A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

15/05/2012 10:04

Uma feira de verdade, como Campo Grande está acostumada

Ângela Kempfer
Balcão tradicional, como nos tempos da feirona da Mato Grosso. (Fotos: João Garrigó)Balcão tradicional, como nos tempos da feirona da Mato Grosso. (Fotos: João Garrigó)

De cara, a primeira barraca deixa evidente que a feira é daquelas verdadeiras, com um grande balcão onde o sobá e o churrasquinho são servidos aos clientes sentados lado a lado.

Veja Mais
"Toma aqui uns 50 reais", Naiara Azevedo abre fim de semana eclético
Ludmilla é uma fofa e mostra o que o funk pode ensinar ao nosso sertanejo

“É o jeito tradicional que a gente preservou porque feira é assim”, explica a proprietária Janete Peres, que também tem barraca na Feira Central. "Mas recebo mais elogios aqui", sorri.

Ao telefone, a menina de 4 anos fala ao pai que está em uma “feira diferente. Toda aberta”. Percebo que a impressão da garotinha é a de quem só conheceu um tipo de feira na vida, a da Esplanada Ferroviária.

“É a primeira vez que ela vem aqui. Sempre vamos à Feira Central. É engraçado mesmo ouvir que para ela o que é diferente é o tradicional”, diz a mãe de Ana Beatriz, a servidora pública Ana Tereza.

A saudade da “Feirona”, dos tempos de avenida Mato Grosso, muita gente só consegue matar na Orla Morena, toda quinta-feira. Ao ar livre, com um monte de barraquinhas de frutas e verduras, a feira do bairro Cabreúva é autêntica e reúne centenas de pessoas uma vez por semana.

“A gente não vem só para comer ou comprar muamba. A gente vem para ver as pessoas, fazer as compras de casa, respirar ar fresco. Sinto falta até daquela água que escoria pelas ruelas da feirona antiga, daquele caos”, diz a professora aposentada Suellen Carvalho, de 53 anos.

Francisco (de óculos) na banca de flores.Francisco (de óculos) na banca de flores.

Ao contrário da padronização em alvenaria da principal feira da cidade, na Esplanada Ferroviária, na Orla Morena cada ponto tem seu jeito. Abridores de garrafas ficam pendurados na estrutura de ferro das barracas. Refrigerante tem 1 litro, ainda em garrafas de vidro. E você come ali, entre o vem e vai de pessoas.

Há também vendedores de CDs e DVDs piratas, bancas com produtos do Paraguai, mas é muito pouco em comparação a oferta de pastéis, churrasco, comida japonesa, doces e outros produtos artesanais.

Até banca de flores tem, mas não daquelas pequenininhas. O espaço é grande e vende de orquídeas a ervas. O dono, o aposentado Francisco, garante que não troca à Feira da Orla Morena nem pela força comercial da Feira Central. “Lá virou lugar turístico, não tem o jeito de feira. As pessoas gostam é daqui”.

Fagner Donizete se criou pelas feiras da cidade, o pai – dono de uma banca, cansou e hoje quem toca o negócio é o filho de 27 anos. Na Feira Central, ele é um dos poucos ainda a vender frutas.

As compras na base da bacia.As compras na base da bacia.

O tempo foi mudando tudo. A “Feirona”, criada para comercializar frutas e verduras, hoje só tem bancas de badulaques e restaurantes, lembra Fagner. “Aqui todo mundo se sente à vontade. As pessoas chegam de chinelos, andam como se estivessem em casa”, comenta o rapaz.

Montada sobre o calçadão da Orla, o espaço é amplo e garante uma programação de horas para quem tiver disposição. Dá para fazer uma caminhada, comprar algo para o almoço do dia seguinte e descansar na arena, assistindo apresentações culturais de grupos de teatro, dança e músicos.

Dois casais têm uma noite agitada toda quinta-feira. Saem do Jardim Leblon de bicicleta com os filhos, aproveitam a ciclovia para curtir a feira da Orla. “É puxado, mas bem divertido”, conta Naiara, mãe de Murilo, de 3 anos.

Sentados para apresentação da peça João e Maria, os quatro comem cachorro quente com as crianças. “É um programa muito tranquilo e de graça”, lembra o pai Marcos, de 28 anos.

Além da feira de quinta, todas as terças também há apresentações culturais na Orla Morena, na altura do bairro Cabreúva. Hoje é dia do Grupo Teatral Fantasia, com a peça “Humor na terceira idade”, às 19h30.

Teatro de Arena lotado.Teatro de Arena lotado.
Os amigos saem do Jardim Leblon de bicicleta para aproveitar a feira.Os amigos saem do Jardim Leblon de bicicleta para aproveitar a feira.



Sinto muita saudades dos dois jeitos da feira, porque onde eu morro as feiras começam as 6:00hrs da manhã e acaba 12:00hrs, isso sim ninguém merece. As feiras iguais de campo grande não tem melhor, senti muita saudadesss dessa morena ao ver essa reportagem. E com certeza a feira na orla deu um toque especial as noites de quinta -feira. Saudade da minha terra.
 
Evelyne Costa Torres em 18/05/2012 08:31:55
Faz mais de 20 anos que sai de campo grande e lendo a respeito da feira...meus olhos se encherao de lagrimas...que saudades eu tenho da feira,da comida,da chuva forte...da boa carne e dos bons amigos!!!!!!!Beijos a todos!!!!!
 
sunny sandra teran em 16/05/2012 12:33:09
Sei... alguém já teve que utilizar o banheiro da feira central quando ainda estava no endereço antigo ?? Ainda bem que hoje ela tem seu novo endereço com todo conforto que os clientes assíduos e turistas merecem. Parabéns Campo Grande por dar espaço para o novo e manter tradições ao mesmo tempo!
 
Célia Corrêa em 16/05/2012 09:26:07
Nostalgias à parte...a feira central atual é de verdade e é bem melhor que a feira antiga...mais limpa, mais organizada.
Parabéns à Campo Grande por mais esse ponto turístico fantástico.
 
Sonia Góes em 16/05/2012 09:15:02
Sou Feirante, com muito orgulho há 12 anos.Temos Saudade? Sim, vivemos muitos momentos lá...
E agradeço a população que nos apóia como Feira ... porque nós Feirantes e creio que toda a população ganhou muito com a nossa mudança, pois nossa organização,higiene,atendimento...e temos muito a melhorar ainda.
A matéria era da Orla, porque querer denegrir a Feira que hoje é um exemplo Nacional ?
 
Gracielle Mussi Pimentel em 16/05/2012 07:39:22
Sou Gaúcho de Passo Fundo mas, morei 21 anos em Campo Grande. Nos tempos de guri e, mais tarde, como Jovem, ia quase todos os Sábados na Feira "da Mato Grosso". Agora, sempre que vou a Campo Grande, pois moro em Porto Alegre, levo minha Esposa, que é Gaúcha e Meu Filho, Portoalegrense, para passear, comprar alguma coisa e comer na Feira da Orla Ferroviária mas, a Feira de Rua tem o seu charme.
 
Lisandro Calir Biacchi Adames em 15/05/2012 12:38:15
Nossa, que saudade daquela "feirinha" da Rua Abraão Julio Rahe, ela ficava a duas quadras da casa da minha vó, eu e meus irmãos crescemos indo a feira todo sábado, era sagrado!
 
Gilmara Telles em 15/05/2012 11:42:56
Feira do cabreuva
 
Eliane Nantes em 15/05/2012 11:28:41
A "feirona" era boa quando era ao ar livre, com água suja correndo em nossos pés e flanelinhas que mais pareciam bandidos vinha te abordar para guardar o carro, aquilo que era bom? Por favor, vamos deixar de ser hipócritas, agora que a feira é boa e digna para quem trabalha e frequenta. O bRasil é esse lixo porque as pessoas gostam do que é ruim.
 
Jose nates em 15/05/2012 08:37:47
Feira são aquelas tradicionais feito na rua, ao ar livre, como se fosse tudo improvisado, gente caminhando, o cego tocando sanfona, atrativos de ruas, pipoqueiros, como era lá na Mato Grosso e como são ainda muitas feira dos bairros. Agora fizeram aquela"coisa" lá ferroviaria, alem de caro, um fedor de assado, barulhenta e não tem estacionamento, se é que "aquilo" pode se chamar de feira.
 
Carlos Lamarca em 15/05/2012 05:20:01
SONHO EM UM DIA TRANSFORMAR A FEIRA DO JARDIM AEROPORTO, PARECIDA COM A DA ORLA MORENA, NÃO SER APENAS UMA FEIRA, MAS SIM UM PONTO DE CULTURA PARA A FAMILIA CAMPOGRANDENSE, E QUE TAL EXEMPLO SIRVA PARA TODOS OS BAIRROS DE CAMPO GRANDE QUE TENHA FEIRAS. NOSSAS FAMILIAS MERECEM!!!
 
elvis rangel em 15/05/2012 02:30:08
Assim a matéria muito boa e muito ruim ao mesmo. Boa quando descreve perfeitamente a essência de uma feira. me senti realmente em uma enquanto lia. Parabéns! Mais também, achei ruim enfatizarem só o lado negativo da outra. Sou-me um tanto quanto "sensacionalista". De qualquer maneira, o que importa mesmo é que a feira do cabreúva é ótima!!!
 
Paulo Roberto Paim em 15/05/2012 02:20:49
Então experimentem voltar a máquina de escrever ou a máquina de tirar foto com filme. Gosto muito da feira central tem estacionamento, tem bom atendimento e isto que me importa.
 
Sandro Jack Zmath em 15/05/2012 01:26:53
É Feira da Orla Morena, a Orla ferroviária é a que não está pronta ainda. Não sei porque sempre que relatam sobre uma feira tradicional tem que falar mau da feirona nova. Na MINHA(MINHA) opinião gosto muito da nova feira, na outra não gostava de ir pela Higiene. Mas também acho maravilhosa a feira da Orla. Pronto falei.
 
Genésio Almirante em 15/05/2012 01:23:49
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.