A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

14/10/2014 17:32

Órgãos firmam acordo para minimizar impacto ambiental de asfaltamento de rodovia

Liana Feitosa
Acordo tem o objetivo de implantar medidas de preservação do meio ambiente em Bonito. (Foto: Divulgação)Acordo tem o objetivo de implantar medidas de preservação do meio ambiente em Bonito. (Foto: Divulgação)

Um acordo firmado entre a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), a Seop (Secretaria Estadual de Obras Públicas e Transportes) e a Promotoria de Justiça de Bonito, município a 257 km de Campo Grande, promete adotar uma série de mecanismos com o objetivo de preservar o meio ambiente na região.

Veja Mais
Previsão é de semana chuvosa em Campo Grande e na maior parte de MS
Dia amanhece garoando e previsão é de chuva na maioria das cidades do Estado

O acordo está relacionado aos impactos causados pelo asfaltamento da rodovia Bonito - Baía das Garças e pretende implantar radares para evitar a mortandade de animais, passagens para a fauna silvestre, placas de conscientização, além de medidas de proteção de rios.

O compromisso firmado também pretende monitorar as rodovias estaduais que chegam a Bonito para identificar os pontos com maior incidência de atropelamento de animais. Desta forma, será possível adotar medidas para redução esses índices.

Outros medidas - Segundo o MPE (Ministério Público Estadual) de Mato Grosso do Sul, o compromisso firmado prevê a implantação de uma ciclovia ao longo de toda a rodovia que dá acesso a atrativos importantes da cidade, como a Gruta do Lago Azul, Gruta de São Miguel, Abismo Anhuma e o Parque Nacional da Serra da Bodoquena. Ou seja, 46 km de ciclovia serão construídos, o que poderá, inclusive, estimular o cicloturismo na região.

“Este acordo demonstra que o Estado de Mato Grosso do Sul está preocupado em tornar a implantação desta rodovia sustentável, sendo certo que estas medidas além de auxiliar a evitar danos ambientais, também fomentará o turismo no Parque da Bodoquena”, afirmou o promotor de justiça Luciano Furtado Loubet.

Recomendações do Comdema (Conselho Municipal de Meio Ambiente) resultaram na inclusão de questões técnicas no acordo. Um grupo, especialmente criado para avaliar as medidas cabíveis neste caso, foi formado pelo conselho.

Participaram da assinatura do acordo, como anuentes, representantes do ICMbio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), além da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e do Município de Bonito.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions