A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

09/04/2014 07:00

Com saudade da "Organic", DJs criam festa para lembrar 1ª rave

Anny Malagolini
Antiga estação ferroviária em noite de Organic. (Foto: Acervo Refmag)Antiga estação ferroviária em noite de Organic. (Foto: Acervo Refmag)

 

Veja Mais
Festival das Artes é novo espaço da cultura e começa com mais de 10 shows
Humberto Gessinger, Ludmilla e Whindersson Nunes chegam no fim de semana

 

Para tentar reanimar a cena underground eletrônica, o que quer dizer "nada de música essencialmente comercial", três DJs de Campo Grande estão preparando a “Rodorama”, com nomes gringos também convidados. A festa está marcada para o dia 20 de abril, na antiga rodoviária da Capital. A data marca também os 16 anos de uma das raves mais famosas da cidade: a Organic. E é essa atmosfera que o projeto pretende resgatar.

Quem já passou dos 30 anos e gosta da balada, certamente se lembra da primeira festa rave de Campo Grande, em 1998. Para a época, a batida e o ambiente - a antiga estação ferroviária, eram uma novidade bem moderninha para a cidade, principalmente, porque só terminava já pela manhã. 

Lembrança da movimentação na primeira rave da cidade. (Foto: Acervo Refmag)Lembrança da movimentação na primeira rave da cidade. (Foto: Acervo Refmag)

Jailson Costa ficou conhecido naqueles tempos como “Jay C”, residente em uma das principais casas do estilo de Campo Grande, a D-edge, hoje em São Paulo, bem conceituada, inclusive, no mundo.

Também depois do fechamento de boates como Tozen e Garage, a cena foi enfraquecendo e hoje só resiste em um endereço, o Move Club, casa que também já abriu espaço até para o sertanejo.

“A cena praticamente morreu, só falam do sertanejo, e estamos tentando resgatar. Danceteria toca outros tipos de música, e no Brasil inteiro. São poucos os lugares que a balada é apenas de música eletrônica”, diz Jay C.

Ele hoje mora em São Paulo, mas em um mês voltará a viver em Campo Grande e por isso o interesse em investir em quem gosta de música eletrônica. Para a empreitada, chamou os amigos DJs André Garde e Marcel Manzoni. “Tem público, só falta um pouco mais de divulgação e trabalho e empenho dos DJs”.

O local escolhido pelos DJs para reunir a “velha guarda” será o segundo andar da antiga rodoviária, usada como espaço de eventos de todas as tribos.

A festa promete ser grande, também com o holandês Folker Zwart, o venezuelano Greencross e o belga Tom Hades, de nome em line-up de festivais conceituados mundo afora.

Como os amigos estão começando do zero, praticamente, contaram com a parceria de uma agência de turismo para viabilizar a vinda das atrações internacionais.

A expectativa é de reunir, pelo menos, mil pessoas. Se der certo, a intenção é de que o evento aconteça todo mês, no mesmo lugar.

Os convites do 1º lote da festa custam R$ 40, 00 (mulheres) e R$ 60,00 (homens). O segundo lote sai por R$ 60,00 (mulheres) e R$ 80,00 (homens). Quem levar 1 quilo de alimento não perecível pagará meia-entrada e os alimentos arrecadados serão doados à AACC (Associação de Apoio à Criança com Câncer). O ponto de venda é Rua Antônio Maria Coelho, 1.290.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.