A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

18/09/2012 10:26

Velocidade é o que mais preocupa na abertura da Semana de Trânsito

Mariana Lopes
O governador André Puccinelli alertou para o alto índice de acidentes e disse que é preciso previnir (Foto: Minamar Júnior)O governador André Puccinelli alertou para o alto índice de acidentes e disse que é preciso previnir (Foto: Minamar Júnior)

Em coro junto com todo o Brasil, Mato Grosso do Sul lançou a Semana Nacional do Trânsito, com o tema “Não exceda a Velocidade, Preserve a Vida”, que busca conscientizar jovens de 18 a 25 anos a terem atitudes mais cautelosas enquanto estiverem na condição de motoristas.

Veja Mais
Motociclista sofre várias fraturas após colidir moto em poste
Carro capota após colisão no cruzamento da Bahia com a Barão do Rio Branco

A solenidade de abertura foi realizada na manhã de hoje, no plenário da Assembleia Legislativa de Campo Grande. Após os pronunciamentos das autoridades, foram iniciadas uma série de palestras sobre o tema.

De acordo com o diretor presidente do Detran/MS (Departamento Estadual de Trânsito), Carlos Henrique Santos Pereira, o tema da semana deste ano foi escolhido pelo Denatran (Departamento nacional de Trânsito) baseado no principal fator de risco que provoca os acidentes e mortes no trânsito do país.

“A alta velocidade é um problema que acontece no Brasil todo, mas veio a calhar com a situação local”, observa a chefe de educação de trânsito da Agetran (Agência Municipal de Trânsito), Ivanise Rotta.

O foco das ações durante a Semana Nacional do Trânsito é alertar os motoristas para o risco que a alta velocidade oferece, com palestras e blitz educativa em diversos pontos das 11 cidades do Estado que participam do movimento, sendo Três Lagoas, Mundo Novo, Eldorado, Naviraí, Dourados, Nova Andradina, Ivinhema, Bodoquena, Ponta Porã e Amambaí, além de Campo Grande.

Para o governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), a solução do problema não está na punição aos condutores, mas sim na conscientização dos motoristas. “Do que adianta penalizar depois do óbito? As pessoas precisam ter consciência para que não tenham acidentes”, pontua o governador, que durante seu discurso na solenidade de abertura pediu a colaboração da sociedade e da imprensa.

O comandante da Ciptran (Companhia Independente de Policiamento de Trânsito), tenente-coronel Alírio Vilassanti, garante que o efetivo da Polícia Militar de Trânsito estará durante toda a semana empenhado em ações de alerta para conscientizar a sociedade sobre os riscos da velocidade alta e enfatiza que a estratégia é educativa.

Programação - Na tarde de hoje, a partir das 14h, será realizado o Encontro com Coordenadores pedagógicos e diretores das Escolas Públicas de Campo Grande, no Grand Park Hotel, para divulgação da coleção "Rumo à Cidadania: educação de trânsito", do Denatran.

E à noite, às 18h, acontece a Teleconferência "Década Mundial de Ações para a Segurança do Trânsito - 2011/2020: Não exceda a Velocidade, Preserve a Vida", realizada pelo Centro de Educação a Distância da Universidade Anhanguera Uniderp.

De 19 a 25 de setembro serão montados espaços informativos nos pontos mais movimentados da Capital, abordando o tema "Velocidade tem limite".

E no sábado (22) acontece no Camelódromo o Clube do Setinha, em parceria da Agetran e Sesau. No mesmo dia, os pedestres serão orientados sobre o uso correto das botoeiras nos semáforos.

Até o dia 30 de setembro acontece o ciclo de palestras online pelo site www.planetaead.com.br, com abordagem no tema “Violência no Trânsito: Causas e medidas de redução”, ministrada pelo comandante da Ciptran.

A Presidente do Conselho Estadual de Trânsito do Estado de Mato Grosso do Sul (Cetran-MS), professora Regina Maria Duarte, palestra sobre a “Municipalização do Trânsito: procedimentos e benefícios”. E para finalizr o ciclo de palestras online, a gestora de Educação e Segurança de Trânsito do Detran/MS, professora Glaucimara Lopes Hova, fala sobre o processo de formação do condutor e o papel do CFC.

No dia 25 de setembro será realizada uma blitz educativa noturna na Avenida Afonso Pena com a Rua Rio Grande do Sul.

Estatísticas - Até julho deste ano, de acordo com dados do Detran/MS, foram registrados 6854 acidentes no trânsito de Campo Grande. Deste número, foram 3511 vítimas com lesões leves e graves, e 28 óbitos em acidente.

Motociclista sofre várias fraturas após colidir moto em poste
O motociclista Rolson Ribeiro, 34 anos, sofreu várias fraturas após colidir a motocicleta que pilotava contra um poste, por volta das 4h deste doming...
Motorista escapa de capotamento com ferimentos leves
Acidente aconteceu na rua Fernão Dias. Motorista bateu em carro estacionado....



