A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

14/02/2012 21:57

"Mijões", barulho e lixo incomodam vizinhos de barracões de escolas

Elverson Cardozo e Jeozadaque Garcia
Nem a linha férrea escapa dos mijões. (Foto: João Garrigó)Nem a linha férrea escapa dos "mijões". (Foto: João Garrigó)

É só chegar a época de carnaval que a história se repete. Reclamações sobre os mijões durante a folia. Em Campo Grande a situação já causa transtornos a vizinhos de barracões de escolas de samba. O “ensaio” dos “mijões” começa antes mesmo da agremiação entrar na avenida. Além disso, o barulho, que para muitos é diversão, também incomoda alguns moradores.

Veja Mais
Astrologia védica mostra o futuro, mas também ensina a aceitar o destino
Como mágica, o amor encontrou o palhaço e romance vive liberdade em belas fotos

Moradora da Vila Carvalho há 11 anos, uma professora que pediu para não ser identificada, afirmou que a situação, além de desagradável, incomoda. A lateral da casa onde mora, contou, vira o “banheiro” dos foliões.

“Depois da meia-noite acaba o barulho, mas o pessoal ainda fica na muvuca”, afirmou.

Para o oficial de justiça aposentando, Eurides Farias, que mora na mesma quadra, o barulho não incomoda. “Eu até participo da festa às vezes”, disse. O problema é a falta de educação de alguns membros que não usam o banheiro da agremiação.

Aposentando conta que já chegou a correr atrás de mijões que insistem em urinar na parede ao lado de sua casa. (Foto: João Garrigó)Aposentando conta que já chegou a correr atrás de "mijões" que insistem em urinar na parede ao lado de sua casa. (Foto: João Garrigó)

A parede ao lado da casa do aposentado também já foi palco dos “mijões”. “Teve um dia que eu tive que correr atrás de um deles durante a madrugada”, contou.

No bairro São Francisco, onde está instalado o barracão da Igrejinha, o problema se repete. Guiomar Almeida, moradora do bairro há 13 anos, afirma que a situação é constrangedora.

A vendedora de seguros relata que já flagrou homens e mulheres urinando no trilho que passa em frente a sua casa. “Isso é uma falta de respeito, tenho crianças em casa”, finalizou.

Outras reclamações – Fora o problema com os “mijões”, moradores também reclamam do som alto, de brigas, acidente envolvendo motoristas embriagados e até de cenas indevidas que são obrigados a presenciar.

O autônomo Evandro Arantes, que também mora no bairro São Francisco, já flagrou casais praticando sexo no meio da rua.

Rua fica forrada de garrafas de cervejas e copos dercartáveis. (Foto: Oswaldo Benites Junior)Rua fica "forrada" de garrafas de cervejas e copos dercartáveis. (Foto: Oswaldo Benites Junior)

Inconformado com a falta de educação e bom senso, Oswaldo Benites Júnior, leitor do Campo Grande News, flagrou uma cena que já virou rotina nas proximidades da escola de samba Igrejinha: A rua “forrada” por garrafas de bebidas alcoólicas e copos descartáveis, depois dos ensaios da agremiação.

O registro foi feito no domingo (11) e nesta segunda-feira (12). Segundo o leitor, os freqüentadores fazem do local um “descarte de lixo”.

“É um incômodo ver pessoas desprovidas de educação e respeito fazer da porta da nossa casa depósito de lixo e banheiro público”, disse Oswaldo, que pede providências.

Além da sujeira, outra situação denunciada foi o som alto. Para o leitor, a entidade não respeita algumas regras de convivência em sociedade. “O barulho após às 22h é frequente”, afirma.




Na verdade ,o nosso prefeito que gosta tanto de ver tudo arrumadinho já deveria ter criado um sambodromo, mas bem longe de preferencia lá perto do lixão pra esse pessoal ai fazer xixi lá atrás .
 
Tita monteiro em 16/02/2012 10:07:07
Jogam lixo e depois ainda querem que o prefeito faça milagre e não haja enchentes... é o cumulo mesmo!
 
joyce kelly furtado de oliveira em 15/02/2012 12:25:33
ESTAS ESCOLAS TÊM ALVARÁ DE FUNCIONAMENTO? SE TIVER, COMO A SEMADUR AUTORIZOU O USO DE INSTRUMENTOS, QUE TANTO INCOMODAM OS VIZINHOS E ULTRAPASSAM OS LIMITES ESTABELECIDOS POR LEI? QUE EU SAIBA NENHUMA TEM SEQUER UMA "CAIXA DE OVO" PARA AMENIZAR O BARULHO, OU SEJA, NÃO TEM PROJETO DE ISOLAMENTO ACÚSTICO PARA AMENIZAR O INCOMODO AOS VIZINHOS. CADÊ O MP DO MEIO AMBIENTE PARA FISCALIZAR TUDO ISSO????
 
Anderson Mandu em 15/02/2012 12:23:40
Quem não quer ouvir barulho, vai morar na zona rural, porque isto é normal em cidades, e estas manifestações é um começo para acabar com mais uma tradição do povo brasileiro, a única coisa que não podemos concordar é as necessidades a céu aberto.
 
Wanderley Galeano Vicente em 15/02/2012 11:53:57
Quanto ao barulho....tb n é verdade.....pois moro na região e nada me encomoda......após o ensaio da bateria...q termina por volta das 22:30....o som q emana da quadra é ambiente....alem de possuir segurança na entrada q inibe a entrada de bebidas......a entidade n pode se responsabilizada se pessoas deseducadas fazem uso de som alto nas proximidades........
 
JOÃO TARGO em 15/02/2012 11:37:19
Pois é Marcos Costa moro aqui a 25 anos e em 2011 começaram as barulheiras e bagunças, pois antes não existia isso na minha area residencial e muito menos me passava pela cabeça chegar a postar comentarios em jornais sobre isso. Quer barulhos procure eles lugar apropriado pq eu tenho minha casa propria a 30 anos aqui e quem encomoda é a baderna nas reuniões e não EU! Grata
 
Laura Almeida em 15/02/2012 11:33:06
Não aguento mais barulhos, pelo fato da baderna de madrugada nos finais de semana tentaram arrumba a porta de casa, ainda bem q fizeram barulho demais o susto foi grande e foram embora, logo me levantei! Garanto que se estivessemos no silencio de antes não teria acontecido isso! E se levarem tudo da minha casa ou me renderem, quem vai pagar por isso! Ninguem não é PREFEITO!
 
Laura Almeida em 15/02/2012 11:26:44
o que falta não é lugar apropriado, o carnaval é uma festa de rua, o que falta é policia, mas aqui em campo grande é impressionante como eles te ignoram se sua reclamação é sobre algazarra, bebedeira, racha ou mijões, tem que dar tiro pra cima senão a policia não vem mesmo, esquece.
 
moacir cafaro em 15/02/2012 11:23:45
Não se preocupem quanto ao lixo, já estão tomando providencias, vão proibir as sacolinhas nos mercados...
 
Ricardo Mathos em 15/02/2012 10:43:58
1º: FAZER XIXI E JOGAR LIXO FORA DO LUGAR É MUITO FEIO. 2º Eta povo q reclama, eu quase ñ saio de casa, mas percebo pelas notícias q está muito difícil pr quem quer se divertir em CG. Quem ñ tem grana pr bancar barzinhos caros e clubes, tá ferrado! Até a Expogrande tá correndo risco.
 
LUCI FERREIRA em 15/02/2012 10:39:18
Bom caro Marcos Costa, moramos a mais de dois anos por aqui e a menos de de 6 meses convivemos com esse incômodo, o problema é a falta de respeito dessas pessoas as leis existentes na cidade, não somos nós que temos que mudar e sim essas pessoas começarem a usar de mais educação, temos ai o exemplo do Laucídio Coelho, eventos com muito barulho tem que ser realizados longe.
 
Pâmela Ossuna em 15/02/2012 10:15:05
Para o Sr Joao Targo, deve estar muito desenformado ao contrario do que disse esses ensaios começam por volta das 21:30 e terminam na sua grande maioria das vezes acabam depois das 23:00 e se não te incomoda é por que não mora perto do barracão, e outra o local em volta é usado por seus frequentadores, se eu vou oferecer algo num lugar, mesmo que na rua eu tenho que me responsabilizar pelo mesmo.
 
Oswaldo Junior em 15/02/2012 10:09:02
Agora vão dizer que é birra de um morador?
O problema acontece em outras partes da cidade o Ministério Público já está ciente dessa situação e esperamos providências, acredito que não seja necessário nós moradores ir mos até a referida escola para lembrar a eles de seus deveres para usar o espaço que ali se implantaram, educação não se aprende numa escola de samba, se traz de casa.
 
Oswaldo Junior em 15/02/2012 09:58:12
Faltou ainda as fotos da obra da Orla Morena na 14 de julho cheia de lixo que os frequentadores da tal igrejinha deixam após as reuniões, sem falar no barulho q é muito alto depois das 10 da noite afinal a lei do silêncio vale só para casas noturnas e para o Laucídio Coelho?
Esperamos que alguma autoridade se manifeste!
 
Oswaldo Junior em 15/02/2012 09:52:18
Fato é que shows sempre existiram em Campo Grande e o que eu percebo é que quem reclama, sempre são pessoas que compraram seus imóveis sabendo que naqueles locais existiam bagunça. Tem senhoras e senhores que dizem em entrevistas "eu mora aqui a 15 anos..bla, bla, bla..." E estes locais já existem a mais de 20, 30 anos. Eu também adoro sossego, por isso moro bem longe destes locais.
 
MARCO COSTA em 15/02/2012 09:49:23
No Brasil o povo sofre com a minoria que ganha muito dinheiro com esse carnaval, que na verdade, pelo menos aqui no MS, não é uma festa popular. Basta ver no interior do Estado, onde o samba está dum lado e as pessoas estão no sertanejo do outro lado. Porque insistir em querer promover uma festa que poucos gostam? Aqui o sujeito vai ao carnaval de bota e chapéu, carnaval é no Rio e Bahia, e só.
 
Horlando P. de Mattos em 15/02/2012 09:47:23
Complementando meu comentário. Quero que fique claro que não sou contra, muito pelo contrário gosto de samba e carnaval, inclusive já organizei uma das maiores alas que já vista no carnaval de Campo Grande em 2010. Fiz o comentário porque os agentes fiscalizadores do município (SEMADUR) perseguem uns e tapam os olhos para outros. Qual o motivo? Por que não fiscalizar e cobrar todos?
 
Anderson Mandu em 15/02/2012 05:34:27
O Brasil é um país multicultural, tendo como carro chefe o Samba e o Futebol. São áreas de grande retorno financeiro mas que requerem investimentos. . Problemas existem e devem ser solucinados. Cabe às autoridades exercerem seu mister. Cabe ás escolas de samba manter vivo um dos maiores ícones da cultura nacional. Parabéns guerreiros do sambas.
 
ELIZABETE COIMBRA LISBOA em 15/02/2012 03:02:41
O direito de um termina quando começa o do outro! nada mais clichê e verdadeiro. A vida em sociedade é cheia concessões. por isso é que o Estado tomou para si a incumbência de regular a vida das pessoas, sem dar-lhes a possibilidade de resolver seus próprios conflitos. Logo, resta ao poder público fazer valer o CONTRATO SOCIAL e proteger o direito de seus administrados.
 
ELIZABETE COIMBRA LISBOA em 15/02/2012 02:56:56
Ja estam acabando com a expogrande, e agora vão acabar com os ensaios de carnaval...logo teremos a paz dos cemitérios.........quanto aos mijões , bebedeira e lixo, tem que respeitar gente, isso é muito feio.....obs não sou membro de escolas de samba...
 
daniela rodrigues em 15/02/2012 02:50:59
Outra coisa que faltou são fotos da sujeira deixada no dia seguinte pelos frequentadores e participantes dos ensaios, o bairro virou um chiqueiro depois que esse pessoal veio pra cá.
E pela lei após as 22 horas barulho, algazarra, som alto só para locais com devida preparação e isolamento acústico, esperamos que alguma autoridade se manifeste, pois tudo tem limite.
 
Oswaldo Junior em 14/02/2012 11:49:51
Estão vendo......não é só no Parque de Exposições Laucidio Coelho....o Problema é que Campo Grande NÃO tem local adequado para tais EVENTOS....quem paga é a propria população...os ladrões roubam nos eventos...os mijões mijam..os brigões brigam e por ai vai.....é ELES querem lucrar com os problemas alheios....GANHANDO EM BILHETERIAS E VENDENDO BADULAQUES.........PROJETAR E CONSTRUIR UM LOCAL NEVER
 
GILMAR CANDIDO em 14/02/2012 10:49:15
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.