A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

02/12/2015 06:45

Alergia do bebê levou mãe a criar receitas lindas, livres de glúten e lactose

Paula Maciulevicius
Por causa da alergia de Davi, a mãe Ana Paula descobriu um mundo de receitas sem lactose e nem glúten. (Foto: Gerson Walber)Por causa da alergia de Davi, a mãe Ana Paula descobriu um mundo de receitas sem lactose e nem glúten. (Foto: Gerson Walber)

Apaixonada por nhoque e lasanha e tendo a culinária correndo nas veias, foi a junção da oportunidade com a situação que Ana Paula descobriu que o talento que tinha na cozinha para reproduzir receitas, doces e salgadas, livres de lactose e glúten. Um ano atrás, depois da peregrinação em médicos, ela descobriu que o filho recém nascido era alérgico às proteínas do leite que ela consumia na alimentação. De lá pra cá, a mãe trocou os ingredientes e transformou amigos em clientes.

Veja Mais
Para fazer o mundo sorrir, grupo sai às ruas doando bons sentimentos
Clínica realiza palestras para sanar dúvidas sobre infertilidade conjugal

Formada em Turismo com ênfase em alimentos e bebidas, Ana Paula estava desempregada depois que o restaurante de comida japonesa que tinha, fechou, ano passado. Grávida, não tinha quem a empregasse. Davi nasceu e um mês depois começou a apresentar sintomas que levaram ao primeiro diagnóstico: de refluxo. 

"Insisti com a pediatra de levá-lo a um gastro, até que a gente descobriu que ele tinha alergia da proteína do leite que eu usava. Então cortei da minha dieta e comecei a fazer comida para mim", conta. O menino chegava a ter bronquite, tossia e espirrava muito. "Era bem característico de alergia", descreve Ana Paula Silveira, de 33 anos.

Nhoque de batata doce recheado com carne seca e tofupiry com molho de tomate e manjericão.Nhoque de batata doce recheado com carne seca e tofupiry com molho de tomate e manjericão.

A mudança de alimentação na mãe deixou a alergia no passado e trouxe para o presente uma nova profissão: de se aventurar na cozinha funcional. E em fevereiro deste ano, a primeira receita foi vendida: de nhoque de batata doce com molho de abóbora e leite de coco.

"Eu tinha um restaurante, sou gaúcha e as mulheres no Sul cozinham, eu tinha esse convívio já, de ver", fala Ana sobre as raízes.

O nhoque era especialidade da mãe, que ela adaptou. "Tentei fazer com batata doce, por ser menos calórica, aí fui aprimorando, pesquisando sobre alternativas de molho", descreve. Depois de riscada a lactose, foi a vez do glúten sair da alimentação.

"Vou adaptando as receitas que pesquiso e gosto. Pegava uma original, trocava a farinha, tirava o ovo, usava chia. A massa que eu uso, eu que criei, mas depois de errar bastante", relata aos risos. Nas receitas não entram mix de farinha prontos, por exemplo, tudo vem das mãos de Ana Paula.

Bolo funcional decorado com morangos e recheio de baba de moça. Bolo funcional decorado com morangos e recheio de baba de moça.
Com castanhas, bolo funcional decorado, com cobertura de chocolate sem glúten e lactose.Com castanhas, bolo funcional decorado, com cobertura de chocolate sem glúten e lactose.
Zuppa Inglese: creme de ovos, castanhas, pedaços de bolo e brigadeiro de cacau. Zuppa Inglese: creme de ovos, castanhas, pedaços de bolo e brigadeiro de cacau.
Ricota sem leite, de tofú com castanhas, castanha do Pará e alecrim.Ricota sem leite, de tofú com castanhas, castanha do Pará e alecrim.

No resumo, entre os doces, os ingredientes base para os pratos são: farinha de arroz, polvilho (fécula de mandioca), goma xantana ovo e açúcar mascavo. Já entre os salgados: chia, sal rosa do Himalaia e produtos funcionais. "Meu molho de tomate eu mesma que faço. Pego tomate, tiro a semente e cozinho. Minha farinha de castanha também, assim como o leite de castanha", frisa.

Para a entrega, o cuidado é à parte e a cozinheira diz que nenhum bolo é igual o outro e encara cada receita como uma "tela em branco". "Eu vou fazendo, jogo um morango, um kiwi, vejo o que cabe e assim vai...", explica. O resultado, são pratos decorados e de comer com os olhos.

Quem quer saber se no fim das contas a comida que sai da cozinha de Ana Paula é menos calórica? Ela mesmo informa. "Os salgados são bem menos do que os convencionais, já os bolos têm mais caloria, mas são funcionais. Leva castanha, açúcar mascavo, que não é light, mas tem absorção mais lenta no organismo. Então acaba te saciando mais rápido", relata. Ou seja: se com menos.

Algumas das receitas de Ana Paula já são encontradas em empórios, com a marca NutriLivre. Uma das próximas invenções está quase saindo do forno: uma sobremesa italiana chamada "Zuppa Inglese". "Leva creme de ovos com pedaço de bolo, castanhas e um creme de brigadeiro de cacau. A tradução é sopa inglesa e na verdade ela é uma sopa doce", descreve.

Pode ser que futuramente a alergia do pequeno Davi, razão de toda essa descoberta, se transforme apenas em intolerância, mas o caminho já está aberto: de receitas nutritivas e livres de glúten e lactose. "É tudo artesanal, nada vai conservante, eu que faço, é a minha mão em tudo. Não é ninguém que faz, não tem máquina não", ressalta. Para acompanhar as receitas de Ana Paula, acesse a página da Nutrilivre.

Curta o Lado B no Facebook.

Mini-sanduíche integral enrolado com recheio de tofu e castanhas.Mini-sanduíche integral enrolado com recheio de tofu e castanhas.
Dos bolos funcionais, o mais popular é de castanhas, com baba de moça e brigadeiro.Dos bolos funcionais, o mais popular é de castanhas, com baba de moça e brigadeiro.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.