A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

13/05/2014 14:09

Quinta-Gospel dá mais pano pra manga: Por que católicos e espíritas não têm vez?

Ângela Kempfer e Kleber Clajus
Sessão nesta manhã na Câmara MunicipalSessão nesta manhã na Câmara Municipal

Nunca shows deram tanto pano para a manga quanto os da “Quinta-Gospel”, evento patrocinado pela Fundac (Fundação de Cultura de Campo Grande). Depois da classe artística ter reclamado, do povo da seresta também levantar a discussão, agora surgem na Câmara Municipal os ataques à noite dedicada aos evangélicos na Praça do Rádio Clube.

Veja Mais
Avião de Xuxa faz pouso de emergência após ser atingido por raio
Begèt de Lucena e Mari Depieri são as vozes do Som da Concha de hoje

Em meio ao debate sobre a “CPI da Folia”, ainda uma proposta para investigar aplicação de recursos da cultura na administração passada, o legislativo ferveu na manhã de hoje por conta da Quinta-Gospel.

O vereador Paulo Pedra (PDT) questionou o fato de recursos públicos serem gastos apenas com bandas evangélicas e cobrou o mesmo para outros grupos religiosos. “A prefeitura não pode ser um braço dos evangélicos. Por que não tem shows também para os católicos, muçulmanos ou espíritas?”.

Hoje, dos 29 vereadores de Campo Grande, onze são declaradamente evangélicos. Para um deles, Eliseu Dionízio (SD), isso é motivo mais do que suficiente para um tratamento diferenciado. “É mérito do movimento evangélico que conquistou espaço no Legislativo e na administração”, argumentou.

Para o vereador, o questionamento ocorre porque “existe repulsa de alguns parlamentares contra os evangélicos.”

Outro da bancada evangélica, Herculano Borges (SD), também saiu em defesa dos companheiros de credo. “Música gospel também é cultura. Aqui em Campo Grande, 40% da população é evangélica”, comentou.

No contra-ataque, os parlamentares ainda questionaram se existe cantor espírita no Brasil e Paulo Pedra respondeu com “um monte”.

Entre os católicos há gente famosa, como as bandas “Anjos de Resgate” e “Rosa de Saron”, com legiões de fãs pelo País.

Já entre os espíritas, não há uma cultura mais massificada, mas também há cantores, grupos e duplas com trabalho consolidado, como Tim e Vanessa.

Diante da polêmica, a ideia é colocar o assunto em discussão e, talvez, ampliar a abrangência da lei que criou a Quinta-Gospel para que contemple todas as outras religiões.

Na verdade, a lei que criou o evento em 2012 não estabelece em nenhum dos 4 artigos que tipo de música deve tocar na Quinta-Gospel, se tem de ser cristã, sacra, espírita ou qualquer outra. Fala apenas que “o evento deverá ser realizado com artistas nacionais e regionais” e no dia que antecede a Noite da Seresta, para diminuir custos.

"Um monte" - Ao contrário dos evangélicos, os espíritas fazem eventos em Campo Grande na base da doação. Em novembro do ano passado, o Glauce Rocha recebeu 800 pessoas em show para quem acredita no espiritismo. A aparelhagem de som foi doada, os artistas não cobraram cachê e o teatro também fixou um preço “camarada”, segundo o organizador Adriano de Oliveira.

Há 6 anos, o consultor de viagens estuda os “trabalhadores da arte espírita” e garante: “a qualidade musical é incrível”. “Temos grandes nomes. O mais interessante é que ninguém cobra para se apresentar e a condição é de que o preço do ingresso seja baratinho, só mesmo para bancar os custos de produção”, diz.

Ele cita nomes como Thiago Brito e Júnior Vidal, cantores com CDs gravados no País. Em Mato Grosso do Sul, a falta de incentivo faz com que esse tipo de arte se manifeste de “forma bem amadora”, justifica. Mas existe na cidade, inclusive, uma rádio na internet, a Rádio Coração do Mundo, da Fundação Chico Xavier. Adriano apresenta um programa todas as sextas-feiras, com acervo de 400 CDs.

Como os evangélicos, ele diz “acalentar no coração” um projeto para também levar shows de graça ao público espírita. “Queria fazer no Parque das Nações, com 4 ou 5 bandas, mas demanda dinheiro e eu nem sei por onde começar”, explica.

Para Adriano, realmente o que falta é uma força institucional. "É claro que não temos nada porque não tem nenhum representante declaradamente espírita na Câmara".




Rosa de Saron é Católica, como dizer que eles não têm vez???
Esta lei foi criada na gestão Nelson Trad que é católico...
Não sei o motivo de tanta discussão por causa disso.
Pq ao invés de criticar, não correm atrás de criar eventos que abrangem outros tipos de fé?
 
luis fernando garcia em 18/08/2014 17:47:12
Tudo bem eles fazerem o show, respeito a diversidade de credo que existe no País. O problema começa quando eles usam verbas públicas para isso.
 
Bárbara de Almeida em 16/05/2014 09:56:25
O nosso "Prefeito" está totalmente equivocado, não deve ficar misturando as coisas ou ele acha que somente evangélicos votaram nele, aliás nele não no Bernal ,ou seja muitos fiéis de nossa senhora. Falar de Deus sim impor religião não ou até isso ele também vai querer impor.
 
Valquiria Santos em 13/05/2014 19:49:25
Reiterando meu comentário.

Sabemos que outras religiões gostam tambem de ouvir músicas gospel (evangélicas) , bem como na quinta gospel eles prestigiam as apresentações, afinal, a palavra de Deus é única. O contrário pode acontecer também.
Esta crítica restringe apenas ao fato da bancada evangélica, que supostamente visando agradar seus eleitores, é o que se entende da matéria, fazem da quinta gospel um evento para uma única denominação. Não devemos fazer politica com a palavra de Deus. Deus não tem partido e nem candidato.
Portanto, eles devem cumprir o que a Constituição determina, assim como na própria Biblia, "Lembrar da parabóla do Bom Samaritano". A biblia não restringe religiões e igrejas. Se a intenção é levar a palavra de Deus, procurem atrair a todos igrejas e publicos.
 
MAX WILLIAM em 13/05/2014 19:25:05
Boa noite a todos colegas, independente de religião, afinal, somos todos filhos de Deus.
Infelizmente o argumento dos vereadores da bancada "evangélica" é totalmente sem fundamento.
Eles não estão lá por causa da religião , mas pela nossa População. Vereador vem do verbo verear, andar pela urbe (ruas). Ou seja, devem ir p/ as ruas e verificar necessidades da população, independente da religião, e através de leis municipais, conforme competência da CF/88, efetivar direitos e deveres para a comunidade.
A CF/88 diz que todos são iguais perante a lei, independente de cor, raça, sexo, RELIGIÃO ...
Logo, caso os vereadores atendam apenas o público evangélico, estarão agindo de forma parcial para interesses de alguns, destratando outras religiões. Inclusive indo contra os principios biblicos
 
MAX WILLIAM em 13/05/2014 19:00:22
Ou seja, com tudo o que foi exposto anteriormente, deduz-se que não se deve dar privilégios a determinadas crenças em detrimento de outras, independente da quantidade de praticantes que atuem à frente da Câmara ou de qualquer outra instituição. Não se pode forçar uma população a pensar da maneira que convém a alguns interesses. A liberdade de expressão, seja ela qual for, é um direito assegurado ao indivíduo e deve ser respeitada.
 
Mariana Carvalho em 13/05/2014 15:50:28
Tudo bem, que façam os shows, porém limite o som para atingir o publico presente na praça e não infernizar os ouvidos moradores na vizinhança da praça.
 
Antonio Marques em 13/05/2014 15:50:09
Estado laico significa um país ou nação com uma posição neutra no campo religioso. Conhecido como Estado secular, tem como princípio a imparcialidade em assuntos religiosos, não apoiando ou discriminando nenhuma religião. Defende-se a liberdade religiosa a todos os seus cidadãos e não permite a interferência de correntes religiosas em matérias sociopolíticas e culturais. Defende que a religião não deve ter influência nos assuntos do Estado. A Const. Brasileira e outras legislações preveem a liberdade de crença religiosa aos cidadãos, além de proteção e respeito às manifestações religiosas. No art 5º VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei proteção aos locais de culto e a suas liturgias
 
Mariana Carvalho em 13/05/2014 15:45:00
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.