professor Kleber Kruger.
 
Givando Arraes. em 04/06/2013 18:54:15
Liberdade de expressão! Os gays têm o direito de serem gays e o professor o de pensar e falar o que quiser! Não ofendeu ninguém, somente atacou o que acha errado. O problema é que nada se pode falar contrário ao homossexualismo que passa a ser homofobia! Para ser professor da UFMS tem que pactuar com algo que GRANDE PARCELA DA SOCIEDADE (A MAIORIA) acha ERRADO?
 
Gustavo Ribeiro em 28/05/2013 16:31:33
Que nível desse professor, e de quem o contratou! Ainda assim,12 pessoas assinaram embaixo. O ser não consegue redigir um parágrafo sem usar palavras vulgares e chulas. Meu Deus! Não apoio as pichações, mas não vejo nada tão ofensivo em seu teor para causarem tamanha irritação no mestrando. Quanto às palavras dele... Cabe até investigação do Ministério Público.
 
Functional Illiteracy em 28/05/2013 14:42:10
Dois erros não fazem um acerto. Errou quem pichou (que pode muito bem ter sido coisa de hetero para culpar os homo) e errou o professor que perdeu um boa oportunidade de fazer a coisa certa, tipo procurar saber quem fez isso para dar um punição exemplar. Mas não, ficou dando piti, e aproveitou a chance para extravasar a insegurança da sua heterosexualidade. Vi agora na Globo que ele não aguentou o tranco das reclamações e pediu pra sair. Way to go!
 
Christopher Stomp em 28/05/2013 13:30:54
é realmente vergonhoso, um professor tecer este tipo d comentário e ter essa visão de seletividade, por causa da sexualidade, da cor da etnia, da religião, da raça, eu sou acadêmico do 4º ano de serviço social e achei inadimicivel, um professor de nível superior ter uma atitude dessa, vamos ver o que a lei e que o reitor dese campus, vai ter a respeito desse assunto que um atentado contra a pessoas humana (como ser social), este comentário é criminoso...fica aqui meu repudio....
 
ADEMIR DE SOUSA em 28/05/2013 12:02:00
Vejo uma maioria aqui a favor do professor por causa das pichações, acontece que se não fossem palavras e apenas desenhos ou símbolos sem sentido ele teria xingado os pichadores de forma geral, mas como tinha palavras de ordem ele usou como desculpa para xingar os homossexuais generalizando, como se todos fossem ter essa atitude, e isso tá errado. Ele como professor tem que educar e não piorar as coisas, tinham era que procurar os responsáveis pela pichação e puni-los dentro do que diz o estatuto da universidade, e não sair por aí disseminando o ódio.
 
Alice de Moraes em 28/05/2013 08:58:50
Sou professor federal e isto nos envergonha profundamente. Nós professores já estamos tão desvalorizados perante a sociedade atual, e ainda contamos em nosso meio com este tipo que demonstra ser completamente despreparado para ocupar o cargo. Professor é um interlocutor com todos e todas sem discriminar por gênero, etnia, etc.. Também desconfio que esta pichação não foi feita por ninguém glbt, pois estes não usam a tempos o termo HomossexuaLISMO e sim HomosseXUALIDADE. Isto deve ter sido feito por algum(ns) homofóbico(s) que sabiam do efeito reverso, pois eles sim insistem no termo que denota doença. Espero que a UFMS tome medida exemplar.
 
Henrique Monschau em 27/05/2013 17:07:43
Não consigo ver a homofobia no texto desse professor, agora se tu chamar alguém de viado isso é crime e bla bla bla, mas pera aí, foram la picharam o mural os gays dizem que respeitam mas não respeitam coisa nenhuma, eu sou gay e me sinto envergonhado das atitudes que a sociedade gay toma a cada dia, são escandalos nas ruas, gritos, desrespeito com as outras sociedades putarias em parque noturno, e não adianta me falar que "eu não faço isso, e bla bla bla" tudo bem, assim como em outras sociedades existem pessoas boas e más, porem os gays já são motivos de vergonha pela sociedade central e mesmo assim não fazem nada para mudar a visão que a mesma tem, ai vem um professor que apenas falou, ele tem direito cara, vivemos num PAÍS livre, sou contra a saida dele da universidade.
 
cristiano klein em 27/05/2013 16:40:53
Falou o que quis , agora terá que arcar as consequências! Muito lamentável.
 
Paulo Rabelo em 27/05/2013 16:04:49
Olha,sinceramente acredito que o kleber foi um pouco exagerado nas palavras dele,porém ele apenas externou algo que milhares de brasileiros sentem vontade de dizer essa é a verdade!!!hj vivemos numa ideologia chamada ''coitadismo'' basta pertencer a alguma pseudo-minoria que pronto devem surgir leis que contrariem nossa CF(todos são iguais...)a Ditadura Gay esta tomando todos os setores da nação,uma coisa é vc dizer que não gosta de negros,indios etc,isso sim é racismo e deve ser repreendido de maneira exemplar.Agora eu não poder me expressar porque desaprovo ações de determinadas pessoas,a qualé pessoal,vão tudo a merda!!!
Salve kleber kruger,porta voz de Milhões!!!
 
Tiago santos em 27/05/2013 16:00:39
Entendo a liberdade de expressão do professor, mas sou estudante de Universidade Federal onde grande parte dos alunos é homossexual e não os vejo impondo a ninguém a obrigatoriedade de também ser. A agressividade que o professo usa é absurda, deveria fazer jus a sua profissão e no mínimo tratar com educação e respeito o assunto e buscar uma solução para o problema e não instigar o preconceito. Os homossexuais querem apenas viver as suas vidas com dignidade sem que ninguém os aponte o dedo ou critique suas escolhas, formadores de profissionais não tem o direito de humilhá-los e influenciar seus alunos a fazer o mesmo. O máximo que ele vai conseguir é sujar a sociedade com preconceituosos...
 
Sara Soares em 27/05/2013 16:00:38
Respeito é diferente de tolerância. Tolerar é engulir, achar inferior e suportar. Quando se respeita alguém, você simplesmente aceita o fato dela ser como ela é. Pessoas são diferentes, pensam diferentes, desejam de formas diferentes. Respeitar é aceitar que o outro pode pensar e agir diferente de você...pelo respeito e não o ódio...
 
Luiz Ehlers em 27/05/2013 15:47:58
"Universidade é um local pra se adquirir bons exemplos, e esse Kleber não tem nada pra oferecer. " E pichar as paredes é ´né? KKKKKKKKKK
 
Rafael Gonçalves em 27/05/2013 15:47:13
Engraçado como muitas pessoas se perdem fácil nisso. Exaltar uma coisa não significa repudiar outra. Afirmar que amor homossexual é bonito não diminui em nada amor heterossexual. Curioso que o simples fato de comparar, de colocar no mesmo nível soa como ofensivo a muitas pessoas. O importante que TODOS precisam entender é que se você é heterossexual nada vai mudar isso, a TV pode passar 24 horas de pornô gay, todas as paredes da sua cidade podem estar cheias de homens e mulheres se beijando entre si. Mesmo assim o heterossexual continua sendo hetero. Exaltar, ter orgulho gay não é se achar superior, é simplesmente admitir que é igual. Isso não afeta em nada a vida do heterossexual, mas mostra para muitos que sentem desejo dessa forma que não é vergonhoso ou errado...
 
Luiz Ehlers em 27/05/2013 15:45:26
Olha a atitude do professor é lógico que não está correta. Eu sou homossexual e não gostaria que um professor da minha universidade fala-se assim. Porém acho uma coisa, quem quer respeito se dá o respeito primeiro.
Qual a necessidade de pinchar as paredes do campus?
Alguns homossexuais precisam entender que nós queremos ser aceitos, afinal de contas a sociedade é preconceituosa desde o início dos tempos, o que nós queremos é apenas respeito. E não é dessa forma que vamos conseguir.
 
Camila Rocha Peres em 27/05/2013 15:44:36
Primeiro, um "professor" que não sabe que trata-se de homossexualidade e não homosexualismo, já perdeu todo o crédito por ser tão ignorante. Imagina ter de comentar tamanha falta de educação, civilidade e respeito, esse Brasil é uma piada pronta.
É por isso que moro no Canadá, um país onde as pessoas são respeitadas, negros, brancos, índios, católicos, evangélicos, muçulmanos, homossexuais, heterossexuais e todo tipo de pessoa. Como é bom andar na rua e não ver gente sendo ofendida, AGREDIDA, ou mesmo vitíma de risadinhas e piadas por ser diferente. É um nível cultural e intelectual completamente diferente. Só posso lamentar.
 
Marcelo Moraes em 27/05/2013 15:32:08
Pichação é errado, fato! Mas me pergunto, serão essas as únicas pichações existentes nas paredes? Não concordo com nada que seja imposto ao outro, não acho certo as pessoas exigir que as outras pensem como elas e até mesmo que as aceite, mas respeitar é fundamental e isso não tem nem o que discutir. Acredito que muitas pessoas se sintam agredidas devido ao comportamento de alguns homossexuais, mas quantas vezes não somos agredidos por comportamentos de alguns heteros também? Temos que parar de generalizar, existem homos promíscuos, desonestos e com diversas outras atitudes que demonstram um caráter duvidoso assim como existem heteros promíscuos, desonestos e tb com atitudes que demonstram caráter duvidoso, ou seja, não é a orientação sexual que define caráter.Todos devem ser respeitados!
 
Grazielle Dias em 27/05/2013 15:21:56
Esse professor com certeza deve ser exonerado,porque alguém que pensa dessa forma não deve ser exemplo,todas as questões relacionadas a homossexualidade estão na mídia porque em todas as épocas existe algum tipo de luta,os negros conquistaram seus direitos,as mulheres também a gora os gays estão lutando.Só quem vive é que sabe como é terrível você ter os mesmos deveres de todos mas não ter os mesmos direitos,como por exemplo união estável,tipo viver anos com alguém e no caso de morte de um ficar amparado pela lei,mas infelizmente as pessoas só pensam num falso moralismo,no que as crianças irão pensar e etc.... - Muitos falam em bíblia,mas só lunáticos acreditam em um deus punitivo,contraditório e que impõe regras de vida que só interessam as igrejas que do nome dele se beneficiam!
 
