A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

12/12/2014 16:28

Após denúncias, promotor determina vistoria no Córrego Laranjal

Helio de Freitas, de Dourados
Água barrenta do Córrego Laranjal teria sido provocada pela enxurrada vinda da fazenda de usina (Foto: Divulgação)Água barrenta do Córrego Laranjal teria sido provocada pela enxurrada vinda da fazenda de usina (Foto: Divulgação)

Equipes da Polícia Militar Ambiental e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente vão fazer uma vistoria segunda-feira para verificar se a enxurrada vinda de uma fazenda de plantio de cana voltou a poluir os afluentes do Córrego Laranjal, no município de Nova Andradina, a 300 km de Campo Grande. A denúncia feita pelo produtor Edilson Nantes, presidente da Associação dos moradores dos bairros Laranjal, São Bento e Papagaio, foi divulgada ontem pelo Campo Grande News.

Veja Mais
Enxurrada volta a inundar córrego e associação cobra providências
Fim de semana em MS terá tempo instável com possibilidade de chuva

Na tarde desta sexta (12), o promotor de Meio Ambiente de Nova Andradina, Alexandre Rosa Luz, se reuniu com Edilson Nantes e com o comandante da PMA em Batayporã, o subtenente Milton Alexandre Passianoto.

Nantes mostrou ao promotor as fotos que comprovariam o rompimento das curvas de nível na propriedade usada pela Usina Santa Helena para plantio de cana. As barreiras foram feitas pela indústria, após um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) assinado em 2011.

O representante dos produtores afirma que as curvas se nível se romperam por falta de manutenção e a enxurrada voltou a arrastar areia para os afluentes, deixando a água do Córrego Laranjal barrenta. Ontem, Passianoto disse ao Campo Grande News que uma equipe da PMA tinha ido duas vezes ao local e não teria constatado a poluição.

“A PMA e os técnicos da prefeitura vão ao local acompanhados pelo senhor Edilson Nantes para verificar se houve poluição e depois vão me informar a situação encontrada para as providências necessárias”, afirmou o promotor.

Ontem, a advogada Denise Felício Coelho, de um escritório de Campo Grande, informou que na segunda-feira a Usina Santa Helena vai se pronunciar sobre a denúncia.

O caso – O Laranjal é um dos principais córregos que cortam o município de Nova Andradina e que ajuda a formar a bacia do Rio Ivinhema. Em 2010, a erosão iniciada na área de plantio de cana da Usina Santa Helena arrastou areia para o córrego e foi preciso uma grande mobilização da população local para que providências fossem adotadas.

Os moradores denunciam que muitas ações determinadas naquela época não foram cumpridas pela indústria. Esse seria o principal motivo para o problema reaparecer agora. O córrego fica a 35 km do centro da cidade.

“O Laranjal, que depois da poluição de 2010 tinha voltado a ficar com água limpa, cristalina, e vinha sendo usado de novo para banho nos fins de semana, está barrento mais uma vez porque a enxurrada inundou um de seus afluentes, o Mimoso”, afirmou Edilson Nantes. Ele denuncia que apenas uma parte das árvores previstas no TAC foi plantada nas margens do córrego.

Erosão provocada por enxurrada que arrastou areia para afluente do Córrego Laranjal (Foto: Divulgação)Erosão provocada por enxurrada que arrastou areia para afluente do Córrego Laranjal (Foto: Divulgação)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions