A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

20/08/2012 10:12

Boates fecham, mas maior festa gay de Campo Grande sobrevive

Ângela Kempfer e Francisco Júnior
Festa no sábado, na Chácara Espaço Rental, na BR - 262Festa no sábado, na Chácara Espaço Rental, na BR - 262

A principal balada gay de Campo Grande foi desalojada, mas continua resistindo. Casa que promovia a “Deluxe” até este ano, a boate Neo fechou e agora a festa é ao ar livre.

Veja Mais
"Toma aqui uns 50 reais", Naiara Azevedo abre fim de semana eclético
Ludmilla é uma fofa e mostra o que o funk pode ensinar ao nosso sertanejo

No sábado, o evento levou a turma GLS até uma chácara na saída para Três Lagoas, para mais uma noite de música eletrônica, bebida e muito beijo na boca.

Depois de 6 anos, primeiro no Club Garage e depois na Neon, há quem prefira a mudança, porque ganhou mais privacidade.

A empresária de 31 anos, por exemplo, diz ter mais liberdade longe dos olhares voltados às casas segmentadas para o público gay. “Muita gente não vai aos bares gays porque não quer se expor. Em festas assim, fico mais livre para namorar e paquerar”.

Daniel Peixoto, um dos DJs da noite.Daniel Peixoto, um dos DJs da noite.

Na Deluxe, quem dá entrevistas pede para não ser identificado e tampouco posa para fotos. E como as imagens têm de ser desfocadas, vale um breve relatório. Mais de 90% são homens, as pessoas são bonitas, cheias de estilo, a maioria entre 18 e 25 anos de idade e o que mais sai do bar é a vodka com Citrus.

A empolgação é algo impressionante. Quando toca Rihanna então, todo mundo vai à loucura. A impressão é que todo mundo vai realmente só para dançar. No caso da Deluxe, até às 6 da manhã.

Ao lado do namorado, o publicitário de 27 anos é um exemplo dessa energia. “É uma festa onde todo mundo compra roupa nova e se monta para ferver a noite toda”.

O cabeleireiro de 22 anos, de produção elaborada, confirma. “É uma festa para bater o cabelo”.

O DJ com ares andrógenos, Daniel Peixoto, veio de São Paulo para festa criada pelos empresários Jamelão, Joel Dibo, Zeca Paniago, Cegonha e Garbão.

Também na pista, o som de Veludo Molhado, Leandro Becker e Rodrigo Gel, residente em outra casa do público gay em Campo Grande, a Non Stop.

“É a única festa para este público em Campo Grande e não queremos deixar de fazer”, garante Cegonha.




É de extrema importância iniciativas como está, pois Campo Grande é uma capital e precisa ter alternativas para os mais variados públicos. Meus Parabéns aos organizadores.
 
Weber Pessoa em 21/08/2012 09:22:04
é por isso que as musicas e os shows universitario estao acabando,ta todo mundo se assumindo de verdade...é isso ai,como diz o professor zé boiada...o negocio é ser feliz,nao interessa como.......ai meu deus acho que vou ficar solteirona..cade os homens??????????????
 
ana prado de oliveira em 21/08/2012 07:35:19
Deluxe vai fazer falta...

Lamentável é a postura de alguns, aff.
 
Renato Neto em 20/08/2012 08:47:03
lamentavel.
 
Daniel Teixeira em 20/08/2012 06:48:15
Muito legal saber que o movimento gay de Campo Grande é firme. Muito bom seria se o pessoal que ganha dinheiro com a balada gay (Jamelão, Joel Dibo, Zeca Paniago, Cegonha e Garbão) dessem apoio formal e público em apoio aos direitos reinvindicados pelos gays para as suas relações afetivas. Vamos lá rapazes produtores. Vocês com a bola da vez... Abs fraternos.
 
FABIO DE OLIVEIRA PIMENTA em 20/08/2012 05:30:51
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.