A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

13/01/2015 06:12

Carnaval terá homenagens a Tia Eva, Manoel de Barros e Delinha; veja os temas

Elverson Cardozo
Passistas e o Rei Momo no carnaval de 2014. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Passistas e o Rei Momo no carnaval de 2014. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

As escolas de samba de Campo Grande já definiram os enredos para o Carnaval deste ano. Os temas passeiam, em resumo, por causas sociais, lendas, crenças, imigração e homenagens a várias personalidades de Mato Grosso do Sul, como Tia Eva, Delio e Delinha e o poeta Manoel de Barros.

Veja Mais
Coletivo de DJs organiza festas com música para 'dançar mais e reparar menos'
Com poucas opções, veja onde curtir as festas de fim de ano em Campo Grande

Os Herdeiros do Samba

A agremiação, da ARESM (Associação Recreativa Escola de Samba Mirim), vai falar sobre a Seleta, instituição de caráter social e filantrópico fundada em 1908. O enredo, segundo a presidente, Fátima da Luz, de 61 anos, é “Ser leal, levar especialmente tolerância e amor – Sou caritativa e humanitária”.

O grupo, que não compete, deve entrar na avenida com pelo menos 160 componentes, 6 alas e três carros alegóricos. Amarelo e vermelho são as cores predominantes nas fantasias, para representar a logomarca da instituição, que tem um sol como símbolo.

Unidos da Vila Carvalho

Segundo o vice-presidente da escola, Wlauer Castro Carvalho, de 40 anos, o tema definido é “Lendas, mitos e mistérios”. “Vamos falar de algumas lendas, como a do Egito, dos Faraós, de São Jorge... Não vamos falar de nada regional”, adianta.

A agremiação deve desfilar com pelo menos 700 pessoas, distribuídas em 12 alas e 4 carros alegóricos.

Unidos do Cruzeiro

“Vida, trabalho, futebol e samba, 10 anos de saudade”, é o enredo escolhido pela diretoria da Unidos do Cruzeiro. “É uma homenagem ao Picolé, o grande carnavalesco de Campo Grande, que morreu há 10 anos. Ele foi o fundador da escola”, explica o atual presidente, Luiz Alex da Silva Guedes.

O desfile deve contar com 7 alas, 3 carros e cerca de 400 pessoas, incluindo a bateria.

Igrejinha

A escola apresenta como enredo “Tia Eva – lutas, crenças e sonhos”.

“Vamos contar a vida dela [Tia Eva] bem detalhadamente. Ela foi escrava, mexia com doces... tem a história da fé dela em São Benedito e, por isso, a festa que virou tradição” comenta, resumidamente, a presidente, Mariza Fontoura Ocampos, de 50 anos.

A agremiação vai entrar na avenida com 4 carros alegóricos. Até agora, 15 alas estão prontas, garante a presidente, mas o número, ao que tudo indica, deve aumentar.

“Esse ano teve uma procura grande. O pessoal da comunidade Tia Eva está indo em peso para os ensaios”, explica, ao dizer que o número de integrantes, incluindo a bateria, deve passar dos 600, média de 2014.

Os Catedráticos do Samba

Os carnavalescos vão fazer uma homenagem à própria escola, pelos 37 anos de fundação, levando para a rua os 10 últimos samba-enredos que, segundo a presidente, Marilene Pereira de Barros, manteve a agremiação no grupo especial.

O tema definido, registrado na Lienca (Liga das Entidades Carnavalescas de Campo Grande), é o seguinte: “Trinta e sete anos de Catedráticos – Quando Deus quer o homem sonha e a obra nasce. Exaltações aos samba-enredos que fizeram sua história”.

De acordo com o carnavelesco Paulo Mathias de Medeiros, de 43 anos, várias personalidades de Mato Grosso do Sul serão homenageadas porque já foram temas de carnavais entre os anos de 2004 e 2014.

Na lista, o fundador da agremiação, Pulquerio Alves, o Carlão” e nomes como Délio e Delinha e Manoel de Barros. Serão 12 alas, quatro carros alegóricos, dois tripés (pequenos carros alegóricos) e uma média de 500 pessoas desfilando.

Unidos do São Francisco

“Vamos falar sobre os frutos do cerrado de Mato Grosso do Sul”, informa o presidente, Ale Mahmud Tlaes, que cita como exemplos o pequi, a guavira e o cumbaru. Na avenida, 7 alas, três carros e cerca de 200 pessoas.

Unidos do Aero Rancho

A agremiação resolveu fazer uma homenagem às mulheres, baseada na música “Mulher (sexo frágil)”, do cantor Erasmo Carlos.

O nome do enredo é “O brilho e o poder estão com elas. Dizem que a mulher é sexo frágil. Que mentira absurda. A força feminina no processo social e cultural do país”. Segundo a fundadora, Maria Filartiga, conhecida como Mariazinha, algumas mulheres de Mato Grosso do Sul serão homenageadas, entre elas Delinha e Tia Eva, que será o tema da Igrejinha.

“Vamos desfilar com dois carros alegóricos, 7 alas e 200 componentes”, conta.

Cinderela Tradição do José Abrão

A Cindera fala sobre imigração, com o enredo “Miscigenação em Mato Grosso”. “Entra japones, italiano, alemão”, comenta o presidente, Gilberto Carlos Correa. Ele conta com três carros alegóricos, 8 alas e pelo menos 300 pessoas para desfilar.

Deixa Falar

A escola presidita por Salvador Dódero decidiu falar sobre os “Contos, cantos e encantos da Bahia”. “Vamos mostrar o que a Bahia tem”, adianta o carnavalesco. “Tem a capoeira, as bainas mesmo, algumas coisas do candomblé... Vamos discorrer sobre o tema”, completa.

A escola deve entrar na disputa com 3 carros e 7 alas.

O Lado B não conseguiu contato com os dirigentes da Estação Primeira do Taquarussú.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.