A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

19/08/2011 11:55

Prisão foi equívoco, diz dono do único criadouro oficial de jacarés em MS

Marta Ferreira
 
Criatório foi interditado e rebanho ficará sob responsabilidade do proprietário, que diz estar tudo correto. (Foto: Divulgação PF)Criatório foi interditado e rebanho ficará sob responsabilidade do proprietário, que diz estar tudo correto. (Foto: Divulgação PF)

“Estou envergonhado, deprimido”, definiu hoje o proprietário de um criatório de jacarés do Pantanal, Gerson Bueno Zahdi, 64 anos, ao falar de sua prisão, na quarta-feira, pela Polícia Federal, sob acusação de crime ambiental. Também foram presas a mulher dele, Rosaura Dittmar Duarte, e a filha, A.K.B.Z. Os três pagaram fiança de R$ 27 mil e vão aguardar em liberdade a condução do inquérito aberto pela Polícia Federal.

Zahdi é funcionário do Ibama e está prestes a se aposentar. Ele foi preso, segundo a PF, por manter o criadouro sem autorização válida, além de abater e transportar animais sem ter licença para isso. “Foi um equívoco”, afirmou ao Campo Grande News o homem que já deu entrevistas a jornais do País todo e de fora após se tornar referência quando o assunto é o manejo sustentável de jacarés.

A criação mantida por ele nas fazendas Cacimba de Pedra e Reino Selvagem, em Miranda, é a única que sobreviveu com autorização oficial em meio a mais de uma dezena surgidas nos últimos anos.

O Ibama informou que a licença de operação do criadouro foi renovada em 2008 e é permanente. O órgão confirmou que Zahdi não tinha autorização para transportar os animais.

Zahdi admitiu que uma das autorizações, que exige renovação trimestral, estava vencida, mas assegura cumprir todo o processo burocrático para manter o rebanho de jacarés. “Estou neste negócio há 15 anos com tudo correto. Foi um lapso", afirmou.

Gerson Zahdi é considerado referência na criação de jacarés. (Foto: blog Bonito Pantanal)Gerson Zahdi é considerado referência na criação de jacarés. (Foto: blog Bonito Pantanal)

 

 

Contraponto- Chamados por muitos de “Rei do jacaré”, Zahdi afirma que seu negócio segue todas as regras ambientais e, ao contrário da acusação de crime ambiental, tem cunho preservacionista. “É um negócio idealista, para mostrar às pessoas que é possível criar os animais e não precisa retirar da natureza”, afirma.

Ele afirma que o criatório se sustenta comercialmente, por meio da venda das peles dos jacarés para um curtume do Rio de Janeiro. A carne, diz, é consumida na própria fazenda.

A PF informou que vai ser aberto inquérito e que o andamento das apurações vai indicar se ele vai ou não ser indiciado por crime ambiental. Por enquanto, o criatório está interditado. O próprio criador ficou como depositário fiel dos 3,4 mil jacarés encontrados no local.

A prisão dele, da mulher e da filha aconteceu após policiais federais abordarem o veículo Fiat Strada dirigido por A.K., por volta das 13h30 de quarta.

Dentro do carro foram encontrados dois isopores. Em um deles havia 43 cabeças de jacarés com idade aproximada de 1 ano e 96 jacarés inteiros de diversos tamanhos. No outro recipiente, estavam 11 pacotes plásticos, com aproximadamente um quilo de filé de jacaré cada um. Todo o material não tinha autorização ambiental ou documentação fiscal, conforme a PF.

Na sequência, os policia foram à fazenda Cacimba de Pedra e lá foram apreendidos 3.460 jacarés vivos de diferentes estágios de vida, além de 84 peles congeladas e salgadas de jacaré, 50 cabeças de jacaré congeladas e 110 jacarés inteiros congelados, além de carne de jacaré e produtos industrializados feitos com o couro do animal.

Foram apreendidos, ainda, 420 kg de peles de jacarés, separadas em lotes, que, conforme a Polícia Federal, não tinham autorização para o depósito e comercialização nem nota fiscal.




O IBAMA não deu direito de defesa, processa eles Gerson. São bons na fiscalização e punição, mas não orientam e nem fomentam as atividades,e o Gerson sempre esteve na lei, na primeira oportunidade o prenderam. Podia notificar, dar um prazo, sabem que são gente do bem. O IBAMA não tem interesse que hajam criatorios funcionando, isto dará trabalho pra eles , e isto eles não querem, melhor fechar né?
 
Fábio Hosken em 03/11/2011 10:31:11
Mais um motivo pra sentir vergonha de ser brasileira!
A policia devia buscar os bandidos de verdade q matam os jacares na clandestinidade. Mas a policia é tao incompetente que nao consegue. E pra nao assumir q sao incompetentes prendem pessoas inocentes, trazendo consequencias inimaginaveis pra vidas delas.

Que Deus de força pra essa familia continuar esse trabalho lindo com os jacares.
 
stephanie almeida em 29/10/2011 01:05:43
Lamentável fato aconteceu com gente inocente. Nas nossas fronteiras, ladrões e traficantes passam com drogas... ninguém vai preso... Ladrões assassinos entram em hotel, invadem apartamento e matam mãe de família na frente dos filhos e marido... e estão soltos... E PRENDEM UM PRODUTOR... TRABALHADOR... DE FAMÍLIA!! MEU DEUS!! ... BRASIL... PÁRA COM ISSO...! GERSON, AMIGO... VOCÊ É INOCENTE...!!
 
Álvaro Bueno Filho em 18/10/2011 06:40:49
As autoridades deveriam se preocupar com os abates clandestinos. E não em submeter toda uma familia a uma humilhaçao desnecessaria e traumatica.
 
Naurio Jorge em 07/09/2011 11:26:21
Conheci o trabalho dessa familia e achei um exemplo de dedicação e preservação ao nosso Patanal. É preciso analisar com cautela para não haver um julgamento precipitado.
Sabemos que por decadas o Sr. Gerson, com sua esposa Rozaura lutam para divulgar a nossa cultura e nunca fizeam nada as escondidas.. Quero deixar registrado a nossa solidariedade ao Sr. Gerson e familia...
 
Mário Ney Corrêa Anastácio em 22/08/2011 02:43:20
Tivea grata oportunidade de conhecer e conviver c/ o casal, Gerso e Rpsaura, são pessoas de ilibada conduta, em um pais que a maioria não respeita a natureza, o Gerson é um exemplo de preservação ambiental..
 
Edilson G. Silva em 21/08/2011 09:54:33
Aparentemente para prisão foi equívoco. Se havia as licenças!!!
 
Ednilson Paulino Queiroz em 19/08/2011 07:08:47
CONHEÇO O GERSON DESDE DA CIDADE DE LOANDA NO PARANA, E ISTO JA SE FAS 35 LONGOS ANOS, TENHO VERTEZA QUE ESTE SENHOR NUNCA ANDARIA NA CONTRAMÃO DA LEI, O FATO QUE ESTA ACONTECENDO E UM GRANDE EQUIVOCO, E NO DESENRROLAR DAS INVESTIGAÇÃO ELE COM CERTEZA SERA INOCENTADO DESTE CRIME, (ISTO SE OUVE REALMENTE UM CRIME AMBIENTAL).?
 
jaime smith em 19/08/2011 06:44:46
não seria mais interessante passarmos a combater os clandestinos e ilegais
 
marcos araujo em 19/08/2011 03:46:49
conheço o trabalho do seu Gerson e de sua familia a mais de 10 dez anos, seu carinho,
zelo e preservaçao pelo meio ambiente. Se existir um ato falho em sua atividade tem que ser analizada, e nao tornala como clandestina e criminosa. como um modelo de preservaçao para o mundo pode estar na contravençao aos olhos de todos? No final das contas quem vai ficar no prejuiso?

 
sandro cesar fantini em 19/08/2011 02:17:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions