A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

23/08/2012 18:10

Estiagem não dá trégua e crianças e idosos sofrem com ar seco

Helton Verão

Estiagem não dá trégua e crianças e idosos sofrem com ar seco

Veja Mais
Incêndio em terreno baldio atinge casa e assusta moradores
Inmet registra em Campo Grande menor umidade do País nesta quinta

-

Baixa umidade chegou a 16% ontem; Há chances de chuva no domingo

Tereré é a principal alternativa encontrada por campo-grandenses (Foto: Rodrigo Pazinato)Tereré é a principal alternativa encontrada por campo-grandenses (Foto: Rodrigo Pazinato)

O tempo seco na Capital tem castigado toda população, principalmente as crianças e idosos. Tirando a chuva de 3mm no último dia 16, em algumas regiões da cidade, já são 50 dias sem chuvas consideráveis.

Ontem (22) foi registrado o recorde do ano na umidade relativa do ar, apenas 13%. Hoje, o índice melhorou, próxima dos 40%, mas ainda assim está abaixo do ideal, que é de 60%.

Complicações com a respiração, secura nos olhos e narina, lábios ressecados, ardência na garganta, são diversos os resultados negativos para a saúde. Algumas alternativas são tomadas para evitar mais complicações.

“O tempo está muito seco, estamos tendo muito cuidado com o bebê, o jeito é recorrer a umidificadores de ar, toalhas úmidas e manteiga de cacau” conta a agente de atendimento Danielle Nascimento, com seu filho de apenas de dois meses no colo.

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a umidade relativa do ar ideal para evitar demais preocupações é de 40% a 50%. Quando este índice cai abaixo dos 20% alguns cuidados devem ser tomados como tomar muita água, comer frutas, verduras e legumes.

“Minha mãe de 65 anos sofre na época deste ano, suas vias respiratórias trancam com facilidade, logo tenho que procurar um médico para evitar maiores problemas”, conta a empresária Thea Correa.

Nesta época do ano difícil encontrar vaga na agenda de alergistas e pediatras da Capital, a procura aumenta consideravelmente, quase dobra.

“A procura por atendimento nesta época em meu consultório aumenta de 30% a quase 50%. Tem mudar a alimentação, tomar muito liquido, água, suco naturais, no caso de secura nos olhos e narina, pingar soro fisiológico. Caso não tenha o umidificador de ar, colocar uma bacia de água no ambiente”, recomenda médico alergista e imunologista, Celso Tabosa.

O doutor ainda lembra que devem evitar a exposição no sol das 11h às 15h, também da pratica de exercícios físicos, pois este é o horário em que ele está no auge de sua intensidade.

Chuva fraca talvez no domingo - Há a possibilidade de uma chuva leve no domingo e aniversário da Capital. É o que prevê o meteorologista Natálio Abrão.

“Existe a chance de muitas nuvens no fim da tarde do dia 26 para o dia 27, mas não é de se animar, pois se chover, vai ser em um volume que não vai influenciar na umidade do ar”, diz Abrão.

Segundo o especialista, o tempo seco é mais do que normal neste período do ano, também lembrou do recorde dos 8% de umidade em 2008. Esse sim um momento mais crítico que o atual. Nesta quinta-feira (23) a umidade relativa do ar atingiu 18%, mantendo a média dos últimos dias.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions