A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

23/06/2015 08:25

Para ajudar cooperados da UTR, coleta seletiva vai chegar a 100 mil domicílios

Flávia Lima
Trabalhadores da UTR terão mais material com a ampliação da coleta seletiva. (Foto:Divulgação)Trabalhadores da UTR terão mais material com a ampliação da coleta seletiva. (Foto:Divulgação)

A Prefeitura vai ampliar para 100 mil casas a coleta seletiva de lixo em domicílio para garantir material reciclável suficiente aos trabalhadores cooperados da UTR (Usina de Triagem de Recicláveis), quando ela for ativada, já no próximo semestre.

Veja Mais
Em 7 dias, choveu 56% do esperado para o mês em município do interior
Quinta-feira de tempo instável, com chuvas durante todo o dia e máxima de 37ºC

Criada em julho de 2011, a coleta seletiva porta a porta foi lançada no Jardim São Lourenço. A primeira etapa atingiu 32 mil domicílios, percorrendo 120 bairros nas regiões do Carandá Bosque, Autonomista, Chácara Cachoeira, Vilas Boas, TV Morena, Santa Fé, São Lourenço, Vila Carlota e Bela vista.

Com a ampliação da coleta serão beneficiadas 182.677 pessoas. A decisão de ampliar o serviço foi discutido em reunião do Grupo de Trabalho Permanente para a Implantação da Política Municipal de Resíduos Sólidos.

O grupo, que engloba diversas pastas da administração municipal, foi criado para garantir que todas as questões relativas à gestão de resíduos no município atue em acordo com a Política Municipal de Resíduos Sólidos e .

Participam do grupo diversas pastas da administração municipal, além do Fórum Municipal do Lixo e Cidadania e representantes dos catadores de materiais recicláveis e de cooperativas. Na primeira reunião foi debatida a inauguração da Usina de Triagem de Recicláveis em paralelo ao fechamento do lixão e a ampliação da coleta seletiva prevista para os próximos meses.

Usina - Hoje o lixão opera em uma área de transição provisória, onde os resíduos são depositados e ocorre o processo de separação dos recicláveis pelos catadores. Após a separação o que resta é destinado ao aterro sanitário.

No novo modelo de gestão, o material reciclável recolhido pelo município através da coleta seletiva será destinado à UTR e todo resíduo da coleta domiciliar comum levado diretamente ao aterro sanitário.

“O modelo implantado em Campo Grande é um modelo único e a usina foi pensada e criada baseada na demanda dos próprios catadores”, explicou o diretor-presidente do Planurb (Instituto Municipal de Planejamento Urbano), Marcos Cristaldo. A UTR terá capacidade para atender em média 400 trabalhadores em três turnos. É requisito para os profissionais que atuarão no local terem participado da capacitação de cooperativismo oferecida pela Funsat.

A prefeitura auxiliará os catadores em todo trâmite para composição de cooperativas, custeando as taxas burocráticas necessárias para criação e disponibilizando assessoria, consultoria e apoio para que as novas cooperativas se consolidem.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions