A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

05/12/2014 06:34

No Santa Fé, delicatéssen abre as portas com receitas caseiras de avó mineira

Paula Maciulevicius
As receitas de massa são as mesmas de décadas atrás. (Foto: Marcos Ermínio)As receitas de massa são as mesmas de décadas atrás. (Foto: Marcos Ermínio)

A esquina das ruas Antônio Maria Coelho e Itiquira, no bairro Santa Fé, em Campo Grande, ganhou um espaço acolhedor. Nessas nossas andanças pela cidade, às vezes se tem amor à primeira vista com algum lugar ou alguma pessoa, que depois viram personagens aqui. 

Veja Mais
Ex-gerente de fast food vende Nakedtone, além de pizza que é jantar e sobremesa
Com ingrediente mais importante, chef reúne alunos com down para ensinar ceviche

Acho que foi o nome ou a fonte da escrita que me chamou atenção por remeter a um carinho "Dudi Deli - Delícias da Vovó". A fachada de vidro já me permitia visualizar de fora o que me aguardava lá dentro. Uma simpática senhora sentada à mesinha é quem cumprimenta num empolgante 'bom dia'. Ao se apresentar, ela diz ser a Dudi e a dona das delícias da vovó, por mais que não aparente ser uma. Combino de voltar no outro dia. Surpresa, ela responde que será o maior prazer.

Dudi é o apelido de infância de Maria José Almeida. A idade ela revela já anunciando que nos próximos dias subirá uma casa. Tem 68, mas só até o dia 28. Mineira, se casou e veio se aventurar pelas bandas do Mato Grosso do Sul quando ele ainda respondia pelo nome vizinho.

Dudi é o apelido de infância de Maria José Almeida. A avó dona das delícias. (Foto: Marcos Ermínio)Dudi é o apelido de infância de Maria José Almeida. A avó dona das delícias. (Foto: Marcos Ermínio)

Consigo trouxe, além de um sotaque que mantém até hoje, as receitas da família e acho que o dom para a cozinha. "Eu que fabrico tudo", diz orgulhosa. "Eu já favia para fora", conta.

A entrevista é acompanhada da filha, Juliana Machado de Almeida, de 45 anos, que completa dizendo que o talento vem desde a sua avó. "Minha avó era famosa com as massas, o carro chefe sempre foram as tortas e os quitutes de Minas, mas aqui a gente também montou um empório de apoio", apresenta o lugar.

Os aniversários dos filhos e da própria Dudi eram ocasiões de lançamento de pratos. Chef de cozinha por "genética", foi esta a herança passada de mãe para as filhas. Ter a mão boa e um carinho pela comida. "Nos aniversários da gente ela planejava com seis meses de antecedência o que ia fazer. As amigas gostavam e começavam a pedir", pontua Juliana.

De pedido em pedido, à mãe, "casou" a ideia com a filha, de montar um negócio. Arquiteta de formação, depois de 12 anos de trabalho no serviço público, Juliana quis se aventurar. Foi com calma e seguiu o caminho que já conhecia. "Por que não? Eu tinha tudo nas mãos", conta.

As receitas de massa são as mesmas de décadas atrás. "Minha avó usava banha de porco, tirei a banha e coloquei a manteiga. Mas fui seguindo tudo de família mesmo", descreve dona Dudi.

Local é para passagem, para quem quer provar um pouco e levar o muito para casa. (Foto: Marcos Ermínio)Local é para passagem, para quem quer provar um pouco e levar o muito para casa. (Foto: Marcos Ermínio)
Doces caseiros mineiros completam empório. (Foto: Marcos Ermínio)Doces caseiros mineiros completam empório. (Foto: Marcos Ermínio)
Louça inglesa, presente de casamento da mãe de Dudi enfeita com graça. (Foto: Marcos Ermínio)Louça inglesa, presente de casamento da mãe de Dudi enfeita com graça. (Foto: Marcos Ermínio)

Cardápio - Sob encomenda, com alguns exemplares à pronta entrega, dona Dudi faz tortas de frango, palmito, bacalhau, camarão e quiches de queijo, presunto e queijo e alho poró. Entre os doces, são os pavês e mousses feitas com carinho e delicadeza. Além de uma calda específica para sorvete feita de frutas secas.

"É uma delicatéssen restrita, não é muito ampla. O próprio nome já diz, delícias da vovó por serem coisas produzidas por ela", explica Juliana. A ideia de por o "Dudi" na fachada vai além de uma estratégia de marketing. "É o apelido de infância e remete à grande matriarca das comidinhas, minha avó", completa a filha.

Entre os doces, são os pavês e mousses feitas com carinho e delicadeza. (Foto: Marcos Ermínio)Entre os doces, são os pavês e mousses feitas com carinho e delicadeza. (Foto: Marcos Ermínio)

De início, o lugar não acomoda tantas pessoas para provar ali. São poucas cadeiras que servem só de passagem para quem quer provar um pouco e levar o muito para casa.

Mas o ambiente é tão acolhedor que vale uma sentada para um bom papo. Com detalhes cor de rosa no papel de parede e o próprio jogo de louça inglês, presente de casamento da mãe de dona Dudi, deixam a delicatéssen mais graciosa ainda.

Para provar, existem as pequenas unidades, tal qual a foto da torta de bacalhau, vendidas a partir de R$ 8,50 - dependendo do sabor - até as tortas por quilo, comercializadas a partir de R$ 52 o quilo.

"O segredo? É o amor. Gosto tanto de fazer essas coisas". A frase pode até parecer clichê, mas quando sai da boca de dona Dudi, conquista a gente.

Nas prateleiras do empório, tem também preciosidades difíceis de encontrar, como massas caseiras e doces mineiros legítimos. Terceirizados, mas escolhidos a dedo pela dona.

O lugar vale uma visita e a torta, uma garfada. A "Dudi Deli - Delícias da Vovó" fica na Rua Antônio Maria Coelho. 4430. O telefone de contato é o 3043-1310. Eles abrem de segunda a sábado, das 9h às 20h.

O lugar vale uma visita e a torta, uma garfada. (Foto: Marcos Ermínio)O lugar vale uma visita e a torta, uma garfada. (Foto: Marcos Ermínio)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.