A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

01/07/2014 15:44

Capital não tem vias rápidas e motoristas viram vilões da velocidade

Filipe Prado
Sem vias rápidas, motoristas devem trafegar na Afonso Pena a 60 km/h (Foto: Cleber Gellio)Sem vias rápidas, motoristas devem trafegar na Afonso Pena a 60 km/h (Foto: Cleber Gellio)

Apesar de contar com 800 mil habitantes, a Capital de Mato Grosso do Sul não conta com vias de trânsito rápido. Sem ruas com velocidade de até 80 km/h, os motoristas viram vilões. A Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) avalia que os condutores abusam da velocidade em locais onde a máxima permitida é de 60 km/h.

Veja Mais
Motorista não respeita velocidade e Afonso Pena vira cenário de mortes
Mototaxistas e taxistas se juntam e percorrem Afonso Pena contra Uber

Em alguns locais, o condutor chega a 90 km/h, quase o dobro da máxima permitida para a via. Na maioria das ruas e avenidas de Campo Grande, os veículos só devem trafegar em, no máximo, 40, 50 ou 60 km/h.

O chefe da divisão de operações de trânsito da Agetran, José Arruda, esclarece que na Capital sul-mato-grossense não comporta as vias de trânsito rápido. Durante as fiscalizações, ele constatou que os motoristas desrespeitam o CTB (Código de Trânsito Brasileiro).

A Avenida Vereador Thyrson de Almeida é um dos exemplos de desrespeito dos motoristas. Em menos de 10 minutos de fiscalização, a Agetran indicou que a maioria dos veículos trafegava a mais de 50 km/h, velocidade regulamentada na via, chegando até 93 km/h.

Mas muitos motoristas admitiram que sabem da regra, porém muitas vezes não a respeita. “Eu acho que deveria ter vias rápidas na cidade, principalmente nas avenidas com mais fluxos, pois as vezes a gente acaba vacilando e andando mais rápido do que o permitido”, confessou o maquinista Fagner Leite, 30 anos.

Ele afirmou que muitas vias por serem “correntes sanguíneas” da cidade precisam aumentar a velocidade máxima, mas outras possuem rotas alternativas, que desobstruem o local, assim podendo continuar com a velocidade baixa.

O comerciante Adelino Gonçalves, 64, também foi a favor da ideia de criarem vias rápidas na cidade. “Tem que ter. A cidade está desenvolvendo, além de facilitar o socorro do Corpo de Bombeiros e policiais”, sugeriu.

Já a autônoma Suzana de Almeida Ajala, 29, aconselhou que na região do Shopping Campo Grande a velocidade máxima seja alterada, mudando a Avenida Afonso Pena para uma via rápida. “Em horários de pico nós chegamos a perder 15 minutos no trânsito”, relatou.

Segundo Arruda, todas as vias que não estiverem com sinalização vertical indicando qual a velocidade máxima, o motorista deve respeitar o CTB e percorrer de acordo com a regulamentação do código.

A técnica de enfermagem Josiane Duim, 35, foi a única motorista a ser contra a mudança de velocidade em Campo Grande. “Eu não acho que deve ser mudado, já acontece muito acidente na avenida”, contou. Ela trabalha no Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e relatou que os motoristas não respeitam a quilometragem indicada na placa, causando os acidentes.

Na Avenida Vereador Thyrson de Almeida os motoristas abusam e correm a mais de 90 km/h (Foto: Cleber Gellio)Na Avenida Vereador Thyrson de Almeida os motoristas abusam e correm a mais de 90 km/h (Foto: Cleber Gellio)
Suzana sugeriu que a região do shopping seja mudado e se torne via rápida (Foto: Cleber Gellio)Suzana sugeriu que a região do shopping seja mudado e se torne via rápida (Foto: Cleber Gellio)



Não há, nenhuma placa de 80Km/h no perímetro urbano das cidades de Mato Grosso do Sul.
 
Luciano Silgueiro em 01/07/2014 21:46:21
É UMA VERGONHA!!...Cidades menores e com menos tráfego que nossa capital já tem melhores infraestruturas de trânsito. Campo Grande "não comporta vias rápidas", porque ninguém faz nada para adequá-la para isso. Soluções paliativas como no cruzamento da Via Parque com Mato Grosso são absurdas, imaginem se até hoje não houvessem os viadutos da Afonso Pena com a Ceará?...Ninguém do governo teve "peito" para agraciar a nossa cidade com reformulações viárias de "grande porte" e necessárias.
Vias de acesso rápido, viadutos, BRTs, mergulhões "já passaram da hora" de serem feitos.
Campo Grande precisa de "obras do tamanho de nossa capital"!!
 
Paulenir Nogueira de Barros em 01/07/2014 20:22:30
Não há necessidade de aumentar a velocidade, mas sim de aumentar os espaços que são cada vez mais escassos em função do grande número de veículos. Para começar, poderiam acabar com aquela faixa exclusiva para taxistas, ônibus e outros na Av. Duque de Caxias. Há uma carência de táxis no aeroporto e os que tem por lá, abusam demais da velocidade naquela via.
 
Hugo Alves em 01/07/2014 16:33:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions