A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

29/08/2014 18:07

Trecho da BR-262 tem, em média, 3 atropelamentos de animais por dia

Marta Ferreira
Equipe percorre rodovia uma vez por semana para catalogar registros de atropelamento e recolher animais mortos. (Foto: Divulgação/ITTI)Equipe percorre rodovia uma vez por semana para catalogar registros de atropelamento e recolher animais mortos. (Foto: Divulgação/ITTI)

Em duas semanas, 46 animais silvestres atropelados, o que significa três casos por dia. O dado é da BR-262, em Mato Grosso do Sul, entre os municípios de Anastácio e Corumbá, em um trecho de pouco mais de 280 km, em pleno Pantanal, e foram levantados pelo Programa de Monitoramento de Atropelamento de Fauna realizado pelo ITTI (Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura), ligado à UFPR (Universidade Federal do Paraná), que faz parte da Gestão Ambiental da rodovia.

Veja Mais
No primeiro mês de piracema, PMA registra aumento de 100% nas apreensões
Segunda-feira de tempo claro e com possibilidades de chuvas à tarde, em MS

Um dos trabalhos da equipe é percorrer o trecho e catalogar dados, além de recolher animais animais da pista. Isso é feito uma vez por semana com o objetivo de mapear as áreas com maior incidência de acidentes e propor soluções para o problema.

A equipe encontra tamanduás-bandeira, tamanduás-mirim, tatus e capivaras.Entre os dias 13 e 19 de agosto foram registrados 22 animais mortos na BR-262 e na semana seguinte foram 24 atropelamentos, totalizando 46 em duas semanas.

Um dos objetivos do monitoramento é avaliar se os controladores eletrônicos de velocidade instalados ao longo da rodovia, em pontos críticos de atropelamentos, têm reduzido o número de colisões com animais silvestres.

Desde 2011 - No primeiro ano do programa, há 3 anos, foram catalogados 610 animais atropelados entre os dois municípios. Cerca de 70% deles eram mamíferos, 23% répteis e 7% aves.

O Instituto fez uma pesquisa pesquisa de opinião com 101 motoristas na BR-262/MS, no Km 659, localidade conhecida como Buraco das Piranhas. A grande maioria dos motoristas (98,01%) reconheceu que o atropelamento de fauna é um dos principais problemas da rodovia.

Baseada nesses dados, a UFPR/ITTI fez a Proposta de Dispositivos de Proteção à Fauna, que inclui a implantação de radares nos trechos onde ocorrem mais atropelamentos, além da colocação de telas e do corte da vegetação mais densa que prejudica a visibilidade do motorista. Até o momento 20 radares já foram instalados.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions