A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

18/08/2016 06:25

Banha de porco para passar no pão e até na mandioca pode ser opção mais saudável

Thailla Torres
Banha de porco  é mais saudável que óleos comprados em supermercado. (Foto: Fernando Antunes)Banha de porco é mais saudável que óleos comprados em supermercado. (Foto: Fernando Antunes)

Ao contrário do que muita gente imagina, a banha de porco, antes condenada pelo uso na cozinha, agora é recomendada até por nutricionistas. Substitui bem os óleos vegetais que a maioria das pessoas consome no dia a dia e garante o sabor diferente, de comida caseira.

Veja Mais
Clínica realiza palestras para sanar dúvidas sobre infertilidade conjugal
Peregrinos não precisam ir tão longe, nosso "Caminho de Santiago" fica a 60km

A nutricionista Paula Saldanha, explica que a banha de porco é uma gordura saturada e mais saudável do que os óleos vegetais, que normalmente se encontra no supermercado.  "Essa é a pior que existe, que são chamadas de hidrogenadas e liberam toxinas quando é fervida. Esse tipo de gordura também encontrado nas bolachas recheadas e margarinas, consumido em excesso pode aumentar a gordura ruim do corpo", explica. 

Na lista de sugestões, a banha é superada apenas por azeite de oliva, Castanha do Pará, linhaça e amendoim. "Só que é o tipo de gordura com um custo mais alto para o consumidor, por isso quem não tem condições de manter uma dieta com esse produto, é recomendado a gordura animal que fica em um intermediário, sendo mais nutritiva", esclarece a nutricionista.

Garrafa de 2 litros custa R$ 15,00. (Foto: Fernando Antunes)Garrafa de 2 litros custa R$ 15,00. (Foto: Fernando Antunes)

Mas é preciso cuidado na hora do consumo, para equilibrar com o gasto de energia no cotidiano. "A maior preocupação não deve ser com a caloria, mas com os benefícios para o corpo. Ao consumir muita gordura, o corpo precisa eliminar. Mesmo sendo recomendada, a banha de porco deve ser dosada em quantidades pequenas", sugere, pois o excesso leva também ao aumento do colesterol, problemas cardíacos e sobrepeso.

Até a manteiga caiu no ranking das preferências de quem é especialista no assunto. "Recomendamos evitar a fritura na alimentação, mas se for consumir, lembre-se de usar pouca banha. No caso de alimentos como arroz ou macarrão alho e óleo, a quantidade indicada é de uma colher de café. É comum também substituir a manteiga pela banha no pão e no melado", cita.

O estudante Ryan Felipe dos Santos sempre usou a banha no preparo da alimentação da família. "Meus pais foram criados em fazenda e todos consomem a banha. Um e outro da família que prefere não usar, mas em casa ninguém descarta. Aqui é difícil achar e por isso a gente traz tudo da fazenda, distribui para a família e sem dúvida, deixa tudo saboroso", pontua. 

Por aqui, em alguns açougues próximos ao Mercadão Municipal, 2 litros de banha de porco custam em média R$ 15,00. 

Em Campo Grande, na churrascaria Gaúcho Gastão, o uso da banha é tradicional. "Toda vida a gente usou e nunca fez mal. Aqui é obrigação preparar com banha", explica a sócia proprietária, Vita Frandoloso.

E o que faz sucesso é mandioca cozida, que  fica especial com o sabor da banha. "A gente frita a cebola em uma panela com um pouco de banha e depois joga a gordura em cima da mandioca. E com certeza fica saborosa. Eu mesma dou toda certeza que é muito mais delicioso", garante.

Curta o Lado B no Facebook.

Tem gente que passa banha de porco no pão.Tem gente que passa banha de porco no pão.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.