A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

03/02/2014 06:59

Com gasolina cara, jeito é agradar com café expresso, biscoito ou bombom

Elverson Cardozo
Gerente do posto Carandá, Sebastião acredita que brindes ajudam, mas diferencial está no atendimento. (Foto: Marcos Ermínio)Gerente do posto Carandá, Sebastião acredita que brindes ajudam, mas diferencial está no atendimento. (Foto: Marcos Ermínio)

Concorrência não se mede só em cifras. Bom exemplo, em Campo Grande, são os postos de combustíveis, que oferecem de cafezinho a bombom como brinde para fidelizar clientes e, de quebra, “esconder” os preços que estão “pela hora da morte”. Será que a tática funciona?

Veja Mais
SPA um oásis na aridez da vida moderna. Você merece esse presente
Hotel para Pets tem quartos climatizados, piscina e recreação

Esconder, esconder, não esconde, é verdade, mas o cliente sai, pelo menos mais satisfeito. O atendimento, afinal de contas, pesa muito. No posto Carandá, na Avenida Mato Grosso, o litro da gasolina custa R$ 3,06 e do etanol R$ 2,099.

É a média cobrada por aí, mas, mesmo diante da concorrência, que mantém valor menor, há quem prefira abastecer neste local. Quem garante é o gerente, Sebastião Aureliano Augusto, de 25 anos.

Conferir óleo e água é uma cortesia, mas os frentistas também são orientados a oferecerem os brindes. Acima de 30 litros o cliente ganha o vale ducha. Acima de R$ 50,00, um pacote de bolacha, pequeno, é bom deixar claro. O cafezinho expresso, na conveniência, é para quem dispensar a lavagem. “É um algo a mais”, disse.

No mesmo bairro, mas na Rua Vitório Zeolla, o Posto Carandá Bosque também oferece a ducha. Só que é preciso pagar mais R$ 5,00 pelo cupom. “Mas os clientes fiéis não pagam”, explicou a frentista, Zenai de Souza, 36 anos. Ela também acredita que, além do brinde, o que fideliza a clientela é o bom atendimento.

Neste posto 20 litros garantem uma ducha, mas é preciso pagar mais R$ 5,00. (Foto: Marcos Ermínio)Neste posto 20 litros garantem uma ducha, mas é preciso pagar mais R$ 5,00. (Foto: Marcos Ermínio)

O vendedor Caetano Álvaro, de 69 anos, pensa da mesma forma, mas, para ele, o “mimo” é insignificante. “Para virar a cabeça do consumidor tem que ser um carro, uma geladeira... Pouca coisa não resolve”, disse, exemplificando.

A estratégia, de oferecer bolachinha, cafezinho e ducha, pontuou, está ultrapassada. Em todo caso, prosseguiu, o que vale mesmo é qualidade e bom preço.

Caetano abastece o carro no posto mais barato. A última foi no Shell da Via Parque, na região do Giocondo Orsi, onde o cliente tem como brinde uma miniatura de Ferrari, mas o carro só pode sair da empresa se o consumidor comprar 4 litros de óleo sintético ou semi-sintético.

Miniatura da Ferraria é mimo do Shell, mas brinquedo não sai de graça. (Foto: Marcos Ermínio)Miniatura da Ferraria é "mimo" do Shell, mas brinquedo não sai de graça. (Foto: Marcos Ermínio)

Até dezembro do ano passado, explicou o frentista Anderson Luiz, os “brindes” eram os carrinhos do grupo Lego, mas nenhum não saia de graça, claro. Quem quisesse levar para casa precisava abastecer, no mínimo, R$ 50,00 de gasolina aditivada, a V-Power, e deixar mais R$ 15,99. Alguns brinquedos estão lá até hoje. Também pudera.

No Posto Piloto, na Avenida Afonso Pena, região do bairro Amambai, não há carrinho, nem bolachinha, mas tem bombom. Será que o marketing é direcionado?




O consumidor brasileiro tem uma parcela de culpa pelo preço que está o combustível, senão vejamos: se tem dois postos um de frente para o outro com preço diferente, tem consumidor abastecendo naquele que tem o preço mais elevado. Dá para entender? Na 25 de dezembro com a Mato Grosso, um dos mais caro da capital, tem carro abastecendo a toda hora. E é por isso que o preço está nesse patamar.
 
Carlos José em 03/02/2014 22:15:46
Brasileiros deviam se unir e fazer uma paralisação de uma semana sem abastercer...queriar ver se os governantes não reduziriam os preços, não foi assim com o vale transporte...
 
Luzia Nogueira em 03/02/2014 14:46:31
Realmente, um bom atendimento, uma cortesia sempre torna o cliente fiel.
Eu mesmo muitas vezes faço a opção do posto que sou melhor atendida, mesmo que tenha que pagar alguns centavos a mais, afinal hoje em dia educação e respeito estão cada vez mais escassos, quem dirá um sorriso e uma cortesia.
 
Mychelle Sobral em 03/02/2014 14:35:13
O governo brasileiro é tão irresponsável que somos auto suficientes em combustíveis, vendemos o mesmo mais barato para outro países, mais caro no mercado interno e sempre tem falta do mesmo! O dinheiro fica todo para bancar os corruptos da politica, compare com o EUA que depende do petróleo estrangeiro, compra caro, vende barato no mercado interno e não tem falta do mesmo! Isso é responsabilidade e eficiência! Coisa que não existe e nunca vai existir no currículo dos políticos brasileiros! O pior é que o povo põe a culpa nos posto que se matam para ganhar R$0,04 centavos no litro, onde os protestos deveriam acontecer em Brasília fechando a explanada com os mesmos lá dentro e impedindo a saída por uma semana! Seria vexame mundial para os políticos!
 
Alexandre de Souza em 03/02/2014 12:50:55
Eu acho o cafezinho e a ducha muito válidos, o problema da grande maioria é que a ducha só funciona até 17 horas, os postos tinham que deixar a duchinha durante a noite, aí sim ele ia ter movimento, pois a maioria da população trabalha no horario comercial e sai as 18 horas, passa no posto e abastece, ou completa no final de semana, que tambem não tem ducha, acho que seria válido uma ducha noturna e o cliente pagar R$ 2,00 na ducha, tenho certeza que o dono do posto ia conseguir pagar o funcionario da ducha só com os R$ 2,00.
 
MAXIMILIANO NAHAS em 03/02/2014 08:44:32
Se convertessem os brindes em vale descontos seria melhor. Desta maneira sobra mais dinheiro para o cliente abastecer mais ou usar o que sobra para comprar o brinde que quiser, inclusive um presente que seu filho mais gosta. #deixominhaopinião
 
Clislenio de Souza Carvalho em 03/02/2014 08:34:35
A Polícia Federal deveria ser acionada para acabar com a Máfia dos Postos de Dourados. Um absurdo pagar R$ 0,30 a mais no litro da gasolina em relação à Capital. No interior isso é uma prática costumeira há muito tempo. A ganância dos empresários dos Postos do interior é impressionante: em Iguatemi se o cliente compra à prazo, a gasolina sai a R$ 3,40 o litro.
 
Jorge Junior em 03/02/2014 08:33:57
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.