A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

04/07/2016 06:10

Restaurante é aberto em galeria de arte e quem gostar da cadeira pode levar

Thailla Torres
O lugar é aconchegante e o cliente pode comprar a mesa e a cadeira que está sentado. (Foto: Alcides Neto)O lugar é aconchegante e o cliente pode comprar a mesa e a cadeira que está sentado. (Foto: Alcides Neto)

A casa na Avenida Afonso Pena deu lugar à galeria de arte. Na varanda, é o fogão e o aroma da comida caseira que despertam a atenção. No Bairro Amambaí, o espaço onde funciona a Galeria Artes Rústicas reservou um dos ambientes para o "Casa da Vovó - Restaurante e Pastelaria". O diferente é que a pessoa que gostar pode comprar e levar qualquer um dos móveis, todos estão à venda.

Veja Mais
Bar serve comida alemã e cliente ainda pode conhecer fábrica de cerveja
Mistura de peruana com oriental, tendência para 2017 é cozinha que une 2 países

A ideia foi de Cláudia Padim, de 50 anos. Ela que há 18 anos trabalha com decoração, viu na loja a chance de vender arte e gastronomia. 

Ela nasceu em Aparecida do Taboado, desde a juventude já tinha gosto pelos negócios. Foi dona de floricultura e se tornou paisagista. Após um acidente, não conseguiu mais trabalhar no ramo e aí o artesanato e o conceito de reaproveitamento entraram em cena.

Móveis rústicos feitos com madeira de demolição. (Foto: Alcides Neto)Móveis rústicos feitos com madeira de demolição. (Foto: Alcides Neto)

"Eu sempre tive muito gosto pelos móveis de demolição. E quando eu decidi começar, aos poucos fui mudando e transformando o que fazia em uma loja. Até que um dia acabou virando uma galeria", conta.

Há 18 anos ela trabalha no ramo, o primeiro empreendimento foi na cidade em que nasceu. Mas por ser interior, houve um tempo em que ela já tinha vendido para quase todos os moradores, por isso decidiu vir com a loja para Campo Grande.

A galeria tem uma variedade em móveis, decorações, arsenatos e acessórios para casa. A maioria com madeira de demolição que muitas vezes é um achado. "Eu sempre gostei da ideia de reaproveitamento, costumo achar as coisas na rua e guardar para fazer algo", explica. 

Em alguns casos vale de tudo para reaproveitar. A cabeceira de uma cama por exemplo, foi lixada, pintada, recebeu almofadas e acabou virando um sofá. As latas de alumínio são objetos de decoração para mesa e quadros. Uma fonte de madeira encontrada em uma caçamba de lixo foi reaproveitada e deu cara nova a um charmoso lavado para o restaurante.  

A fonte de madeira achada no lixo foi reaproveitada. (Foto: Alcides Neto)A fonte de madeira achada no lixo foi reaproveitada. (Foto: Alcides Neto)

Como a fachada sempre despertou interesse, ela acabou fazendo da varanda um restaurante. "Algumas pessoas passavam aqui na frente e achavam que os móveis eram caros demais. Na verdade, tem peças de todo preço e isso foi um jeito das pessoas conhecerem também o nosso trabalho", justifica. 

Por isso, quem senta na mesa para o almoço pode ficar a vontade para comprar a mesa e as cadeiras. Os armários e quadros coloridos também estão à venda. 

Já quem vai apenas para almoçar também aproveita um cardápio que lembra o tempero da vó. Até às 17 horas, o restaurante também funciona como pastelaria. 

Tanto o restaurante quanto a galeria abrem de segunda a sábado, das 8h às 17H.

O valor para almoço self service é de R$ 15,00 e o prato feito sai por R$ 10. O estabelecimento fica na Avenida Afonso Pena, 607, Bairro Amambaí. 

Curta o Lado B no Facebook.

A cabeceira da cama virou sofá. (Foto: Alcides Neto) A cabeceira da cama virou sofá. (Foto: Alcides Neto)
Tem móveis de madeira por toda parte. (Foto: Alcides Neto)Tem móveis de madeira por toda parte. (Foto: Alcides Neto)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.