A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

12/11/2014 09:50

Rapaz que furtou R$ 6 para reencontrar grande amor já está em presídio

Helio de Freitas, de Dourados
Danilo Ferreira vai ficar 30 dias no setor de triagem antes de ser mandado para a cela (Foto: Sidney Bronka/94 FM)Danilo Ferreira vai ficar 30 dias no setor de triagem antes de ser mandado para a cela (Foto: Sidney Bronka/94 FM)

Danilo Maurício Souza Ferreira, 19 anos, o Danilinho, já está na Phac (Penitenciária de Segurança Máxima Harry Amorin Costa), em Dourados, a 233 km de Campo Grande, mas ainda vai demorar mais um pouco para reencontrar seu “grande amor”. O rapaz que ficou conhecido após roubar uma bolsa com R$ 6 em moedas para poder voltar ao presídio, de onde tinha saído seis dias antes, deve permanecer no setor de triagem por um mês para depois ser transferido para uma cela em que ficam os demais internos.

Veja Mais
Rapaz furta R$ 6 só para voltar ao presídio e reencontrar o “grande amor”
Aos 56 anos, Márcia é parceira do filho do tênis de LED ao Pokémon Go

O rapaz ficou cinco dias em uma cela do 1º Distrito Policial e depois foi levado para o presídio de segurança máxima, exatamente como tinha planejado quando, na quinta-feira, dia 6, viu um carro com o vidro aberto na área central e pegou a bolsa, de onde tirou R$ 6 em moedas e nem se preocupou quando a proprietária do veículo disse que chamaria a polícia.

Na Phac, Danilinho vai permanecer na chamada “cela de inclusão” e depois desse período de readaptação ele será distribuído para uma cela do raio 1 ou raio 3, já que no raio 2 ficam apenas os presos ligados a facções criminosas. O Campo Grande News apurou que os agentes penitenciários e a direção da unidade não interferem em casos de relacionamento entre presos, mas também não existe nenhum tratamento privilegiado aos “casais”.

“Depois desse tempo no setor de triagem, para observação, ele deve pedir para ficar em uma determinada cela. Aí vamos analisar se o pedido poderá ou não ser atendido. Se for possível atender tudo bem, se for para uma cela compatível com o delito dele, de repente eles ficam juntos porque não interferimos na convivência e relacionamentos do interno. Agora se tiver algum impedimento ele vai para outra cela ou até mesmo outro raio”, afirmou por telefone um funcionário da penitenciária.

O agente penitenciário informou ao Campo Grande News que a direção da Phac ainda não sabe quem é o interno com quem Danilinho se diz apaixonado, mas uma busca está sendo feita na tentativa de identificá-lo. O presídio da segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul tem pelo menos 1.300 internos.

A história de Danilinho – Para poder voltar ao presídio, onde ficou por um ano e lá conheceu o “grande amor de sua vida”, Danilo Ferreira cometeu um crime menos de uma semana depois de ganhar a liberdade.

Preso em flagrante pela Polícia Militar, Danilinho foi levado para o 1º Distrito Policial. Na delegacia, chorou e disse que estava com saudade do companheiro, que não via há seis dias. No tempo em que ficou longe da Phac, Danilo ficou sozinho, pois o companheiro continuou na cadeia.

“Gosto muito dele, amo muito ele, só quero ele. Não quero mais ninguém, sou apaixonado por ele”, afirmou Danilo. “Amor, muito amor”, respondeu o rapaz ao ser perguntado por qual motivo queria tanto voltar para a penitenciária.

Danilinho chegou a chorar ao ser entrevistado por repórteres de rádio da cidade. "Quero passar o resto da vida com ele. Amor é gostoso. Quem ama cuida". O amado teria sido preso por homicídio e tráfico e há um ano os dois começaram a namorar no presídio, inclusive, com o consentimento das famílias, garantiu o rapaz. "Eles me respeitam muito e minha família também respeita ele".

Natural de Deodápolis, a 66 km de Dourados, o rapaz foi preso pela primeira vez no dia 17 de maio do ano passado, após furtar seis barras de chocolate em um supermercado do centro. Dez dias depois, mais uma prisão, dessa vez no Jardim Novo Horizonte, onde tentou furtar uma bicicleta.

“Eu só fui preso por 155 [artigo do crime de furto no Código Penal]. Não cometo assalto, não mato ninguém, não tenho coragem de fazer nada, só furto”, afirmou o rapaz, dependente químico. “Crack, pó, maconha, pedra e bebida. Eu estou perdido, mas quero ele, só amo ele”, afirmou sobre o “amor” que ficou no presídio.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.