A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

04/02/2013 09:29

Macaco-prego que passou por cirurgia inédita se recupera bem

Mariana Lopes
Sem precisar tomar remédios desde o dia 25 de janeiro, o macaco também está se alimentando normalmente (Fotos: Luciano Muta)Sem precisar tomar remédios desde o dia 25 de janeiro, o macaco também está se alimentando normalmente (Fotos: Luciano Muta)
Danado como qualquer macaco, ele abriu os próprios pontos da perna na qual foi feita a cirurgiaDanado como qualquer macaco, ele abriu os próprios pontos da perna na qual foi feita a cirurgia

Sem tala e já aprontando peripécias, o macaco-prego que passou por uma cirurgia no fêmur no início de janeiro, no Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), se recupera bem e deve ser colocado junto aos outros animais da espécie em pouco menos de 40 dias.

Veja Mais
Cras faz cirurgia inédita em macaco-prego que fraturou fêmur
Fim de semana em MS terá tempo instável com possibilidade de chuva

Por enquanto ele está na sala da querentena, espaço onde ficam os animais durante o período de observação assim que chegam ao Cras. De acordo com o médico veterinário do centro, Álvaro Cavalcanti, o medicamento do macaco foi encerrado no dia 25 de janeiro e ele já se alimenta normalmente.

A tala que estava na perna direita foi retirada 15 dias após a cirurgia, na qual foi colocado dois pinos por causa da fratura. Danado como qualquer macaco, ele acabou abrindo os próprio pontos da cirurgia, mais um motivo para esperar o tempo de cicatrização antes de colocá-lo junto ao bando com os outros macacos.

“Além disso, é preciso acompanhar o pós-cirúrgico, com radiografias, por exemplo. Mesmo porque o colo ósseo dele está em formação, ainda não está maduro”, explica o veterinário.

 

O médico veterinário do Cras, Álvaro Cavalcanti, explica que apesar de o macaco já estar bem, o período de quarentena faz parte do processo pós-cirúrgico e é importante para observar a recuperação do animalO médico veterinário do Cras, Álvaro Cavalcanti, explica que apesar de o macaco já estar bem, o período de quarentena faz parte do processo pós-cirúrgico e é importante para observar a recuperação do animal

Em entrevista ao Campo Grande News, logo após a cirurgia, Cavalcanti disse que seria feita uma averiguação próximo à área onde o macaco foi atropelado para ver se encontravam o grupo dele. Porém, essa possibilidade foi descartada e agora ele se juntará ao bando de macacos que está sendo formado no Cras, todos também em processo de reabilitação à natureza.

Conforme as informações que chegaram até o veterinário, através da PMA (Polícia Militar Ambiental), que foi quem resgatou o macaco, o acidente aconteceu no dia 8 de janeiro, próximo ao bairro Santo Eugênio, em Campo Grande. O animal foi atropelado por uma motocicleta e sofreu fratura exposta do fêmur direito.

O macaco, que de acordo com o veterinário tem 6 meses, passou por uma série de procedimentos preparatórios para a cirurgia, feita dois dias depois. O procedimento foi realizado pela equipe do Cras, com apoio de médicos veterinários autônomos colaboradores e da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions