A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

21/11/2013 06:19

Turma "pagã' reúne religiões em festival no dia 24, inclusive, com casamento

Paula Maciulevicius
Religiões que a maioria desconhece e que são olhadas sob a óptica do preconceito, resolveram abrir as portas para o público em festival. Religiões que a maioria desconhece e que são olhadas sob a óptica do preconceito, resolveram abrir as portas para o público em festival.

“A melhor religião é aquela que te faz um ser humano melhor”. A frase de Dalai Lama reflete o espírito do Alameda Festival, encontro da comunidade pagã que acontece em Campo Grande, no próximo dia 24, no Teatro Arena do Sesc Horto.

Veja Mais
Caligrafia da escola rendeu à Marystella a profissão de designer de lousas a giz
Luis ganhou o título de presidente e hoje é dono da própria cadeira no bar

Religiões que a maioria desconhece e que são olhadas sob a óptica do preconceito, resolveram abrir as portas para o público. Pela primeira vez, serão reunidosr o Asatru, Druidismo, Wicca, Xamanismo, Umbanda, Camdomblé, Hinduísmo e Budismo em um só local, com apresentações de música, teatro, dança, palestras, além de feira de artesanato regional e esotérico.

Um dos organizadores do evento, o estudante de História e seguidor do Druidismo, Hugo Cezar Fernandes Gondim, de 20 anos, explica que o intuito é reunir tradições religiosas de origens,célticas, nórdicas, indígenas, africanas e orientais e que a palavra pagão, vem do latim: pessoa que cultua o campo ou a natureza, diferente do significado atribuído pelo Cristianismo, sustenta Hugo.  

“Aqui em Campo Grande não tem nenhum evento relacionado a isso e esse ano, nós colocamos alguns objetivos, de combater a intolerância e desmistificar essas religiões”, comenta.

Dia 24 será de teatro, dança, cultura e palestras contra a intolerância religiosa. Dia 24 será de teatro, dança, cultura e palestras contra a intolerância religiosa.

Na programação estão incluídas palestras e mesas-redondas para discussão das religiões por cada representante. “Muitas vezes elas são dadas como religiões alternativas, mas elas já tem aí milênios de estudo e prática”, afirma. O Druidismo que ele segue, é politeísta com deuses relacionados ao sol, lua, natureza e paisagem principalmente. “São os deuses e deusas dos celtas. Você vai descobrindo desde criança que é diferente das outras pessoas, aí com 14 anos comecei a pesquisar”, complementa. Hoje ele segue a religião há 7 anos.

Pertencente à religião Wicca há três anos, a professora Elizabete Bonfim, de 31 anos, conta que foi pelas redes sociais que os grupos se reuniram ao ponto de realizar o festival. Entre eles, as reuniões já acontecem em um domingo por mês, chamado “Encontro Social Pagão”.

“Todo mundo entende bruxaria como contra-religião, mas não prega o mal. Só faz o bem. Ela cultua e se sente parte da natureza”, defende. A Wicca cultua deus e deusas e acredita no sagrado feminino. Sem templo e nem igreja, as reuniões acontecem na casa dos seguidores.

Sobre o festival, Elizabete diz que entre todas as religiões há diferenças, mas também muitas semelhanças. “E elas se unem, um respeita a diferença do outro”, diz.

Chamado “Handfasting” (atar as mãos), a cerimônia amarra as mãos dos noivos como símbolo da união pagã. Chamado “Handfasting” (atar as mãos), a cerimônia amarra as mãos dos noivos como símbolo da união pagã.

Para encerrar o festival, Elizabete e Hugo serão sacerdotes na celebração do casamento pagão. A união, que seria apenas uma simulação, vai amarrar as mãos de Rose e Alessandro. Chamado “Handfasting” (atar as mãos), a cerimônia é diferente do Cristianismo, partindo do princípio de que tem prazo de validade.

“Você faz a intenção de viver com a pessoa. Depois de um ano você oficializa e se não quiser continuar casado, tem essa liberdade de dizer, porque acreditamos que tudo tem começo, meio e fim”, explica a noiva, Rose Borges, de 32 anos.

A editora de imagens conta que o intuito é provar que os rituais não envolvem sacrifício animal, sangue e ninguém dança pelado. “Todos os ritos são baseados no amor próprio e no respeito. Ficamos na dúvida do que fazer e chegamos a conclusão de mostrar como é um casamento”, diz.

Quando ela sugeriu a simulação ao noivo, recebeu o pedido. “Ele falou porque a gente não faz para valer?”

O Alameda Festival começa às 9h e se entende até 20h40, com entrada franca, no Teatro de Arena do Horto Florestal.




Estarei presente somente a tarde devido a compromissos.. que ótima iniciativa! Será lindo o casamento ! Paganismo (do latim paganus, que significa "camponês", "rústico" ) é um termo geral, normalmente usado para se referir a tradições religiosas politeístas. É ter direito á liberdade de escolha religiosa!! Acho importante frisar isso porque muitas pessoas pensam na palavra pagão como algo ruim entende...
 
livia felix da costa em 24/11/2013 12:10:52
Sou pagão nórdico (Asatru) há 10 anos.
No Festival Alameda, o Kindred Striðshundar, do qual faço parte, estará presente realizando a apresentação de uma peça de teatro, o mitodrama "Os sonhos de Balðr"
 
Scotch Luis em 22/11/2013 12:48:01
Sou de Três Lagoas e por causa da distância e dos compromissos não poderei participar.
Da ultima vez que estive em CG conheci o Hugo e a Elizabete, são pessoas lindas e tenho certeza de que o evento será um sucesso. Abençoados sejam.
 
Fabiane Filgueiras em 22/11/2013 11:05:30
Olá Alinny Rehbein..Sua visita será muito importante para nós.. temos dois grupos no facebook: Comunidade Wicca Campo Grande (https://www.facebook.com/groups/227198977415631/?fref=ts) e Comunidade Pagã sul-matogrossense (https://www.facebook.com/groups/243511005729432/?fref=ts)...será bem vinda! abaços
 
Rose Borges em 22/11/2013 08:34:38
Sou pagã, pratico a bruxaria solitária por não conhecer um coven ou grupo em Campo Grande para participar, gostaria muito de ir a este encontro e quem sabe conhecer pessoas que podem acrescentar conhecimentos à minha espiritualidade. Estarei com visita em casa, mas farei o possível para comparecer e gostaria de saber se existe algum grupo no facebook onde seja discutido o assunto. Grata.
 
Alinny Rehbein em 21/11/2013 23:33:09
Eu sou pagão e alegre. pago conta alta da luz, pago conta d'agua pago imposto caro, pago cartão de credito com taxa absurdas do banco e etc.
 
Gilberto DIAS em 21/11/2013 13:50:34
Adorei a reportagem...estarei lá com certeza. Não sou pagã, mas o respeito para com todos precisa ser cultivado. Ainda, parabenizo os idealizadores pela proposta deste encontro. Até domingo!
 
Hellen Gondim em 21/11/2013 07:45:45
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.