A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

11/04/2014 11:05

Sem Noite da Seresta, Quinta Gospel é ilegal, reclama Fórum de Cultura

Ângela Kempfer e Kleber Clajus
Ontem, Quinta Gospel foi retomada com Oficina G3. (Foto: Cleber Gellio)Ontem, Quinta Gospel foi retomada com Oficina G3. (Foto: Cleber Gellio)

Desde novembro do ano passado a Praça do Rádio Clube não recebe seresteiros. Atração durante quase 14 anos na cidade, a Noite da Seresta mudou de nome na administração Alcides Bernal e foi minguando, até acabar em 2013, ironicamente com o grupo "Acaba".

Veja Mais
Avião de Xuxa faz pouso de emergência após ser atingido por raio
Begèt de Lucena e Mari Depieri são as vozes do Som da Concha de hoje

O que o Fórum de Cultura de Campo Grande reclama é que, além da alternativa das antigas desaparecer, a prefeitura está descumprindo a legislação. “Pela lei municipal que cria a Quinta Gospel, esses shows devem acontecer na quinta-feira que antecede a sexta-feira da Noite da Seresta", o que torna o evento realizado ontem na Praça do Rádio ilegal, avalia o Fórum.

A norma foi instituída para diminuir custos, já que a montagem da estrutura necessária serviria aos dois shows. A lei é de 2012 e também prevê a realização na última quinta-feira de cada mês, o que não foi o caso de ontem.

Quando aprovada, a justificativa era de que na cidade cerca de 35% dos moradores são evangélicos e precisam de eventos do tipo.

O prefeito Gilmar Olarte e a nova presidente da Fundac, Juliana Zorzo, são evangélicos, assim como o ex-prefeito Alcides Bernal, condição que deixa os artistas de olhos abertos como nunca, sobre possíveis privilégios aos eventos da Igreja.

Ontem, Olarte esteve na Quinta Gospel, que reuniu milhares de pessoas para show da Oficina G3. O evento, patrocinado pela prefeitura, também estava paralisado e agora é retomado com uma das bandas cristãs de rock mais antigas e famosas do Brasil.

Já sobre a Noite da Seresta, ou Seresta Morena (como passou a ser chamada), não há qualquer notícia sobre o retorno.
A presidente da Fundac diz que agora é momento de colocar a Fundação em ordem, para só depois retomar o calendário de atividades.

Ela garante que a edição da Quinta Gospel já estava programada e admite que desconhece a lei que criou os dois eventos, por isso não sabe das condições para realização.

Mas Juliana anuncia que vai tratar disso no fim de semana e aproveita para pensar alto. “Já cogitou-se até em de trazer a Alcione. Vamos analisar a questão".




Bem lembrado araquem vicente jorge! Esse foi mais uma falta de informação da matéria. Conforme li anteriormente (talvez aqui mesmo no CGNeews, não me lembro) na assunção do cargo pela senhora Juliana Zorzo o evento já estava agendado. Foi uma coincidência ela ser cristã e esse ser o primeiro evento.
 
Rodrigo da Silva em 14/04/2014 07:47:19
Penso que, a prefeitura sabendo o quanto uma estrutura de som e iluminação é importante e quão utilizada em shows/eventos da cidade, ao invés de ficar pagando SEMPRE aos outros, poderia adquirir algumas e com qualidade superior à essas "caixinhas de oropa" que eles locam à preço de ouro para os shows por ela - a prefeitura - realizados.

 
Mauricio Ribeiro em 12/04/2014 06:08:22
O Bernal evangélico, se o fosse tenho certeza que teria pedido a direção do SENHOR e não teria acontecido a sua saída, não que eu seja favorável a este fato vergonhoso e lamentável para a nossa capital, quanto a questão dos eventos a serem realizados na praça acho que falta interesse e diálogo entre as partes, a atual presidente da fundação assumiu recentemente a pasta e certamente o evento hora realizado já estava agendado, ela e nem o Olarte tem culpa, e os seresteiros que se organizem a façam o mesmo, ao invés de ficarem querendo atingir o povo de DEUS...
 
araquem vicente jorge em 11/04/2014 21:35:54
Não defendo o atual prefeito e a presidente da FUNDAC e também não acuso gratuitamente os profissionais jornalistas desse site que tanto aprecio, mas apenas alerto pois não é a primeira vez que acontece.
 
Rodrigo da Silva em 11/04/2014 13:52:49
Caso haja incoerência na realização do evento (ou na "não-realização" no caso da Noite da Seresta) deve-se cobrar a senhora presidente da Fundas Juliana Zorzo com todo o direito. No entanto, percebo que qualquer situação adversa é oportuna para acusadores de cristãos de plantão. Digo isso por vários motivos, mas citarei dois deles: 1) A quantidade de público no show de ontem (quinta-feira) justifica o evento, mesmo que para isso seja necessária a criação de projeto independente daquele que previa a realização dos dois eventos em datas próximas. 2) A informação de que o senhor Alcides Bernal é "evangélico" está equivocada e foi usada para endossar a SUPOSIÇÃO de má fé de evangélicos.
 
Rodrigo da Silva em 11/04/2014 13:52:14
Desde quando o Bernal é evangélico? Ele é muito católico que eu saiba!

 
André Castanho de Souza em 11/04/2014 13:14:19
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.