A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

17/04/2015 06:34

Aberto há um mês, barzinho simples na 26 de Agosto quer ser reduto cultural

Aline Araújo
Aberto há um mês, barzinho simples na 26 de Agosto quer ser reduto cultural

O boteco de esquina, simples, chama atenção de quem passa à noite por, de repente, ter surgido no cruzamento da 26 de Agosto com a 13 de Maio. Antes, só abria durante o dia, para vender café e salgadinho aos trabalhadores que pegam as primeiras conduções da manhã no ponto de ônibus em frente.

Veja Mais
Begèt de Lucena e Mari Depieri são as vozes do Som da Concha de hoje
Festival de Artes começa com público fraco, mas tem vocação para ser resistência

Há pouco mais de um mês, as portas estão fechadas até a noite chegar. O local ganhou um colorido diferente nas paredes, sem muita elaboração. Também tem imagem de Che Guevara e um palco humilde. Aos poucos, o Ecletiku's Cultural Bar quer ganhar espaço como reduto de pessoas interessadas em conversar e produzir arte, qualquer que seja ela.

Aberto há um mês, barzinho simples na 26 de Agosto quer ser reduto cultural

O sonho de abrir o bar à noite é do Rafael Couto, de 27 anos. Antes, já tinha estudado Publicidade e Fisioterapia, mas o interesse no comércio falou mais alto e hoje ele se dedica a fazer o próprio negócio vingar.

“Eu sempre quis transformar aqui em um lugar legal, que as pessoas olhem e tenham vontade de entrar. A fachada ainda está feia, mas vai mudar. A gente tá trabalhando para deixar melhor”, conta Rafael.

Ele comprou o ponto em abril de 2013, foi tocando de dia, até fechar para a reforma em dezembro do ano passado. Reabriu agora, com instrumentos à disposição, no estilo sarau.

Também já reservou dias para "shows principais" e não há preconceito musical. Na quarta-feira é dia de sertanejo, na sexta tem pop rock e uma vez por mês toca rap, em diferentes versões. “Nossa ideia com o rap é sempre levar uma mensagem para as pessoas. Já teve até rap evangélico aqui. Nós queremos trazer vários estilos de música”, comenta.

O bar, que já tem grafites na lateral, vai ganhar mais desenhos em breve e se algum artista plástico quiser contribuir, será bem recebido.

Amigos já são clientes do bar.Amigos já são clientes do bar.

Estão nos planos ainda ampliar o cardápio, que por enquanto tem porção de batata frita (R$ 8,00), Tirinhas de frango (R$ 10,00), caldo de feijão (R$ 2,00) e frango a passarinho (R$ 21,00).

Com o orçamento baixo, o sonho vai crescendo aos poucos e atraindo amigos.

O artista plastico Djandre Rolin, de 50 anos, conhecido como Cigano, é um dos colaboradores. É dele o material exposto pelo boteco até agora. Ele conta que quando começou a ajudar no projeto, Rafael já tinha um conceito definido, de transformar o lugar não só em um ponto de entretenimento, mas também de debate de ideias.

“Nós somos um bar que acaba reunindo mais um público de esquerda, interessado em discutir politica e cultura. Não que a direita não seja bem vinda, todo mundo é bem vindo", diz.

O bar promete noites tranquilas, para tomar uma cerveja com os amigos e curtir o som de artistas que estão começando. "Mas aqui é Davi contra Golias, somos um bar bem no Centro, tem muito bar com grana por perto e a gente tá construindo nosso espaço aos poucos. Eu já pensei em desistir, mas tive muito apoio da minha família”, desabafa Rafael.

 

Quem quiser conhecer o Eclétiku's Cultural Bar, não deve ir com qualquer expectativa de sofisticação. É boteco mesmo, mas que aceita até recitais de poesia ao microfone. O bar fica na 26 de Agosto, esquina com a 13 de Maio.




Esse tipo de iniciativa é muito louvável. Como entusiasta da cultura, sei como é complicado fugir do diferente no cenário campo-grandense. Parabéns ao amigo, certamente irei visitá-lo para propor parceria com nosso projeto de standup comedy!
 
Bergo em 17/04/2015 08:20:39
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.