A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

30/01/2013 10:22

Agora a tolerância é zero para quem bebe e dirige, alerta Ciptran

Paula Maciulevicius
“A lei começou em 1997, se tornou mais branda em 2008. Uma hora acaba a necessidade do bafômetro.  A tendência é do endurecimento gradativo”, avalia o tenente da Ciptran, Felipe Joseph. (Foto: Rodrigo Pazinato)“A lei começou em 1997, se tornou mais branda em 2008. Uma hora acaba a necessidade do bafômetro. A tendência é do endurecimento gradativo”, avalia o tenente da Ciptran, Felipe Joseph. (Foto: Rodrigo Pazinato)

A margem de tolerância agora passa a ser zero. Com a nova portaria do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) que entrou em vigor nesta terça-feira, o motorista que for pego dirigindo depois de ingerir qualquer gota de álcool vai sofrer as consequências que chegam a quase R$ 2 mil de multa e suspensão do direito de dirigir por um ano.

Veja Mais
Contran reduz tolerância de álcool no teste do bafômetro
Resolução com procedimentos de fiscalização da Lei Seca

“A lei começou em 1997, se tornou mais branda em 2008. Uma hora acaba a necessidade do bafômetro para caracterização. A tendência é do endurecimento gradativo”, classifica o chefe de Operações da Ciptran (Companhia Independente de Policiamento de Trânsito), tenente Felipe dos Santos Joseph.

O tenente explica que antes da portaria o condutor tinha duas margens, a de erro do equipamento e a de tolerância, revogada ontem pelo Contran. “O que ele fez foi retirar a margem de 0,1 mg. A partir desta terça-feira qualquer concentração de álcool sujeita o condutor às penalidades do Código de Trânsito sobre embriaguez”.

Agora o limite no bafômetro não pode ser igual ou maior que 0,05 miligramas de álcool por litro de ar. Antes, era maior: 0,1 mg/l. Se no teste, o bafômetro marcar 0,05 ou mais é infração gravíssima, multa de quase R$ 1.915,40 e o motorista tem a habilitação suspensa por um ano. Pelas novas regras, até quem comer um bombom que contenha álcool poderá ser punido.

“A caracterização da infração administrativa é que foi totalmente alterada. O crime não mudou”, enfatiza o tenente. Se o teste do bafômetro for igual ou superior a 0,34 miligrama de álcool por litro de ar, dirigir embriagado passa a ser crime. Além da multa, o motorista pode pegar de seis meses a três anos de prisão.

Agora o limite no bafômetro não pode ser igual ou maior que 0,05 miligramas de álcool por litro de ar. Antes, era maior: 0,1 mg/l. (Foto: Arquivo/Minamar Júnior)Agora o limite no bafômetro não pode ser igual ou maior que 0,05 miligramas de álcool por litro de ar. Antes, era maior: 0,1 mg/l. (Foto: Arquivo/Minamar Júnior)

Para o chefe de operações, o fato de a nova regra entrar em vigor a poucos dias do Carnaval não é mera coincidência. “Realmente existe uma tendência e esforço dos governos federal e estadual na redução do número de acidentes. Essa portaria vai ter uma repercussão muito grande no Carnaval, onde existe um aspecto cultural muito grande entre o consumo de bebida alcoólica e a direção”, ressalta.

A embriaguez pode ser comprovada pelo teste do bafômetro e de acordo com a nova resolução editada em dezembro do ano passado, exames laboratoriais, vídeos ou testemunhos, também podem comprovar que o motorista dirigiu sob efeito de álcool. No entanto para a infração ser considerada crime, é preciso a comprovação por meio de exames.

Contran reduz tolerância de álcool no teste do bafômetro
A partir de hoje (29), quem for pego dirigindo sob efeito de álcool sofrerá penalidades e pode ser preso. O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) p...
Resolução com procedimentos de fiscalização da Lei Seca
Em resolução publicada hoje (29) no Diário Oficial da União, o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) estabelece que a fiscalização do uso de álcool...
Para leitores, mudanças na Lei Seca vão diminuir de mortes no trânsito
As mudanças na Lei Seca, sancionada pela Presidência da República em dezembro, vai contribuir para baixar o número de acidentes com morte no trânsito...
Polícia realiza ação preventiva e orienta sobre novas regras da Lei Seca
A Polícia Militar realiza por intermédio do 14º Batalhão de Polícia Militar Rodoviário com apoio do 1º BPM e da Ciptran (Companhia Independente de Po...



As pessoas teram que reserva um dia pra beber em casa ou no bazinho mais proximo...
 
Rodrigo Alves em 31/01/2013 11:12:16
Tem gente que viaja na maionese! A maioria dos acidentes provocados por embreagez, são causado por "motoristas" que por sua vez, ainda vitíma outras pessoas. Alguns Motociclista podem até beber, mas não se compara ao estrago de veículo média/grande porte.
 
Rodrigo Alves em 31/01/2013 10:43:04
Na minha opinião esta lei deveria vigorar apenas nas rodovias, é uma piada aplicá-la na cidade, a cada esquina neste país tem um barzinho... Bafômetro com tolerância sim! Tem muita gente boa que é trabalhadora e pai de família que possui consciência de beber com responsabilidade e dirigir de volta pra casa. Não é justo que por causa de jovens inconsequentes e outros irresponsáveis todos tenham que pagar. Campo Grande não possui metrô, muito menos ônibus que preste. Todo mundo vai ter que andar de taxi?? Imaginem cidades do porte de Belo Horizonte com seus mais de 13.000 bares? Se é pra erradicar o álcool e seus males, proíbam também a venda de bebidas alcoólicas então. Afinal, o governo não adora arrecadar impostos das gigantes como AMBEV & cia?
 
Aldo Jr. em 30/01/2013 18:10:22
A Lei está perfeita, pena que não tem efetivo suficiente para fiscalizar. Se tivesse hein, coitados dos bares e casas noturnas iriam a falência.
 
Hilda Santos em 30/01/2013 16:56:53
Ao invés do Poder Público se preocupar com isso, deviam fiscalizar melhor o tráfego no trânsito, ou seja, deveriam ser mais rígidos quanto as motocicletas que não respeitam a faixa de pedestre, que vivem "costurando" os carros no sinal, etc. Isso sim é muito mais fácil de provar, do que o nível de alcool no sangue do camarada. Afinal, uma cervejinha não causa impacto nenhum a ninguem.
 
Leonardo Santos em 30/01/2013 16:38:03
Essa nova lei, assim como a antiga, visa enrijecer mais ainda os motoristas que bebem e dirigem. Porém, para que a referida lei dê certo, precisamos ter estrutura para tanto. Uma maior quantidade de bafômetros (que atualmente são de 3), mais preparo dos Agentes de Transito ao abordar o motorista, mais delegacias à disposição, entre outros. Do que adianta os agentes verem que o motorista está alcoolizado, se não possuem bafômetro para comprovar a materialidade? Para que seja considerado crime e o motorista sofra penalização, é necessário se provar que ele estava acima do nivel permitido.
Na minha opinião, eu nunca fui a favor dessa lei, vez que, além de ser rígida ao extremo, não temos estrutura para penalizar os motoristas. Ao invés do Poder Público se preocupar com isso, deviam fiscalizar
 
Leonardo Santos em 30/01/2013 16:35:11
que beleza...agora só terere,coca-cola, suco ................................
 
EVALDO CARVALHO em 30/01/2013 15:10:57
Parabens, mas é preciso endurecer com a bandidagem tbm, não só com quem paga imposto e realmente recolhe qdo é autuado. OBS: EU NÃO BEBO. Quando se trata de arrecadar o governo é rigoroso.
 
Oswaldo Brandao em 30/01/2013 14:37:14
isso nao ira funcionar sem os bafometros.... e nossa capital esta carente de bafometro e no interior a situação é pior... mas enfim, essa lei ja foi aprovada a muito tempo, nosso estado de tem dificuldade de fazer a cobrança.. caso nossas autoridades consigam cumprir com as sua obrigações!!! parabens....
 
edemilson montiel de matos em 30/01/2013 14:18:26
Pra mim ainda é muito branda a lei .....devia ir pra cadeia direto sem fiança....
 
ROGERIO CARVALHO em 30/01/2013 14:10:35
É agora é só fiscalizar, a lei esta querendo ajudar, mas para essa lei ter sucesso tem que ter o máximo de fiscalização. Pensa em uma blits na saida de uma boate, show, festa popular, quantos condutores não serão punido, vamos agora é fiscalizar.
 
Pierryson Issler em 30/01/2013 12:58:46
Eu concordo com a lei, mas acho que é muito rigida eu não posso ir na casa de um amigo e ir embora para a minha casa dirigindo???? caraca haja taxi...
 
Rodrigo Cabral em 30/01/2013 12:49:17
tem que ter tolerância zero com os titanzeiros e taxistas também, correndo que nem loucos pelas vias da cidade...
 
andre santos em 30/01/2013 12:05:56
Tolerancia de 0,05 miligarmas??? a tolerancia tinha que ser zero, porem temos que parabenizar a nova ação!!!!!
 
Leandro Garai em 30/01/2013 12:01:42
PARABÉNS A POLICIA DE TRANSITO, AGORA SIM VAMOS VER MENOS ACIDENTES, ISTO FOI MUITO BOM MESMO PARABÉNS!!!
 
ely monteiro em 30/01/2013 11:41:07
Até que enfim uma noticia boa, esperamos que as novas leis não caiam no esquecimento e no "jeitinho" brasileiro, afinal trata-se da preservação de vidas humanas, aguardemos....
 
claiton barcelos em 30/01/2013 11:17:30
Acidentes na sua grande maioria ainda que o motorista esteja consumido álcool são causados pela educação equivocada provocado pelo abandono do lar promovido pelas mulheres a partir dos anos 60.
 
Carlos Roberto em 30/01/2013 11:14:23
Muito bom saber que finalmente o governo está adotando medidas mais severas quanto aos motoristas que bebem e depois dirigem. Mas, se a tolerância é de "zero", após quanto tempo o motorista pode voltar a dirigir depois de ter ingerido qualquer quantidade que seja de alcool e não acusar no "bafômetro"? Acho importante este esclarecimento já que segundo alguns especialistas no assunto, em até 24h após ter bebido, ainda pode ser encontrado resíduos no sangue que revelam que a pessoa fez uso de bebida alcoólica.
 
marcio d. oliveira em 30/01/2013 11:07:49
Parabéns ao brilhante trabalho que a PM está fazendo!
 
Mychelle Sobral em 30/01/2013 11:00:51
será que em Ribas do Rio Pardo-Ms, essa lei vai funcionar, pois aqui a baderna é geral em plena avenida central ou seja no centro da cidade, aqui é som para todo lado, dia e noite, os cara em a cara e sai fazendo baderna, cade aas autoridades????
 
joão da silva em 30/01/2013 11:00:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions