A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

24/08/2012 16:55

Quatro décadas de AA e histórias de vitória contra a bebida

Elverson Cardozo
Eu vi que quando a pessoa não tem o controle da situação ele perde o domínio da vida”. (Foto: Simão Nogueira)"Eu vi que quando a pessoa não tem o controle da situação ele perde o domínio da vida”. (Foto: Simão Nogueira)

“Andei, várias vezes, de mãos dadas com a morte”. Há 10 anos o autor dessa frase evita o primeiro gole, sob o risco de perder o controle e se entregar novamente ao vício. A motivação vem de experiências anteriores, desastrosas, que por pouco não o levaram ao fundo do poço.

Veja Mais
Caligrafia da escola rendeu à Marystella a profissão de designer de lousas a giz
Luis ganhou o título de presidente e hoje é dono da própria cadeira no bar

O personagem que abre essa reportagem tem 56 anos e não pode ser identificado. É uma das regras básicas para se manter o anonimato no grupo dos AA (Alcoólicos Anônimos), que completa 40 anos nesta sexta-feira (24).

Ele é casado e tem três filhos. Trabalha como profissional liberal em Campo Grande e hoje, longe da bebida, consegue manter uma vida normal, mas a realidade, há uma década, era bem diferente.

Em busca de ajuda, chegou a fazer terapia e até tomou vacina, mas de nada adiantou. A bebida, que conheceu aos 18 anos nas “baladas da vida”, era mais forte do que imaginava.

Por anos, a vida pessoal e profissional ficou comprometida. “No início a gente bebe muito, acha que é forte, mas com o tempo acaba perdendo o controle, aí vêm as consequências: problemas familiares, falta de responsabilidade, mentiras com famílias, as fugas”, disse.

Em 2003, o contador foi apresentado ao AA, uma irmandade que tem como objetivo compartilhar experiências, forças e esperanças àqueles que necessitam de ajuda e que pretendem abandonar, de uma vez por todas, o vício da bebida.

Foi lá, nas reuniões em que ninguém se importa com nomes, posição ou ocupação social, que ele encontrou uma “vida nova” e “renasceu”, como costuma dizer. “Eu vi que quando a pessoa não tem o controle da situação ele perde o domínio da vida”, afirmou, ao contar parte de sua trajetória.

O amigo, um apicultor, partilha da mesma opinião. Está no grupo desde 2004 e diz que o a iniciativa é um “alicerce” para conviver em sociedade. “Lá a gente vive e deixa os outros viver”, comenta.

Em Campo Grande há 18 unidades do AA espalhadas pela cidade. Em todo o Estado são 53 espaços.

Festa - Hoje, em comemoração aos 40 anos, será realizada uma festa na Igreja São Francisco de Assis, localizada na rua 14 de julho, 4.267, no bairro São Francisco.

Começa às 20h e está prevista para terminar às 22h30. Na programação, palestras e depoimentos.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.