A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

08/07/2013 09:41

De casa, se pede bebida pela internet e de onde estiver, um táxi por aplicativo

Paula Maciulevicius e Anny Malagolini
Visualização da página da conveniência Clickbeer Delivery. Facilidades que a internet traz sem precisar sair de casa. Visualização da página da conveniência Clickbeer Delivery. Facilidades que a internet traz sem precisar sair de casa.

A cerveja acabou no meio da festa e todo mundo já bebeu para sair dirigindo. Quem nunca viu a 'vaquinha' passar pedindo R$ 10zão no meio do churrasco para ir até o mercado mais próximo? Em Campo Grande uma conveniência vem com a proposta de delivery de bebidas na madrugada. O cliente só tem o trabalho de por as compras no carrinho e passar o endereço. O resto é com eles. Essa é mais uma daquelas ideias que você pensa: por que não tive antes?

Veja Mais
Espaço de eventos inaugura com curso de gastronomia para crianças
Escola se destaca com educação baseada no carinho com os alunos

Atrás de novidades na cidade, o Lado B se deparou com a Clickbeer Delivery, uma conveniência online com opções de cerveja, vinho, destilados e ainda 'comidinhas' como pizza e lasanha congelados, espumantes, refrigerantes, sucos, pipoca e chocolate. Pelo site, o cliente se cadastra e depois é só ir adicionando os itens ao carrinho. O estilo é o mesmo dos demais sites de compra e venda online.

O dono da ideia é o administrador Renato Carlos Pinto de Oliveira, 25 anos, que desde que se conhece por gente lida com conveniência, a família administra a Cordil. Há dois anos ele vinha caçando algo para investir, também no ramo, e que atingisse o público da região central. O foco era abrir um negócio que atendesse o público A e B pela região do Itanhangá Park, mas diante dos alugueis que custavam uma fortuna, o pensamento de Renato migrou para o delivery.

O dono da ideia em Campo Grande, Renato Oliveira, garante bebida trincando na porta de casa. (Foto: Marcos Ermínio)O dono da ideia em Campo Grande, Renato Oliveira, garante bebida trincando na porta de casa. (Foto: Marcos Ermínio)

"Comecei a pesquisar e vi o negócio bastante fomentado em grandes centros, como Rio de Janeiro e São Paulo. Peguei essas ideias, adicionei o know-how que a gente tem no setor de bebidas e montei o delivery", explica.

As vendas são pela internet e pelo telefone e os preços são de igual para igual de conveniências de espaço físico. Por enquanto, apesar da Clickbeer estar no Facebook, é apenas como marketing de divulgação. Mas Renato ainda pretende implantar o serviço nas redes sociais e também pelo whats app.

Inicialmente, a conveniência se destina a atender festas de final de semana onde acabou a bebida, oferecendo a comodidade de ninguém ter que sair de casa. "A gente usa o marketing não perca nenhum segundo do jogo ou da luta ou ainda batendo na tecla da Lei Seca, de se beber não dirija e chame a Clickbeer", completa Renato.

O tempo máximo de entrega é de 15 a 20 minutos para o Centro e de 25 a 30 para os bairros. A dúvida que surge aí é se a cerveja vai chegar gelada. O baú do motoentregador foi adaptado como caixa térmica que conserva a temperatura. “Chega trincando, 100%”, garante o dono.

O delivery por enquanto cobre o Centro e os bairros: Carandá Bosque, Autonomista, São Francisco, Cruzeiro, Santa Fé, Coophafé, Jardim dos Estados, Cidade Jardim, Cachoeira, Itanhangá, Vila Glória, Amambaí, Vila Carvalho, Monte Líbano e São Bento. Os preços da taxa de entrega variam entre R$ 4 e R$ 6. O site da Clickbeer é o: http://www.clickbeerdelivery.com.br e no Facebook, pela Fan Page https://www.facebook.com/ClickbeerDelivery?fref=ts.

Aplicativo permite rastrear trajeto do taxista até você. Tempo máximo de espera é de 10 min. Aplicativo permite rastrear trajeto do taxista até você. Tempo máximo de espera é de 10 min.

Por outro lado, se o desejo for de sair, um aplicativo já disponibiliza táxi em um clique. Pelo “Easy Táxi”, basta clicar em ‘pedir táxi’ e é só esperar. A proposta promete por fim às linhas ocupadas e demora no atendimento. O sistema que dispensa qualquer ligação já está em funcionamento na Capital. O pedido é gratuito, basta o aparelho ter internet para ter acesso ao aplicativo.

O negócio é novo por aqui, mas em algumas capitais brasileiras e pela América do Sul, o aplicativo já é utilizado há algum tempo.

Em Campo Grande, cerca de 100 taxistas já aderiram à tecnologia. Outra novidade pra quem vai usar o serviço, é que o taxista, quase sempre uma figura estranha, pode ser identificado no pedido no pedido do atendimento, com informações de que vão do nome até o celular do motorista.

Quem pedir o táxi não vai sentir a diferença no bolso, é o mesmo valor dos que são pedidos por uma cooperativa, mas o taxista tem o custo de R$2,00 por corrida. O trajeto do motorista até o local pedido, que pode ser rastreado pelo cliente. Desde que não haja imprevistos, o serviço garante o tempo máximo de espera de 10 minutos.

O pedido também pode ser feito pelo site http://www.easytaxi.com.br/. O aplicativo está disponível para iOS e Android, pela App Store e Google Play.




Inovador, único e excelente pedida, principalmente nesse tempo de frio, pedir um vinho para tomar com o namorado, uma pipoquinha e uma coca para um filme, pizza, chocolate, caraca tem até SAL rs, não vou precisar mais pedir para a vizinhança quando faltar algo.
Parabéns pela ideia e obrigada por contribuir com o desenvolvimento desta cidade e principalmente a prestação de comodidade e segurança para nós cidadãos.
 
Agatha Nicolle em 21/07/2013 22:10:24
Como se os menores tivessem dificuldade de comprar bebidas em nosso país. Para de gorar o trabalho dos outros.
 
Ana Lima em 08/07/2013 23:28:57
Agora que a molecada menor de idade vai se embriagar, tá claro que isso é um negócio perigoso, vender bebida alcoólica nos escuros, isso só pode ser piada!! ATENÇÃO SRS PAIS, FIQUEM ATENTOS P/ ESSE TIPO DE COMÉRCIO, POIS AS DEPENDÊNCIAS QUÍMICAS VÃO AUMENTAR, PRESTA ATENÇÃO SR. RENATO DE OLIVEIRA, POIS VAIS DESTRUIR MUITAS FAMÍLIAS, PENSE NISSO, COMO RESSALTOU NOSSO AMIGO, ALE X ANDRÉ DE SOUZA , E SE FOR UM DE MENOR? É LÓGICO QUE O TAXISTA NÃO VAI SE PREOCUPAR EM VER SE O RECEBEDOR DA MERCARDORIA É DE MAIOR OU NÃO!!
 
waldomiro ajala em 08/07/2013 22:29:30
Taí! ótima pedida... isso vai ser muito bom, pura praticidade e comodidade. Sucesso!
 
Jorge Fonseca em 08/07/2013 20:56:05
Parabêns Renato,
sucesso
 
Jaime Cerqueira em 08/07/2013 16:14:37
e se um "di menor" pedir a bebida como fica?
 
Alex André de Souza em 08/07/2013 13:30:59
imagem transparente
Busca

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.