A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2017

23/08/2016 15:37

Um ano após diagnóstico, professor Carlão encontra doador de medula compatível

Naiane Mesquita
Professor Carlão encontrou uma medula compatível (Foto: Arquivo pessoal)Professor Carlão encontrou uma medula compatível (Foto: Arquivo pessoal)

Um ano após a descoberta da aplasia medular, o professor Carlos Alberto Rezende, 52 anos, mais conhecido entre os alunos queridos como Carlão, encontrou uma medula óssea compatível. A história do professor que reuniu os amigos antes de iniciar o tratamento e foi contada aqui no Lado B, começa a ter um final feliz.

Veja Mais
Guardiã de João, por uma semana repórter cuidou do Fusca sem freios de Júlia
Na novena que atrai milhares, até padre vai em busca de graça

Entre sorrisos e lágrimas de quem só tem a agradecer, Carlão conta que recebeu a informação há pouco tempo. “Foi comunicado agora há pouco. Meu médico recebeu a carta do banco de doação de medula óssea e me avisou. Mandou a cópia da correspondência. O início do procedimento vai ser feito em Jaú”, explica Carlão.

O professor ainda não tem nenhuma informação de quem é o doador, mas prevê um encontro com direito a abraços. “Porque ele é voluntário. A pessoa pode desistir de fazer a doação até o último momento, mas ela escolhe seguir em frente. Isso é maravilhoso, não sei nem falar o tamanho da minha emoção, não paro de chorar e de rir ao mesmo tempo”, comemora.

Para Carlão, o que continua é o trabalho do Instituto Sangue Bom. “Vou continuar fazendo palestras, ampliar as campanhas para incentivar o cadastro de doadores de medula óssea. Esse é o meu trabalho daqui para frente”, diz.




imagem transparente
Busca

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.