BRUNO PINTO BRUM em 27/05/2013 15:14:38
http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/memoria-postumas-de-alan-mathison-turing
 
Alan Turing em 27/05/2013 15:09:38
Claro, que qualquer um tem direito de fazer o que achar melhor consigo mesmo.
Mais ninguém é obrigado a engolir certas coisas !!
LIBERDADE DE EXPRESSÃO ;)
 
JAQUELINE GOULART em 27/05/2013 14:26:57
Parabéns professor.
Mostrou que você teve coragem de falar a verdade.
Ate quando teremos que suportar tanto falta de vergonha? Sem falar que eles não tem nenhum respeito pelo patrimônio publico, sem contar que respeito eles não tem mesmo.


 
Sebastião Vicente Pereira em 27/05/2013 14:18:23
Isso é um professor? Concursado? de uma Universidade pública? "Não concordo com o que você diz, cario senhor, mas defenderei até a morte o seu direito de dize-lo". Agora, esse sujeito ou quer dar uma de "malandro" estilo linguajar vulgar para agradar alguns e se fazer de "esperto" ou realmente não poderia ter esse título de professor nem que ele pagasse para estar a frente de uma turma. Meu repúdio é que meu imposto esteja financiando salários de sujeitos como esse. Mostra como nosso quadro de "professores" está falido. Prêmio Nobel? Talvez quando tivermos gente realmente capacitada e menos "malandra" ou simples portadores de diploma e títulos. O que falta é inteligência, pois diplomas já temos demais.
 
Luiz Caetano em 27/05/2013 14:16:45
Sou acadêmica da UFMS e também fico revoltada ao ver as paredes e chão pichados da minha faculdade, entretanto isso não tem nada a ver com a sexualidade da pessoa, e a atitude desse professor foi absolutamente desnecessária e mal educada.
Se a pichação o incomodou porque ele, como professor, não faz uma reclamação junto a reitoria para que os culpados sejam punidos devidamente? O corredor que levava ao Banco do Brasil estava todo pichado,mas já resolveram a situação.
Infelizmente a coordenação do curso desse "professorzinho" terá que tomar alguma atitude em relaçao a isso. Ninguém tem o direito de menosprezar o curso alheio na faculdade, afinal de contas o mundo não é formado só de engenheiros médicos e advogados, mas sim de artistas, arquitetos, analistas de sistemas, músicos e muito mais
 
Juliana Augusta Correa Martins em 27/05/2013 13:10:51
Não vejo relação alguma da pichação com a atitude tenebrosa desse elemento que deveria estar em um hospital psiquiátrico, quiçá, na Instituição mais sólida de ensino superior do estado. Por que ele não fez um post falando da pichação, apenas? Quem percorre os corredores da UFMS percebe que existem pichações contra a reitoria, contra vários elementos, inclusive, contra os gays. Mas ele realmente queria expressar o monstro que existe dentro dele. Isso tem que ser banalizado, senão, ele fará postagens em sua rede social falando mal de negros, evangélicos, pobres, etc... gay é apenas um segmento. Acho que a punição deve ser dupla --> cadeia para os pichadores e exoneração para esse "docente".
 
Luciano Silva Oliva em 27/05/2013 12:40:34
O professor tem todo o direito de expressão que lhe compete, TODAVIA, o mesmo teria de analisar em seu interior antes de postar tais palavras ofensivas e de incentivo ao ódio, que ele tem um cargo de transmissor de conhecimento e opiniões, onde mesmo que em um site de relacionamento, todo nós devemos primar pela legalidade.
Aos defensores das palavras do autor, me cabe uma situação: Diga que falar o que ele disse não incita o ódio a uma pessoa que apanha depois de sair de uma festa de um bando de homofóbico e fica toda machucado, como um amigo meu! Diga que todos tem o direito de falarem o que quiserem pelo art. 5, "Liberdade de expressão" ao ponto de nos podermos então de fazer passeatas a favor do Nazismo, da Escravidão, da Violência Doméstica! Somos todo humanos! Apenas queremos paz.
 
Bruno França em 27/05/2013 12:01:13
Como professor ele deveria dar o exemplo da EDUCAÇÃO, RESPEITO AO PRÓXIMO, mais nas condições visualizadas teve comportamento de uma pessoa sem caráter, incapaz de compreender a opção sexual de um indíviduo. Meu caro rapaz, só tenho algo a lhe dizer neste momento, a comissão desta universidade nunca que vai deixar passar em branco a falta DE RESPEITO que você cometeu. Certas coisas não devemos deixar fluir aos quatro ventos, principalmente em redes sociais. Seu preconceito não é só uma vergonha, é um CRIME. Todos temos opnião própria, mais quando ela não tem criatividade alguma, guarde-a somente pra você... Póis ofender os outros não é uma coisa legal, valeu a pena aquele comentário? Creio eu que não, póis olha ai.. O sr. vai perder um grande cargo, por bobeira, melhor INFANTILIDADE.
 
Carlos Eduardo brazinni Trad em 27/05/2013 11:54:46
Muito estranho o acontecido. Eu penso que isso é caso de polícia! Descubram os pichadores (que pode muito bem ser os próprios homofóbicos no intuito de criar o fato) e cadeia neles por depredação do patrimônio publico. Já que por homofobia ninguém pode ser criminalizado nesse Estado!
 
Paulo Matoso em 27/05/2013 11:45:07
Liberdade de expressão(8) tamo junto kleber.
 
