A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

21/01/2013 16:58

Sem medo dos mais velhos, "baile de debutantes" de Nathaly será na UFMS

Ângela Kempfer
Nathaly já na UFMS, para a matrícula. (Foto: Rodrigo Pazinato)Nathaly já na UFMS, para a matrícula. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Aos 14 anos, Nathaly já estava preparada para o 2º ano do Ensino Médio na escola Maria Constança de Barros Machado, com matrícula feita e tudo. Mas os planos mudaram vai direto para a Universidade Federal, graças a decisão da Justiça.

Veja Mais
Liminar garante a menina de 14 anos vaga no curso de Artes da UFMS
Aos 56 anos, Márcia é parceira do filho do tênis de LED ao Pokémon Go

Para a menina, que diz estar acostumada com amigos mais velhos, “de 15 e 16 anos”, a notícia não deu nem frio na barriga. Nathaly já fala como universitária, com uma conversa de surpreender diante da pouca idade.

Tem uma maturidade difícil de encontrar na meninada do Ensino Médio, além dos sorrisos, muitos sorrisos. Principalmente hoje, dia de matrícula na universidade.

A estudante conseguiu nota no Enem para cursar Artes Visuais na UFMS, teve o direito negado e por isso recorreu à Justiça e ganhou. “Fiz como treineira, mas sabia que tinha condições”, conta.

O curso é um dos menos concorridos, mas a facilidade não foi critério na hora da escolha. “Entrar na faculdade é fácil, mas ser bom no mercado nessa área é bem mais difícil. Sempre pensei em fazer Artes. É o que eu gosto e o que vejo como trabalho no futuro”, justifica.

A menina nem completou o Ensino Médio e já sabe exatamente onde quer estar daqui a 4, 5 anos. “Trabalhar na rede pública de ensino e na comunidade”. Ela tem todo aquele discurso da juventude de mudar o mundo. Pretende usar a arte para transformar, para melhorar o que julga estar errado.

Se não for “bem isso”, quando estiver se formando em Artes terá a idade dos que entram na faculdade. Daí, é só continuar e, quem sabe, chegar aos 30 anos com 4 diplomas. “Posso fazer Jornalismo e até Direito depois”, planeja.

A palavra chave para enfrentar a rotina de estudos em uma universidade, sem aquela vigilância dos ensinos Fundamental e Médio, é “autonomia”. “Minha mãe sempre me criou para tomar minhas próprias decisões, sem cobrar notas, por exemplo. Tudo ficava sob minha responsabilidade e assim aprendi a ser responsável”.

Nathaly não acha ser diferente de outros adolescentes. Talvez a “vantagem” seja a determinação e o convívio com a mãe advogada, avalia. “Ia para faculdade com ela e ali aprendi como é o ambiente universitário. Sempre gostei”, lembra.

Quando tinha dez anos, os pais se separaram, uma etapa aparentemente sem maiores traumas. Hoje, com uma irmã de 2 anos, é a “velha” da casa, mas ainda lida com as bonecas. São modelos para criação de roupas.

Desde os 8 anos, Nathaly gosta de customizar peças, de cortar os cabelos das amigas de forma “diferente, de “mexer, de se expressar”. Quer ser artista no sentido amplo da palavra, transitando por diferentes formas de expressão, nada diferente da maioria das adolescentes na era da informação fácil.

Apesar de dizer que gente mais nova “só por Deus”, o “quase namorado” tem 15 anos, os melhores amigos também estão na mesma faixa etária. A tendência é que todos fiquem pelo caminho com a chegada de outra turma na vida da futura acadêmica. Um problema? A garota acha que não.

“Tem muita gente que diz que isso não é certo, que não é bom gente mais nova se relacionar com mais velhos por causa de coisas como droga. Isso para mim é muito tranquilo, só é complicado para quem não sabe o que quer”, defente.

Em maio Nathaly completa 15 anos, mas sem o baile de debutantes. A vida adulta chegará antes, em março, quando começam as aulas na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.




duro é ler as pessoas declarando que isso é fruto de mérito, perseverança e determinação. é lógico que essas pessoas queriam mesmo é dizer que é fruto de um ato ilícito e que, por outros motivos, um desembargador, sabe-se lá de que forma, deixa de analisar tantos processos acumulados em sua mesa e dá prioridade a uma barbaridade dessas. alguém com méritos, perseverança e determinação ficou sem a vaga tirada na justiça por alguém que não está qualificada para tal por não ter o ensino médio concluído - isso sim é o fato - mais uma vergonha sulmatogrossense.
 
josé augusto em 22/01/2013 08:35:57
Já que é assim, um adolescente de 14 anos que cometa um homicídio (o que não é raro), poderá ser alistado nas forças armadas e mandado para a guerra, afinal, já cumpriu o requisito necessário.
 
Jonas Torres em 22/01/2013 08:02:08
parabéns vc so tem a ganhar estudando, as meninas da sua idade deviam seguir seu exemplo!
 
djane alves gomes em 22/01/2013 07:16:13
No brasil é assim, tudo fica a cargo de um juiz, se ele dizer que você não é você, pronto você não é.......o que tem de juiz decidindo a favor das gambiarras....
 
Julio Leopoldo da silva em 22/01/2013 01:05:15
Parabéns Nathaly, é isso aí, você conseguiu por seus méritos independente da idade ou de não ter concluido o ensino médio, isso não quer dizer nada. Agora é encarar com muita vontade, pois ao contrário do que muitos pensam o curso não é moleza, é em período integral e exige muito estudo, disciplina e seriedade. Seja bem-vinda "calourinha"!
 
Aguinaldo Alves em 21/01/2013 23:22:46
Espero que ela não aprenda a duras penas que nem tudo na vida se consegue a base de liminares, os pais deveriam apoiar sim mas não forçar para que as coisas aconteçam precipitadamente, ela deveria aprender a saber que as coisas tem o tempo certo.
 
Ana Gonçalves em 21/01/2013 21:19:17
Parabéns, naty!!!!!! um exemplo de perseverança e determinação não deve ser medido pelo tempo de vida mas sim pela qualidade e experiencia dessa vida!
 
Nathália Diório em 21/01/2013 20:37:57
Orgulho das amigas, esforçada demais, merece tudo de bom.. Parabéns minha loira linda
 
Mika Garcia em 21/01/2013 20:21:47
Estudei com essa princesa. Amiga, merece viu? Muito sucesso pra você , vou sentir sua falta na escola , parabéns gatinha (:
 
Amanda Jaimes em 21/01/2013 19:32:01
Essa que toda regra tem sua exceção e melhor liberar tudo de uma vez assim economiza nos processo e custos que isso vai causar. Quem puder mais chora menos, o negocio e estudar.
 
ELIANE DIAS CAMPOS em 21/01/2013 19:18:57
Isso mostra que o ensino médio é uma farsa e o ENEM uma piada.
 
Gustavo Ribeiro em 21/01/2013 19:08:08
parabéns menina que deus te ilumine nessa jornada, você merece pq é uma batalhadora com apenas 14 anos ja esta na faculdade vai em frente terás um futuro brilhante.
 
maria aparecida de carvalho mota em 21/01/2013 18:54:24
Se esse tipo de atitude continuar nesse rumo, a solução será acabar com o ensino médio, e ficar somente com o ENEM. Treineiro é treineiro, não deve ser classificado como um concorrente a qualquer tipo de vaga. Agora, já que uma adolescente tem maturidade para ser uma " universitária", também deve ter maturidade para assumir as atitudes de um ato ilícito, sem a representação dos pais.
 
Raphael Bittencourt dos Santos em 21/01/2013 18:24:52
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.