A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

24/11/2015 12:06

A retrocompatibilidade e a sua importância (ou não) nos videogames

Edson Godoy
A retrocompatibilidade e a sua importância (ou não) nos videogames

Durante o lançamento de Star Wars Battlefront, foram vendidos pacotes especiais que incluíam além do jogo, alguns títulos da saga lançados no Playstation 2: Star Wars Racer Revenge, Star Wars Jedi Starfighter e Star Wars Bounty Hunter.

Veja Mais
Last Guardian e Mario Maker no 3DS puxam lançamentos de dezembro
Dos três modelos da linha PlayStation 4, qual se encaixa melhor para você?

Apesar dos jogos possuírem características dos consoles modernos como o suporte a troféus e também rodarem com melhorias gráficas, ficou evidente de que se tratava de uma espécie de emulação, pois o logo do Playstation 2 aparecia após a inicialização do game.

Questionada, a Sony confirmou que esses jogos estão funcionando através de emulação, mas não detalhou como essa funcionalidade será explorada. Não sabemos nem se rodarão jogos em mídia física ou somente em mídia digital. A verdade é que essa funcionalidade deixou bastante gente empolgada. Mas até que ponto a retrocompatibilidade é importante para os videogames? Até que ponto ela influencia na compra de um console da nova geração?

Geralmente o fator determinante para essa escolha fica por conta dos jogos exclusivos de cada console. Quando o peso dos exclusivos é igual para o usuário, outros fatores começam a pesar na balança, fazendo o consumidor pender para um lado ou para o outro. E é aqui que a retrocompatibilidade pode fazer a diferença.

Lembram da E3 deste ano? Um dos principais destaques da feira foi o anúncio da possibilidade de rodar jogos de Xbox 360 no Xbox One. Outro exemplo válido: desde a era Game Boy, a Nintendo sempre possibilita a retrocompatibilidade em seus consoles portáteis e desde o Gamecube/Wii ela também possibilita isso nos consoles de mesa.

Além de permitir rodar seus jogos preferidos do console da geração anterior sem a necessidade de mexer com instalação de console, controles e fios que os acompanham, geralmente esses jogos rodam com algumas pequenas melhorias, o que acabam melhorando ainda mais a experiência com o game. Hoje, com a onda retrô e de colecionismo nos videogames, a retrocompatibilidade ganha ainda mais importância para os gamers.

E você, caro leitor? O que acha da retrocompatibilidade?Deixe sua opinião nos comentários. A coluna de games do Lado B tem o apoio da loja Retro Gamers. Visite também o meu site, o Vídeo Game Data Base.

 




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.