Jonatan Orue em 27/05/2013 11:33:03
Sou professor da UFMS e estou profundamente chocado que um "colega" (coloco entre aspas porque não aceito o Kleber Kruger como colega) tenha uma opinião desse tipo em pleno século XXI, sendo que este figura possui um cargo de formação de opinião.

E para aqueles que acham que o professor está no seu direito de expressão isso é tão imbécil quanto achar que negros deveriam ser escravos é apenas liberdade de expressão.

Pelo amor de deus
 
Lucas Córdova em 27/05/2013 10:21:45
Não entendo o porque das pessoas ainda se incomodarem com a sexualidade das outras. Isso me parece coisa de quem tem medo de assumir alguma coisa. As pessoas possuem todo o direito de assumir sua sexualidade com toda tranquilidade e tem o direito de não ser ofendido ou agredido por isso. Agora porque as pessoas criticam tanto os homossexuais? Qual o medo???
 
Junior Barreira em 27/05/2013 09:38:24
E o que eu mais fico indignada é que tem uns e outros colocando "Lenha na fogueira". Pedindo censura a opinião do professor. Censura? Na era em que vivemos, de total Estado Democrático de Direitos? Censura, só para lembrar, ficou na era da ditadura. E para quem não sabe o que foi ditadura, sugiro ler alguns livros bons de história do Brasil.
 
Giannine França em 27/05/2013 09:33:25
Respeitem (LGBT...) para serem respeitados. Agora, porque eu respiro diferente da comunidade "gay", sou homofóbica? Ahhh, faça-me o favor, já passaram dos limites todos esses "defensores" da tal da homofobia.
 
Giannine França em 27/05/2013 09:24:55
Estou assustado com esses comentarios em defesa deste professor. Obviamente nao concorco com a pichação, mas esses comentarios vindo de um professor e de quem esta defendendo ele, demostra falta de maturidade emocional. Da forma q ele fala, é homofobia sim. Esta inflamando o odio contra homoafetivos. Atitude desprezivel desse professor.
 
Roger Souza em 27/05/2013 08:48:19
Não há dúvidas de que o vandalismo é errado. Existem outras formas de se manifestar o apoio à uma causa (panfletagem, palestras, passeatas pacíficas, entre outras). Entretanto, o professor erroneamente manifestou sua indignação, atacando a causa ao invés dos meios, demonstrando vergonhosamente o seu preconceito e pregando o ódio contra todo um movimento por conta de uma ação isolada.
Todos têm liberdade de expressão, mas isso não implica na disseminação do ódio. Um professor deve ter consciência do seu poder de formar opiniões e, dessa maneira, fazer um uso ético de seu perfil numa rede social.
 
Claudio Sanavria em 27/05/2013 08:17:13
Todos temos a liberdade de ir e vir.Certo?não..errado. Hj em dia, só os errados devem ser protegidos. Onde está a lei deste país, que se sou hétero, não posso manifestar minha opinião, e nem sequer posso dizer que sou, parece que os héteros é que estão andando na contramão. Independente de aceitarmos ou não o modo de vida deles,cada um vai dar conta de si,diante de Deus naquele grande e terrível dia do Senhor, e lá não vai ter como dizer que ELE é homofóbico. Infelizmente vamos ter que nos curvar e aceitar a sentença.

Quando também um homem se deitar com outro homem, como com mulher, ambos fizeram abominação; certamente morrerão; o seu sangue será sobre eles.
Levítico 20:13
A bíblia é a palavra de Deus, e contra isso não há lei.
 
Jussara Leite em 27/05/2013 08:13:18
É VERGONHOSO VER OS COMENTÁRIOS A CIMA, ESTAMOS FALANDO DE DIREITOS HUMANOS DE ORIENTAÇÃO SEXUAL E NÃO DE "MODA", A QUESTÃO AQUI NÃO É MAIS A PAREDE PICHADA A QUESTÃO AQUI É O PRECONCEITO RETROGRADO, DE UMA PESSOA "FORMADA" PARA FORMAR PESSOAS, PESSOA ESTÁ QUE USA DE LINGUAGEM "CHULA" DISCRIMINATÓRIA, E AINDA TEM GENTE QUE CURTE, QUE APROVA, SOCIEDADE MEDILCRE, O JORNAL TEM QUE POSTAR MESMO ISSO E AOS QUE COMENTARAM A FAVOR TENHO PENA "NOJO" DE VOCÊS EM QUANTO SERES HUMANOS, VÃO VOLTAR PARA A ESCOLA, VÃO ESTUDAR, VÃO VIRAR GENTE MANADA DE GENTE PRECONCEITUOSA, ESPERO SINCERAMENTE QUE SEUS FILHOS, SEUS IRMÃOS NÃO SEJAM HOMOSEXUAIS E NUNCA VENHAM A PAAGAR O PREÇO QUE ELES PAGAM PARA SEREM FELIZES....ACORDA SOCIEDADE...LARGA DE SER MEDILCRE!
 
Fernando Pereira em 27/05/2013 08:01:02
É ISSO AI KLEBER... FALOU A REAL..... ESSE POVO TA ACHANDO QUE PODEM TUDO.... E NOSSO FILHOS TEM QUE CONVIVER COM ISSO.... FALA SERIO....
 
GILSON OLIVEIRA DOMINGOS em 27/05/2013 07:55:17
Todos os comentários escritos em caixa alta comumente são palavras de ódio, impressionante.

Creio que o Kruger merece sim ser exonerado de suas funções, não por "expressar opinião", mas sim por reforçar esterótipos e preconceitos não saudáveis a vida acadêmica, generalizar cursos de humanas como "cursos coloridos" é um preconceito gigantesco entre os cursos de Exatas, e teoricamente a Universidade existe para criar mentes pensantes e críticas.

Finalizando: Esse discurso de "Se pixar coisas de teor hétero é homofobia" é extremamente falacioso, até porquê o "orgulho" normalmente se liga a algo que você conseguiu com esforço e dedicação, coisas que existem naturalmente, sem preconceitos não deve ser motivo de orgulho, a menos que ser hétero seja uma coisa difícil a essas pessoas.
 
Rodrigo Kruppa em 27/05/2013 07:34:11
A heterossexualidade não é considerada pela sociedade atual como algo "errado" e por isso não é motivo de orgulho, nem é algo se queira impor, na verdade já é imposta de forma mascarada pela sociedade. Se você nasceu menina, irá gostar de meninos e vice-versa. Não acredito que a homossexualidade seja modismo, mas ela está sendo escancarada para sociedade por estar cansada de se esconder, de temer estar fazendo errado por aqueles que dizem estar errado. Não acho correto o ato de pichação, porém quem pode afirmar que quem pichou era realmente homossexual? A sexualidade, raça e credo não definem caráter, isso que é preciso ser entendido por todos.
 
Karine Calixto em 27/05/2013 07:29:45
Temos que fazer uma correção a bíblia, pois ela esta desatualizada, em Leviticos 19 versiculo 22, esta uma situação que pode ser considerada homófobica......... Onde é que vamos parar.... Só mesmo Deus pra ter misericordia do ser humano.
 
Sandra Lima em 27/05/2013 06:39:01
O professor tem razão até certo ponto. Não podemos generalizar, mas, a falta de respeito é algo inconcebível. Eu não faço paradas contra o preconceito gritando pela rua "eu sou hetero", "eu sou hetero", pq tenho q ver eles se beijando, vestidos de mulher, gritando q é gay e atrapalhando o transito??? Como eu explico isso para uma criança?
 
César Leon em 27/05/2013 06:37:41
O cara tá errado, fato... Mas há que se ponderar que, uma minoria que já sofre preconceito, não precisa incitar ainda mais o "ódio adormecido" das pessoas... Não é porque eu sou católico que vou sair pichando "Jesus" no muro da minha vizinhança inteira... Eu tenho um mínimo de inteligência pra saber que isso não vai trazer nada de bom para mim, e nem para o grupo do qual faço parte... O máximo que eu vou conseguir com isso é aumentar a desaprovação, o ódio e a rejeição ao meu grupo... As pichações foram erradas... A forma como o professor reagiu, também foi errada, não se deve combater violência com violência... Mas ele estava lá quieto no canto dele, quando se sentiu agredido porque emporcalharam as paredes do seu ambiente de trabalho... Enfim, tá todo mundo errado nessa história...
 
Luis Henrique Avila em 27/05/2013 01:33:54
A QUEM NÃO CONSEGUE SE CALAR SEGUE LINK DA OUVIDORIA DA UFMS PARA REGISTRAR PEDIDO DE CENSURA AO ILUSTRE MESTRE.

http://www.ufms.br/ouvidoria/formulario.php
 
paulo vitor em 27/05/2013 01:31:40
Que vocabulario e esse?

Que coisa lamentavel...
Que horror..

Lamentavel UFMS enquanto a sociedade espera um retorno de nossos impostos seja revertido em conhecimento, formação de pessoas do bem, voces criam esse mostro, intolerante, sem respeito, pobre de espirito.
socorro.
O que esperar?????
 
paulo silva em 27/05/2013 01:27:13
Já pensei mil vezes em fazer um post sobre essa situação, pois toda vez que passo nos corredores me dá uma raiva enorme. O professor pode ter sido muito infeliz nos seus comentários e deve ser penalizado, mas os marginais que picham paredes de prédios públicos devem ser presos, independente de opção sexual. Incontestável quando cita que os marginais fazem para provocar. Como aluno posso dizer, é uma vergonha passar por aqueles corredores todos pichados todos os dias. Quer seu direito de expressão, faz um cartaz, pega autorização na coordenação e coloca no mural, assim como todos os outros fazem, não picha o muro do meu bloco. Enquanto todo mundo mete o pau e polemiza tudo, eu continuo com corredor pichado e os corredores dos outros blocos limpos. "Homo é lindo, mas delinquência é horrível!
 
Everton Cação em 27/05/2013 01:14:28
Esse "professor" foi muito infeliz no seu comentário. Eu vejo o ato de pichar como errado sim, mas não devemos olhar as coisas de maneira unifocal, é necessário olhar o contexto como um todo. Ainda vivemos num mundo muito preconceituoso e a batalha contra o preconceito é válida. Para mim, a pessoa que pichou foi feliz em alcançar seu objetivo. Se formos por na balança, as discuções(construtivas) que essa pichação trouxe são muito mais valiozas que uma parede limpa.
O resto que ele disse não compensa nem comentar!
 
Diogo Watanabe em 27/05/2013 00:34:32
Bem, além de ter uma atitude claramente homofóbica, o "professor" mostrou também pelos termos chulos a sua deficiência ética.São essas as pessoas responsáveis pela formação dos nossos jovens.
 
Angela Silva em 27/05/2013 00:15:39
Incrivel que todo mundo que começa com "Eu não sou contra o homossexualismo..." curiosamente posta um texto contra o homossexualismo, custa ter um pouco de coragem para assumir seus ideais? E claro que pixar é uma conduta ridicula, mas querem justificar um erro com outro? o pixador "cagou", aí veio esse 'professor' e "sentou em cima".

"Ou seja, emprego, nem o de faxineiro." - Esse tipo de gente que faz distinção de profissões como se fosse um 'termometro' para carater é um porre.

Cada comentário aqui, 'pelamordedeus'....

 
Thiago Araujo em 27/05/2013 00:03:03
Caso o amigo Paulo nao saiba, é livre a manifestação do pensamento desde que de forma nao preconceituosa.

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:

IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

A indignação é tamanha ao fato da pessoa que postou os comentários ser professor, ao qual deveria dar exemplo.
 
Gabriella Pereira em 26/05/2013 23:30:27
Opinião não é crime senhores!!! DIREITOS IGUAIS!!!! picham as paredes e esta tudo bem?? agora a pessoa não concorda com o ato e é um criminoso!!! senhores por favor vamos a verdade dos fatos!!!
 
Roger Brites em 26/05/2013 23:25:12
O professor pode ter exagerado na maneira de se expressar, mas o que fizeram lá não e liberdade de expressão e sim a depredação de patrimônio público. E já que falam em liberdade de expressão por parte de quem pixou, cade a liberdade do professor em falar o que quer?
 
Ronaldo Castor em 26/05/2013 22:57:38
No mínimo um afastamento e tratamento psicológico.
 
Lidian Godoi em 26/05/2013 22:54:22
A constituição é clara, todo mundo tem direito de expressar sua opinião. Tamo junto professor.
 
gustavo zancanaro em 26/05/2013 22:51:41
Concordo com o Kleber...agora todo mundo é obrigado a engolir os gays...
 
Natalia Nascimento em 26/05/2013 22:47:04
O legal é que esse tipo de gente posta o que posta e depois, simplesmente, apagam o post. Só sei que vai perder sim o emprego e vai ser bem feito. E coisas assim, ainda mais nos nossos tempos, não somem tão facilmente. Ou seja, emprego, nem o de faxineiro.
 
Paulo Antunes em 26/05/2013 22:36:44
O RAPAZ QUE ENALTECE O HOMOSEXUALISMO E FAZ PROPAGANDA " PODE "
SE HOTEROSEXUAL SE ENALTECE E FALA QUE GOSTA DE MULHER É PRECONCEITO.
ONDE ESTA O DIREITO DE CADA UM GOSTAR DO QUE QUER.
FAZ-SE UMA PERGUNTA A UMA PESSOA, VC GOSTA DE HOMOSEXUAL, SIM
SE FAZ-SE A OUTRA PESSOA E ELE RESPONDE QUE NÃO ELE É PRECONCEITUOSO.
QUE É PRECONCEITUOSO DE VERDADE ?
VEJAM E QUE A RESPOSTA TA NA CARA
 
julio junior em 26/05/2013 22:33:48
Embora vcs não publiquem, nunca, vou dizer.. Esses jornais só apoiam o errado. To contigo kleber. Abaixo quem quer acabar co m tudo.
 
francisco fetter em 26/05/2013 22:02:25
Pior que o Kleber Kruger, que nao conheço, tem muita razão.
 
Roma Luitz em 26/05/2013 21:23:12
É...o professor realmente perdeu a razão...mas não é de perder mesmo? Tb não sou contra o homossexualismo, mas cada um na sua...se não posso impor minha opção tb não quero que me imponham a sua...simples assim!! Na verdade homossexualismo virou moda...e observem, prestem atenção...qualquer coisa que acontece agora é declarado homofobia!! Imagina vc chegar na sua casa e encontrar tudo pichado por quem quer que seja expondo uma opinião que não é sua...vai gostar?? pensem no lado do professor tb, é justo!! Afinal toda história tem 2 lados...
 
Cristina Cardoso em 26/05/2013 21:18:22
No teor que ele colocou as coisas, eu acredito sim que ele está... Criou-se uma heterofobia, q ainda não é tão grande realmente, mas é questão de tempo. Pq ao invés de pichar paredes de universidades, não viver a vida normalmente SEM FALAR SOBRE ISSO???
"I am going to stop calling you a white man and I'm going to ask you to stop calling me a black man."
 
Gerson Albuquerque em 26/05/2013 20:39:32
Realmente ele exagerou, mas e quem pichou as paredes não exagerou também? Não tô aqui pra defender nem um dos dois lados, até porque houve exagero dos dois lados, apenas.
 
Paulo Miranda em 26/05/2013 20:20:41
Não entendo um jornal eletrônico como o Campo Grande News, publicar a liberdade de expressão de um indivíduo, q é uma liberdade individual garantida pela constituição, e desta maneira EXPOR o professor simplesmente por ter publicado no próprio perfil, não entendo a que ponto vocês querem chegar com uma matéria dessas
 
Eduardo Saboya em 26/05/2013 19:53:29
Temos de respeitar a liberdade de expressão, ocorre que o referido professor pegou pesado em sua linguagem, porem, os ideais que o mesmo criticou concordamos com gênero, número e grau.
 
Alexandre Papipa em 26/05/2013 19:38:10
Faltou ética e maturidade ao nobre professor, afinal esta não é a postura esperada de um professor, ainda mais sendo universitário. Vejo isso com preocupação. Se quem pichou agiu de forma que fere a lei, a postura do professor é vergonhosa.
 
Valter Queiroz em 26/05/2013 19:34:13
Pixar paredes é uma conduta reprovável... Pixá-las com comentários preconceitusos já passa a ser uma conduta criminosa. Sim, porque se alguém pixar frases como: "O amor hétero é lindo!", "A união do homem e da mulher são o alicerce da vida!", será taxado de homofóbico . Entendo que a conduta do suposto professor não tenha sido das mais acertadas, mas há que se fazer uma revisão também desses pretensos defensores da cultura homossexual para que não se tornem impositores. Temos de respeitar, não amar suas escolhas!
 
Fabiano Bellesia em 26/05/2013 19:34:03
Constituição Federal, Art. 5º; inciso IV - "é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;"
 
paulo souza em 26/05/2013 19:28:02
Engraçado hj em dia o que mais tem são homosexuais que as vezes até são homofobicos pra fingir ser o que não são...
 
Pedro Alcantara em 26/05/2013 18:51:23
FALOU A VERDADE, DE FORMA EQUIVOCADA, PORÉM A VERDADE ! ! !
 
Lincoln Cortez em 26/05/2013 18:45:19
SOU PROFESSOR EM SC E SINDICALISTA DO MAIOR SINDICATO DOS PROFESSORES DE SC COM 60 MIL NA BASE. GOSTARIA DE REPUDIAR A ATITUDE HOMOFÓBICA DO PROFESSOR.
 
MARCELO DA SILVA em 26/05/2013 18:44:43
Creio que o único erro do professor foi usar termos chulos e associar alguns cursos à prática homossexual (mesmo que ele não tenha citado quais). Como o facebook é uma rede social de uso pessoal, acredito que ele não pode ser condenado por tal publicação, afinal estava somente demonstrando sua indignação para com um ato de vandalismo, cometido por criminosos que depredaram o patrimônio da universidade (pública ou não). Já a respeito da matéria, acredito que ela foi parcial, demonstrando não só o fato, mas também ódio igual ou maior, que aquele publicado pelo professor. Acredito também que utilizar a mídia com um objetivo tão torço, como provocar a demissão de um professor, em detrimento de uma opinião tão somente pessoal, é até pior que os termos chulos publicados pelo mestre.
 
Anderson Lima em 26/05/2013 18:40:11
O ato de vandalismo contra o patrimônio público ninguém acha ruim? Ora leitores, há anos tentam impor goela a baixo da sociedade brasileira a homossexualidade e tudo em um piscar de olhos vira homofobia! Querem respeito? Se deem ao respeito!
 
Lucas Serrou Queiroz Botelho em 26/05/2013 18:03:46
Este indivíduo, Kleber Gruger, pelo que consultei na Plataforma Lattes (banco de currículos de pesquisadores) é um aluno (nada aplica diga-se de passagem, pois não tem produção acadêmica relevante) no programa de pós-graduação em Ciências da Computação, mestrado, na UFMS. Em 2010 foi professor colaborador da Instituição. Só se ele é professor atualmente e não atualizou o currículo. Em todo caso, isso não tira a sua responsabilidade pelo preconceito disseminado raivosamente na internet. Se fosse funcionário público, docente, teria que responder perante a Instituição e a Justiça comum. Como estudante, deve responder na Justiça por isso. Aliás, deveria saber, como suposto "cientista da computação", que o facebook aceita tudo, mas uma vez dito, é prova contra ou a favor, pois se materializa.
 
Vitor Oliveira em 26/05/2013 17:46:09
Sinceramente tem que parar com essa "defesa" de gays,indios, as minorias... o que a mídia e a justiça deveria obrigar o respeito ao proximo, aos limites da educação, não sou obrigado a aceitar que a igreja do lado de casa me atrapalhe a dormir durante a noite, não me interessa com quem ou quantos, meu vizinho dorme, a mim dá igual, contanto que não me atrapalhe!!
 
Caio Prado em 26/05/2013 17:19:27
onde esta o seu direito de livre expressão, uma vez que vivemos em uma sciedade democrática, professor?
 
tatiane lago em 26/05/2013 16:41:43
Não entendi ele não pode manifestar-se onde esta a liberdade de expressão, hoje tudo que se fala virou homofóbico, agora o que eles falam e pensam pode, ficar nu nas ruas pode ?!! e expressão de que as pessoas sentem não??
 
claudinei braz em 26/05/2013 16:40:57
O professor está mais do que certo! Em momento algum ele incitou violência ou coisa do tipo, ele apenas disse o que muito provavelmente ocorrerá. Infelizmente tudo está sendo rotulado como "homofobia" nos dias de hoje, o simples fato de não concordar com o homossexualismo já lhe torna um "homofóbico", o que é ridículo. Todos têm o direito de fazer o que quiserem de suas vidas, isso se chama liberdade, o que não deve ser confundido com libertinagem, que é justamente o que está acontecendo nos dias de hoje, em que os homossexuais tentam impor sua opção sexual "guela abaixo", fazendo escândalos, excedendo e muito a tão invocada liberdade sexual e de pensamento.
 
Charles Bronson em 26/05/2013 16:39:37
EU penso que como os homoafetivos picharam as paredes expressando a opinião deles, alguem heteroafetivo tambem pode expressar a dele em um mural de facebook, e não importa se é professor ou não.
 
Luciana Brasil em 26/05/2013 16:38:13
Ahhh ta vandalismo pode se partido de homossexual tbm pode ? estao podendo tudo mesmo ne num mundo onde tudo ter suas próprias opniões e preconceito..affff virou bagunça!!!
 
Ana Maia em 26/05/2013 16:30:03
"ataca"... acho que a unica coisa que ele fez foi exercer um direito: Constituição Federal de 1988
Art. 5º inciso IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;
 
Christoffer Jamesson em 26/05/2013 16:29:56
Hoje em dia, emitir opinião PESSOAL é crime, principalmente envolvendo esse "tema". Eeeee Brasil, cava o buraco porque você já morreu, só faltam enterrarem!!!
 
Paulo Carvalho em 26/05/2013 16:26:28
Cada um tem o direito de se expressar como achar melhor!!! seja com xingamentos ,ou protesto , ele apenas se indignou com a pichação feita no campus,porém, nada deve ser generalizado.Há homossexuais muito bem distintos por ai, porém, como todo ser humano sempre há imbecis espalhados por toda parte.
 
Anne Rodrigues em 26/05/2013 16:16:40
Realmente ele não precisava ter usado essas palavras baixas pra expor a opinião dele. Mas vamos combinar que hoje em dia, qualquer coisa dita contra o homossexualismo já é considerado crime homofóbico. Mas uma coisa é existir o respeito para com essas pessoas, e outra é querer impor que as pessoas tem que achar bonito e normal o que eles fazem! Não é também uma falta de respeito picharem a parede de uma instituição pública com frases do tipo? O respeito não tem que existir apenas com os gays e sim com todo mundo. Eles também tem que respeitar o fato de que algumas pessoas não aprovam esse tipo de conduta. Uma coisa é o fato de eu aceitar um homem se relacionar com outro homem, outra coisa é alguém impor que eu aprove isso! Eles lutam tanto por liberdade mas estão tirando a nossa!
 
Lígia Martins em 26/05/2013 16:09:01
Este professor "universitário" que vai ensinar os jovens de Campo Grande??! Meu Deus! Se ele fosse meu filho,eu teria muita,mas muita vergonha de algum amigo meu saber que é esta a educação que "os pais" deram a ele. Ele deve ser punido exemplarmente,por disseminar o ódio em nossa juventude. Punição pra esse demente já!!!
 
Elcio Muniz em 26/05/2013 16:08:19
Essa é a opinião de todos, até que enfim alguém teve coragem e falar, parabéns ao professor.
 
Harolo Carlos em 26/05/2013 16:07:05
Olha é muito errado oque ele fala, pois é imoral tal besteira talvez deve existir uma conversar interna sobre conservação dos bens públicos ( Patrimônios), ele como professor não deveria falar isso pois também acaba com a moral dos outros professores até mesmo conheço pessoas homo, que realizam cursos ai mesmo na federal na área dele, sendo assim ele não tem direito de agir desta tal forma. Entendo eu que é mais humano partir com projetos contra a pichação e não contra a homofobia pois ele não deixa de agredir verbalmente o mesmo.
 
Luan Fernandes em 26/05/2013 16:02:35
ESTAMOS EM UM ESTADO DEMOCRATICO DE DIREITO, SE A CONSTITUIÇÃO DEFENDE A LIBERDADE DE EXPRESSAO. O PROFESSOR NAO E FAVOR DO HOMOSSEXUALISMO.. E UM DIREITO DELE SE MANIFESTAR... AGORA PIOR E TER UM FILHO DROGADO.
 
marcos ambrozio em 26/05/2013 16:01:20
Boa professor!
 
Karina Lopes em 26/05/2013 15:55:19
As pichações são tão agressivas aos heteros tradicionais quanto os ofensas do professor... se fossem heteros pichando: AMOR DE VERDADE É ENTRE HOMEM E MULHER, ou FORA BOIOLAGEM, seria uma caça as bruxas só na UFMS... querem respeito? primeiro respeitem o espaço alheio!
 
Rubens Rivera em 26/05/2013 15:54:56
Quem queria chamar a atenção era ele. Deve ser expulso da UFMS. Um professor assim é o que menos a sociedade precisa. Um ambiente acadêmico, onde se deve discutir ideias, o cara faz isso? Se ele está indignado, como professor, deveria denunciar a pichação para que fosse apurada a autoria e não querer incitar o ódio. Deve ser expulso e esse caso ganhar projeção nacional, para ele ficar famoso ao lado do Bolsonaro, Silas Malafaia e Felicianos da vida, e repensar o que ele diz. Ser contra é uma coisa, agora o que ele fez, ameaçar, incitar ódio, é outra coisa.
 
Rafael Santos em 26/05/2013 15:52:07
como alguém se preza a ser homofóbico em pleno século XXI? Sou hetero mas defendo com unhas e dentes o fim da homofobia.
 
Robson Oliveira em 26/05/2013 15:49:55
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.