A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

26/10/2016 20:08

Vereadores eleitos acusam Marquinhos de omitir terrenos ao TRE-MS

Nyelder Rodrigues e Ricardo Campos Jr.
Vereadores eleitos Dr. Lívio e João Matogrosso comentam denúncia feita hoje (Foto: Alcides Neto)Vereadores eleitos Dr. Lívio e João Matogrosso comentam denúncia feita hoje (Foto: Alcides Neto)

Eleitos vereadores em Campo Grande nesta eleição, André Salineiro, Lívio Viana e João Cesar Matogrosso (os três do PSDB) protocolaram nesta tarde de quarta-feira (26) uma denúncia contra o candidato a prefeito Marquinhos Trad (PSD). Eles afirmam que o Marquinhos omitiu terrenos na declaração de bens à Justiça Eleitoral.

Veja Mais
Deputada repudia 'propaganda negativa' feita a europeus sobre produtos do MS
Para enfrentar dívida, Trad promete cortar comissionados e fim de regalias

O trio conta que recebeu informações sobre essa omissão há cerca de uma semana, e logo depois procuraram nos cartórios de registro de imóveis da cidade documentos sobre tal situação, localizando-os e tirando cópias das escrituras de cinco terrenos que não constam na declaração.

A denúncia foi feita na sede do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul). Os vereadores eleitos não comentaram quem fez as denúncias, nem falaram sobre o valor dos imóveis, mas revelaram que são cinco terrenos, localizados nos bairros Nova Campo Grande, Futurista e Jardim Noroeste - no último são três.

Todos terrenos constam o nome dele, mas pertencem também a outras pessoas. Por exemplo, um dos terrenos no Noroeste está em nome de Marquinhos, William Maksoud e Nelson Trad Filho. Já o imóvel do Futurista pertence também ao candidato e também a ex-mulher dele. Os denunciantes frisam que nenhum desses consta na declaração.

Publicada pelo DivulgaCand do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a declaração de bens de Marquinhos chega a soma de R$1.400.126,51. Lá, constam apenas dois terrenos, um no condomínio Villas Damhas, no valor de R$ 324.900,24, adquirido em 2012, e outro no Portal Itayara, no valor de R$ 440 mil. Ambos ficam em Campo Grande.

Por lei, a entrega de tal declaração à Justiça Eleitoral é obrigatória, que deve dar publicidade aos dados. Entretanto, não há especificado punições para omissões de bens na lista - seja por erro ou comprovada má fé.

A reportagem entrou em contato por telefone com Marquinhos, mas as ligações caíram na caixa de mensagens. Até o fechamento do texto, não houve retorno do candidato.




A 3 dias da eleição é que esses santos encontraram problema do candidato, qual foi o motivo que não apresentaram antes? falta de tempo? ou é desespero? pelo visto se o candidato Marquinho ganhar vai acontecer o que fizeram com o Bernal, pode uma cosa dessa..
 
José Fagundes da Silva em 26/10/2016 22:35:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions