A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

27/03/2012 08:09

Vitorino's, um bar com política, conversa "jogada fora" e história de 57 anos

Ângela Kempfer
Puccinelli com seu caldinho de feijão e pururuca. (Foto: João Garrigó)Puccinelli com seu caldinho de feijão e pururuca. (Foto: João Garrigó)

Já de entrada, na mesa da esquerda, encontro o governador André Puccinelli entre colheradas de caldo de feijão com pururuca, com a "camiseta de domingo", vermelha com o símbolo da Ferrari. É um dos frequentadores assíduos do bar e restaurante do Vitorino's, um português com cara de sério que ao longo de 57 anos mantém as portas abertas do bar português mais tradicional de Campo Grande, apesar de 3 mudanças de endereço.

Veja Mais
Rua Calógeras divide os dois portugueses mais tradicionais de Campo Grande
Uber multado, reajuste de ônibus e cidade sob chuva bateram recordes nas redes

Vitorino Filho herdou o comércio do pai Vitorino. No prédio simples, na Vila Glória, mas extremamente organizado, os clientes têm mesas cativas no bar da rua Belizário Lima. A turma de Puccinelli tem três, que ficam sempre lotadas aos sábados e domingos.

“Eu consigo vir uma vez por mês. Aqui é gozado. O cenário é sempre igual. Ali fora tem a mesa dos pecuaristas, ali ficam sempre dois velhinhos conversando na mesma mesa, na mesma cadeira e lá adiante é estão os cotoveleiros, sempre em pé, apoiados no balcão”, narra o governador apontando para diferentes cantos do bar.

Apesar de ser o governador, Puccinelli garante que não é importunado dentro do Vitorino's. O que é fácil de entender ao observar a animação entre os grupos que se formam pelo local. “Todo mundo tem sua turma e fica na conversa deles. O único que interrompe é o vendedor de loteria”, sorri.

O companheiro de mesa, ex-vereador Celso Ianase, é quase “sócio” e tem o cardápio na cabeça. “Quarta tem rabada, quinta é dobradinha, sexta é bacalhau e no sábado a feijoada. Venho toda a semana”, comenta.

Na relação de preferências, ele tem dúvidas, mas fala dos pratos tradicionais, regados a bacalhau, além da empadinha, do bolinho do mesmo sabor e sardinha frita.

Zé Maria (à esquerda) na turma dos cotoveleiros.Zé Maria (à esquerda) na turma dos "cotoveleiros".
Vitorino e o cardápio, que traz a história do bar.Vitorino e o cardápio, que traz a história do bar.

No canto da direita, encostados no balcão, os “cotoveleiros” abrem a gargalhada várias vezes durante a passagem pelo Vitorino's. O médico Zé Maria contabiliza 28 anos de conversa fiada no bar. “Aqui ninguém perturba e a gente só fala mal de quem não está presente”, brinca.

De cabeça branca, em uma das mesas do centro, o pecuarista João Proença e o amigo aposentado, o ex-comerciante Álvaro dos Santos, tem ainda mais história no bar. Há 33 anos, desde a abertura, eles aparecem para colocar a amizade em dia. “Fica aqui uma horinha, mas já vale. Somos do tempo do pai Vitorino, esse aí ainda era jovenzinho”, diz Álvaro, indicando Vitorino do outro lado do balcão.

Ainda há a mesa dos advogados e desembargadores, outra dos artistas e aos sábado, “dia da muvuca”, mais de 200 pessoas se misturam para comer a tradicional feijoada. “É a mais antiga em atividade aqui em Campo Grande. Desde 69 eu ofereço”, conta Vitorino.

Por 28 reais, a turma se esbalda com a culinária brasileira, feita pelo português nascido na cidade de Olhão, na região do Algarve, em Portugal, porto com 14 mil habitantes. Veio para o Brasil com 4 anos e nunca mais voltou. Aqui formou família e criou as 3 filhas. “Não sou rico, mas consegui formar as 3, uma é veterinária e as duas outras fizeram administração”.

Sobre a tradição preservada por tanto tempo em uma cidade acostumada a ver tantos bares e restaurantes abrirem e fecharem da noite para o dia, Vitorino ensina: “Acho que é porque a comida é boa, o preço é justo e todo mundo é tratado da mesma forma, independente do cargo que ocupe ou da profissão”.

De cabeça branca, em uma das mesas do centro, o pecuarista João Proença e o amigo aposentado, ex-comerciante, Álvaro dos Santos.De cabeça branca, em uma das mesas do centro, o pecuarista João Proença e o amigo aposentado, ex-comerciante, Álvaro dos Santos.



Nós sempre vamos no Vitorinos que além da tradicional feijoada, eles servem na sexta-feira uma sardinha típica de portugal, e quanto a feijoada ela e simplesmente fantástica e com uma (ou melhor várias) garrafas de bohemia estupidamente gelada o seu sábado está completo e depois e só ligar o ar condicionado do quarto e acordar tarde da noite, rsrsr
 
marcos luis soria em 22/10/2012 13:38:46
Tenho o maior orgulho desse bar... Pois desde da época do " Vô Vitorino" era assim que eu o chamava, pois o tinha como tal, me lembro de ter pessoas de bem e a comida sem cometário.ÓTIMA.Me lembro de qdo era pequena sempre passava no bar pra ver o tio, e ele sempre me dava algumas balas sete belo, que delícia, tempo que não volta mais. Parabéns por tanto tempo fazendo sucesso . Um grande abraço..
 
Ana Cleyce Benites em 30/03/2012 09:59:16
Quanta nostalgia...
Esse bar e essa família fazem parte da minha infancia, meu pai e eu praticamente abríamos o bar de segunda a sexta pra tomar café da manhã antes de ir a escola. Nos finais de semana meu pai e outros "Vitorinetes" não dispensavam a gelada e a boa conversa regada a boa comida, o bolinho de bacalhau era tudo. Tenho até hj um xale q o Sr.Vitorino trouxe pra mim de Portugal. Saudade
 
Mara Rúbia Boeira Portela em 28/03/2012 03:08:37
Parabéns pela Matéria, uma ótima Homenagem para esta Familia Vitorino's que sem duvida nenhuma faz parte da Historia da Nossa Cidade e só contribui para a nossa cultura, durante muitos anos fui vizinha e cliente do Restaurante, e tambem ja até vi o Governador Andre Puccinelli, no local, é sem dúvida um ótimo local para a Familia pode ir e ter um ótimo Passeio. A COMIDA É EXCELENTE E A CHIPA 10!!
 
Shirley Silveira em 27/03/2012 12:57:03
Frequentei muito o Vitorino com meu marido José Carlos, piloto do Ludio Coelho... tempo bom...
 
Elisabeth Mattos em 27/03/2012 12:44:05
Nossa, que nostalgia! Tenho boas lembranças desse local! Abraços a minha amiga Carol, ao seu Luiz e Vitorino!
 
caciano lima em 27/03/2012 12:01:20
Quem não conhece o Vitorino, não conhece Campo Grande. Lugar eclético como a feira, atendimento de primeira, e o grande Português com os óculos abaixo dos olhos, fazendo seus garçons não deixarem ninguem esperando. Justa homenagem a essa família, que unida sempre está pronta para nos oferecer o que há de melhor em sua casa. Boa comida, boa bebida e simplicidade. Parabéns Vitorino...
 
Rafael Rossetti em 27/03/2012 11:14:35
Ambiente agradável, bom preço e sempre se encontra um amigo por lá.. Quem não comeu a impadinha não sabe oque esta perdendo... A feijoada sem se fala.. Tudo bom de bom.....
 
PAULA FERREIRA DE OLIVEIRA em 27/03/2012 11:13:05
Ângela delícia de texto, como sempre! É bom ver a tradição campo-grandense valorizada. O Vitorino realmente é merecedor de nossa homenagem e reconhecimento. Lindo seu trabalho feito no Lado B. beijo grande!
 
Luciane Mamoré em 27/03/2012 10:28:33
Ja comi nesse local uma unica vez, muito agradavel! Só vive até hoje pq a propria reportagem diz que todos são tratados como iguais, inclusive o governador. Com certeza é o local mais democratico da cidade. Parabens...
 
Noe Ferreira da Costa Junior em 27/03/2012 10:08:52
Ainda me lembro do cheiro do bar do Vitorino, na Cândido Mariano, ao lado da Barbearia Salão Azul, principalmente na década de 80. Sentava no balcão e comia a preciosa linguiça frita que ficava exposta com outros salgadinhos deliciosos muito bem acondicionados e à mostra da clientela, principalmente os apreciadores da cerveja gelada. E o patriarca Vitorino sempre por alí com boa conversa.
 
Wilson Aquino em 27/03/2012 09:15:18
Realmente uma das melhores comidas de Campo Grande.
Parabéns e Sucesso.
Beijo a família
 
Cristiane Cação em 27/03/2012 08:58:55
Um grande abraço ao Vitorino Filho, nos conhecemos quando jovens e o Bar do Vitorino ficava na rua Candido Mariano, quase vizinho de casa. E meu pai ia todas as tardes conversar com o "velho", Vitorino, e me lembro das grandes barricas que vinham de Portugal com azeitonas e azeite. E do atendimento sempre fidalgo do mestre Vitorino. Grande tempo de nossa juventude.
 
rachid waqued em 27/03/2012 08:34:47
Se for o mesmo Vitorino's que ficava na afonso pena, me lembro.
Eu costumava ir com meu pai quando era ali, acho que onde foi o Íris, entre a 14 e a Calógeras, aos sábados era bem lotado mesmo pela feijoada.
 
Eder Lima em 27/03/2012 08:32:09
Muito legal mesmo essa matéria. Por estar em tratamento de saúde tive q ficar em C.G por quase 30 d e, como Vitorino's fica perto do meu sindicato,ia sempre lá para comer a deliciosa chipa e saborear aquela gelada. Inesquecíveis o quibe frito na hora e o suco de laranja. Devido minha frequência o senhor Vitorino já me tratava por "vizinha". Saudades. Qualquer dia volto lá.Abraços.







 
Carmelucia Rocha Gomes em 27/03/2012 06:09:08
realmente. vale a pena tomar uma geladinha ali no vitorino. mas além de políticos, empresários e outros, ali batem cartão os bodes da maçonaria. é muito bom um ambiente saudável sem música para ferir os ouvidos, e é frequentado por gente da melhor qualidade. parabéns vitorino e parabéns ao articulador dessa matéria.
 
jose maria santos em 27/03/2012 04:49:42
Isso sim e historia viva, me lembro com clareza das vezes que vinhamos do interior com meu avô, ficavamos hospedados no Rio Hotel, e toda manhã queriamos ir no Vitorino comer a coalhada e a gelatina, era muito bom, outros tempos, outra vida, que saudade.
 
nikko flores em 27/03/2012 04:08:32
Há quanto tempo 1980, la nos meu 13 anos oficce boy do Banco BCN S/A na candido mariano, como todas as manhas um salgadinho e o delicioso cafezinho,
aos sabados depois do futebol, ali reunião todos para deliciar uma cervejinha e os petiscos, muita conversa e novas amizades.
Parabens, pela tradição e qualidade ate nos dias de hoje.,
Adão Santana
 
adão Santana em 27/03/2012 03:54:37
Saudades,saudades.Fecho meus olhos e vejo o Vitorino e sua laboriosa esposa.Vitorino Filho,Luisinho e Maurício.Tempos bem vividos,ao lado de amigos queridos.Fomos proprietários do Rio Hotel,e o destino não poderia nos prover de amigos melhores que esses porugueses queridos.Me sinto honrado de ter convivido muitos anos com eles.Pessoas que enriquecem quem os conhecem.Abraço fortíssimo.
 
Ronaldo Ancél Alves em 27/03/2012 03:46:07
O Vitorino's Bar não é um local somente para saborear uma boa comidade e tomar cerveja gelada. É também local de descontração e de um bom papo entre amigos, desfrutando ótimo ambiente e conforto, sem ostentação. Enfim, trata-se de um tradicional lugar emblemático da culinária regional. Parabens aos irmãos Vitorino Filho e Luiz que deram continuidade ao negócio familiar criado pelo seu saudoso pai.
 
oscar mendes em 27/03/2012 03:16:53
Realmente VITORINO faz parte da história tradicional boa de Campo Grande/MS. amigos cordiais e a gentileza sempre presente nesta familia amiga que faz parte da minha infância, juventude e agora na minha meia idade (Rssss). Parabens, sucesso e podem ter certeza todos nós Sul Matogrossenses e de outros Estados/Brasil/Mundo agradecemos por voces existirem!!! Abraços.
 
Dalton de Souza Lima em 27/03/2012 01:37:20
trabalhava na banca do santana esquina da candido mariano c/a 13 de maio todas as manhas deliciava a coxinha de mandioca la pelos anos 1982 saudades nao sabia que existia mas nao sabia o endereco - atendimento era de primeira parabens.
 
EUGENIO FREITAS SANTANA em 27/03/2012 01:37:11
Este bar é familiar, o meu avó, o meu pai, e eu frequentamos este estabelecimento a decadas, aos sabados nos sempre marcamos um encontro para deliciar uma tradicional feijoada para ninguem colocar defeito, é saudavel e nutritiva para todos os campograndenses.
Parabens para toda a equipe
 
Leonardo Furucho em 27/03/2012 01:03:34
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.