A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

26/06/2015 11:41

Empresa é condenada a pagar R$ 15 mil a mulher humilhada em aplicativo

Filipe Prado

Uma vendedora vai receber uma indenização por danos morais de R$ 15 mil de uma empresa, depois de comprovar que o gerente do estabelecimento, onde ela trabalhava, uma administradora de créditos, a filmava em situações constrangedoras e compartilhava o arquivo via Whatsapp. A decisão foi expedida na 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região que reformaram a sentença da 7ª Vara do Trabalho de Campo Grande.

Veja Mais
Atualização permite curtir e até desativar comentários no Instagram
Após 36 horas, maratona tecnológica escolhe os projetos vencedores

A mulher alegou, conforme assessoria de imprensa, que era obrigada a passar por reuniões chamadas “Treinamento dos piores”, onde tinha que pular e cantar músicas inventadas na hora. O gerente filmava e depois encaminhava para supervisores e gerentes da empresa. O chefe ainda xingava e realizava advertências “agressivas e humilhantes” por meio do sistema de viva-voz da estabelecimento.

O relator do processo, desembargador Francisco das Chagas Lima Filho, apontou que o ato de filmar a vendedora e compartilhar com outras pessoas causou constrangimento e vexame a funcionária, caracterizando como assédio moral.

“A filmagem diária do empregado em ‘dinâmicas’ coletivas compulsórias para ‘estímulo às vendas’, sistematicamente compartilhadas pela empresa com outras filiais por meio do aplicativo de telefonia WhatsApp, sem autorização do trabalhador, além de potencializar a perpetuação no mundo virtual com exposição da pessoa a situações ridículas e vexatórias, fere o direito fundamental à autodeterminação informativa, afetando a intimidade e a imagem pessoal e profissional do filmado”, declarou o desembargador.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions