A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

11/08/2012 07:32

Funk-se dança a vida e a história dos jovens guarani-kaiowa

Mariana Lopes

O espetáculo “Frágil ou o Sentido da Ruptura” será apresentado nos dias 11 e 12 de agosto, a partir das 20h, no Teatro Prosa do SESC Horto. A entrada será 1 kg de alimento não perecível.

Ensaio do espetáculo “Frágil ou o Sentido da Ruptura”, do grupo de dança de rua Funk-se (Foto: Divulgação)Ensaio do espetáculo “Frágil ou o Sentido da Ruptura”, do grupo de dança de rua Funk-se (Foto: Divulgação)

A vida dos jovens índios guarani-kaiowa, as dificuldades, a perda do território, a ruptura entre as gerações, a consequente quebra de valores e modos de vida, será retratada através do hip-hop, com o espetáculo “Frágil ou o Sentido da Ruptura”, do grupo Funk-se, apresentado nos dias 11 e 12 de agosto, a partir das 20h, no Teatro Prosa do SESC Horto. A entrada será 1 kg de alimento não perecível.

Misturando a dança contemporânea e o roteiro inspirado pelas noticias sobre a onda de suicídios de jovens indígenas, o espetáculo agrega também as artes do teatro e do circo.

Segundo o diretor do grupo, Edson Clair, apesar de o grupo seguir o estilo “dança de rua”, a trilha sonora do espetáculo conta com polca paraguaia, canções indígenas, entre outras músicas regionais de Mato Grosso do Sul.

O espetáculo “Frágil ou O Sentido da Ruptura” foi selecionado no Prêmio Klaus Vianna da Funarte em 2009 e foi apresentado pela primeira vez em 2010. Este ano, foi o único projeto de dança selecionado pelo FIC-MS.




Concordo contigo Edson Clair! o colega Gustavo Ribeiro, precisa se informar e conhecer mais sobre a cultura da cidade e tb da língua inglesa!!! rsrsrsrsrs
 
Fabiana Rocha em 13/08/2012 08:28:28
Parabéns FUNK-SE! Consagrado no cenário artístico, lotou o Teatro PROSA na noite deste sábado e é sempre bem recebido pelo público, merecendo os prêmios que tem recebido e o respeito de profissionais do país e do exterior com os quais realiza trabalhos. Gustavo Ribeiro, com respeito, mas quero dizer que o seu comentário não faz sentido e mais parece preconceito com o que não conhece. Desculpe.
 
Jair Damasceno em 12/08/2012 05:03:14
è preciso falar das questões ocultas por uma maioria, é preciso mostrar ao povo o que existe por trás da bela cortina, há muito mais além da imagem, do movimento, há todo um trabalho, estudo, uma expressão. Quem não conhece, pelo menos devera usar o bom senso de respeitar. Critique para crescer jamais para condenar nada e nenhum trabalho. viva a dança da vida!
 
Mayara Alves em 11/08/2012 10:50:03
Prezado Gustavo, sinto no seu comentario uma tremenda falta de informação.O nome do grupo surgiu a partir da musica Funk-se quem puder de Gilbero Gil.E memsmo,com esse nome grosseiro(como voce diz),o grupo tem uma tragetória de 16 anos conquistando premios, realizando espetaculos e publico, sempre buscando a excelencia no que faz.Procure primeiro conhecer a cultura de sua cidade.
 
edson clair em 11/08/2012 09:44:20
Irreverência não significa falta de educação. Um grupo que adota um nome grosseiro e ofensivo como esse não merece a atenção de ninguém. Tenho dito.
 
Gustavo Ribeiro em 11/08/2012 07:51:08
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.