A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

10/02/2015 16:14

Sinalização não impede mortes de animais na BR de acesso ao Pantanal

Priscilla Peres e Marcos Ermínio
Animais mortos próximo a rodovia são facilmente vistos. (Foto: Marcos Ermínio)Animais mortos próximo a rodovia são facilmente vistos. (Foto: Marcos Ermínio)
Durante  a rodovia, diversas placas alertam para a presença de animais. (Foto: Marcos Ermínio)Durante a rodovia, diversas placas alertam para a presença de animais. (Foto: Marcos Ermínio)

Na BR-262 a caminho de Corumbá, a sinalização não é o bastante para evitar o atropelamento de animais. Mesmo com placas em toda a extensão da rodovia, alertando para o perigo de animais invadirem a pista, 15 espécies foram encontradas mortas nesta manhã.

Veja Mais
No ano passado, 190 animais foram atropelados em rodovias de MS
Temporal com chuva de 30 milímetros e vento forte alaga ruas de Dourados

equipe do Campo Grande News percorreu 410 quilômetros entre Campo Grande e Corumbá hoje e durante todo o trajeto encontrou diversos animais atropelados na pista. Foram duas capivaras, dois tamanduás bandeiras, um veado catingueiro, uma anta, duas seriemas, um gavião, quatro tatus, uma cobra e um lobo guará.

De acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), a rodovia para Corumbá é onde mais acontece acidentes envolvendo animais, principalmente por ser Pantanal. No ano passado, foram 190 casos na BR-262, entre os quilômetros 365 e 779.

Para o major da PMA (Polícia Militar Ambiental), Edmilson Queiroz, o respeito ao limite de velocidade pode reduzir significativamente o número de acidentes. "Se o condutor viajar no limite da via, com certeza há tempo de ver o animal, reduzir e evitar o acidente", destaca.

E deixar o bicho atropelado na pista, pode provocar um segundo acidente. “Existe até casos de capotamento por causa do animal que ficou morto na pista, em especial quando se trata de bichos maiores, como a anta”, alerta.

A PRF faz a remoção dos animais que são deixados nas rodovias ou encaminha para a PMA, quando o bicho sobrevive a pancada. “Quando ocorre um acidente, o código de trânsito prescreve que o condutor deve liberar a via e se for possível também o animal, mas não há prescrição em relação ao animal especificamente. Socorrer ou removê-lo é um ato de cidadania”, comenta o inspetor da PRF, Tércio Baggio, ao lembrar que o condutor deve chamar a polícia rodoviária pelo número 191, em caso de acidente.

No caso de animais mortos em vias urbanas, a empresa que realiza serviço de limpeza na Capital, a Solurb deve ser chamada para fazer a remoção. A PMA também pode ser acionada pelo telefone 3357-1500.

(Foto: Marcos Ermínio)(Foto: Marcos Ermínio)
(Foto: Marcos Ermínio)(Foto: Marcos Ermínio)



Nossas estradas são um filme de terror onde as vitimas mais constante sempre são os animais, é uma vergonha para um estado que enche o peito pra falar que é o estado do Pantanal
 
Max em 10/02/2015 17:00:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions