A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

25/01/2016 06:23

No Facebook ou na vida real, todo mundo tem direito de se mostrar, até o gordo

Liziane Berrocal
Criei coragem e fiz uma postagem com a foto do biquíni, que tentei patrocinar na página e que tive mais uma vez o anúncio negado pelo Facebook.Criei coragem e fiz uma postagem com a foto do biquíni, que tentei patrocinar na página e que tive mais uma vez o anúncio negado pelo Facebook.

Nesta semana nas “andanças” de internet eu vi um anúncio da Calvin Klein onde mostrava uma mulher magra como modelo plus size. Eu tentei achar a mulher plus size ali, mas não consegui e juro para vocês que aquela mulher deveria usar manequim 38 no máximo 40. E não um tamanho 46, que é o que eu considero que seja plus size. O mundo da moda, dizem que considera o número 44 para cima, e aquela modelo nem assim usaria sequer um G.

Veja Mais
Clínica realiza palestras para sanar dúvidas sobre infertilidade conjugal
Peregrinos não precisam ir tão longe, nosso "Caminho de Santiago" fica a 60km

Sim, me causou indignação, porque muitas meninas adolescentes e em fase de descoberta e aceitação do próprio corpo se inspira em modelos, grifes e aquilo que a moda prega e quando vemos que há um espaço – muito amplo por sinal, para modelos plus size, muitas de nós mulheres acima do peso e até mesmo obesas nos animamos, porque é uma oportunidade de representatividade no mundo tão excludente que é a moda.

E comecei a ver os comentários. Eu tenho uma página em que falo sobre assuntos ligados a empoderamento feminino, minha luta contra e com a obesidade, preconceito e como dizem por aí eu “me mostro”.

Há uns três meses – portanto, um pouco mais gorda, eu tirei uma foto de biquíni em um SPA que eu fui. E confesso para vocês que eu gostei de me olhar no espelho e gostei do que vi. Mandei a foto para o meu marido, que também gostou muito e para algumas amigas que questionaram porque eu não postava, porque isso iria encorajar muita gente. Eu, é claro, fiquei na dúvida e deixei de lado.

Veio então o verão e teve um protesto na praia de “gordas de biquíni” e todas essas discussões que tomam conta da internet a cada dia. Eu fiquei pensando com meus botões, qual o problema das pessoas então se mostrarem e quererem mostrar seus corpos como forma de empoderamento, forma de expressão e de libertação.

Criei coragem e fiz uma postagem com a foto do biquíni, que tentei patrocinar na página e que tive mais uma vez o anúncio negado pelo Facebook – por excesso de pele (essa é a justificativa deles), enquanto vemos anúncios mil de modelos esquálidas e cheias de retoques. E o Facebook também não aceita a palavra “gorda” nas postagens patrocinadas, eu já fiz o teste.

Então, como eu acredito que é importante sim discutirmos o assunto, resolvi aproveitar este espaço – que tem um alcance enorme, para propor a reflexão sobre o tema. Claro que eu sei que é uma exposição extrema em que muita gente torce o nariz, e também sei que posso receber várias manifestações de preconceito, que podem ser ou não abafadas por manifestações de apoio.

Mas sempre tive comigo que para se expor é preciso coragem, e meus amigos, quem tem coragem de enfrentar um rodízio mesmo com o estomago reduzido e fazer bolos de chocolate maravilhosos sem poder comer como é o meu caso, tem coragem para tudo!
Eu sou gorda. 

Close

Sim, eu sou gorda. GORDA. E me chamam de "cida", "Cidona", me acusam de "gostar de se mostrar". Sim, eu me mostro. Eu me mostro porque eu posso, eu me mostro porque eu mereço, eu me mostro porque meu corpo me faz ser quem eu sou. Eu me mostro porque é MEU CORPO.

Sim, eu aguento a barra do preconceito todos os dias, sem políticas públicas, sem ninguém para passar a mão na minha cabeça e me dizer "coitadinhas" com gente que afirma que está só "preocupada com minha saúde".

Sei que essa foto vai "causar", mas eu não estou no mundo a passeio. Sei que vou ser criticada, mas os boletos estão vencendo, quem quiser ditar as regras, entra na vida. E sei que vão me apontar, mas eu já segurei tantas barras.
Estou emagrecendo - precisei sim da cirurgia, e ainda assim vou continuar gorda. Mas ainda assim vou me mostrar.
E me mostro para desconstruir barbaridades como esta. De uma grife dizer que uma mulher quase esquálida é "plus size".

E é por você, que passa por excessivos xingamentos, por você que passa por humilhações por ser acima do peso, por você que precisa de ajuda para se amar porque é alvo de apontamentos que eu me mostro.
E vou continuar me mostrando! E vou me mostrar e se reclamar, eu vou me mostrar de novo!
‪#‎SeMostre ‪#‎PlusSizeSim ‪#‎MeuCorpoÉMeu ‪#‎GordofobiaNão

PS: Esse texto é uma homenagem as duas gordas mais lindas da minha timeline Jessika Andras e Carlota Bogel, que me inspiram a cada dia!




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.