É Sr. Paulo Coutinho, fazer estágio em educação em Campo Grande???? Ninguém dá aquilo que não tem. A VERDADE DOI, heim!!!!
 
Sérgio Arruda em 21/09/2012 10:53:17
transito é questao de conciencia , em sao paulo o transito flui mais nao da pra comparar sr segio arruda la as vias sao largas e bem sinalizadas aki o que é sinalizado é o caminho das urnas, o povo nao é mal educado falta so descobrir quanto vale a vida de si proprio, entendeu, ainda tem alcolizados sem punição, play boy q nao é punido pq o pai é um grandão ou amigo de um, entao salve se quem pude
 
ivanilde silva lopes em 21/09/2012 08:42:00
Sr. Sérgio Arruda, vc foi infeliz em seu comentário, São Paulo não serve de exemplo no trânsito a ninguém, imagine só se seguirmos o exemplo de alguns condutores de são paulo, principalmente os motociclistas. Não somos subdesenvolvidos, muito pelo contrário.... e você deveria fazer um "estágio" de educação, pensar antes de escrever alguma coisa!
 
Paulo Coutinho em 21/09/2012 01:29:42
O problema do trânsito em Campo Grande está nos motoristas. O povo de CGde não sabe dirigir. Moro em S. Paulo e digo que é mais seguro dirigir em SP do que em CGde. Os candidatos a prefeito deveriam apresentar uma proposta de fazer um convênio com a Prefeitura de SP para os campograndenses fazerem um estágio em Sampa para aprender um pouco a dirigir. Ô povinho subdesenvolvido e barbeiro!!!!
 
Sérgio Arruda em 19/09/2012 10:56:49
CONCORDO PLENAMENTE - O PROBLEMA AQUI É DESRESPEITO AS LEIS DO TRÂNSITO E NÃO APENAS VELOCIDADE. É SÓ ANDAR NO TRÂNSITO E VER: MOTOQUEIRO ANDANDO DO LADO ESQUERDO, MOTORISTAS FURANDO SINAL, NÃO DANDO SETA, SAINDO DO MEIO FIO SEM SINALIZAR...ETC. E EM TODA CAMPANHA SÓ VEJO FALAR EM VELOCIDADE... SE FOSSE ASSIM COM RADARES O TRÂNSITO DE CAMPO GRANDE FICARIA EXCELENTE - SEM ACIDENTES.
 
Valter Jeronymo em 18/09/2012 12:44:31
Aqui para MS poderiam ter adaptado o programa. O que mais causa acidentes aqui não é velocidade alta, mas (1) dirigir embriagado e (2) ignorar totalmente sinal fechado. Num fim de semana vc vê mais gente furando sinal do que esperando. Porque? Só colocar camera em todos os cruzamentos resolve isso...
 
Marcos da Silva em 18/09/2012 11:48:59
As pessoas precisam se conscientizar que alta velocidade não é 100km/h, mas exceder a velocidade máxima permitida. Se todos respeitarem os 40 km/h ou 50km/h o tráfego flui tranquilo e dá tempo de evitar qualquer acidente. Sem falar na chateação que é uma batida.
 
Fabio Pellegrini em 18/09/2012 11:24:04
TRANSITO NO BRASIL, DUAS CONDIÇÕES, ELIMINAR TOTALMENTE BEBIDAS ALCOOLICAS, DO BRASIL, E SEGUNDO O DR QUEBRAS-MOLAS, E MAIS NADA, NÃO ADIANTA REUNIÃO NEM COM JESUS CRISTO, SE ISSO NÃO ACONTECER, DROGAS LÍCITAS, PORTAL ABERTO PARA O DIABO, E É ISSO QUE OS POLÍTICOS BRASILEIROS NÃO VÊEM, SEM SOLUÇÃO, SEM SOLUÇÃO, SOMENTE AS DUAS, TIAU, TIAU......, QUE DEUS ABENÇOEM E DE ENTEDIMENTO AOS DIRIGENTES.
 
pedro braga em 18/09/2012 10:52:58
Eu tenho que admitir que ando rápido, porem a sinalização em CG não ajuda. Se tivéssemos a "onda verde", ia resolver este problema de vez. Agora beber e dirigir é considerado "normal" em CG, seta serve só de decoração, sinal vermelho é sinal verde, fazer contorno na rotatória de duas pistas é mistério para maioria, a regra da mão direita nas vias não sinalizadas não existe, etc. etc.
 
Diego Silva em 18/09/2012 09:08:44
O que falta aqui é educação e fiscalização , a grande maioria passa em sinal vermelho, não da seta, fala-se demais em celular e principalmente não sabe o que é ficar em fila , pois o que se ve em ruas de mão dupla uma minhoca e a grande maioria em cima da faixa.. ou as autos escolas estão mau preparada, ou os condutores compraram a habilitação.
 
Luis Paulo Cordeiro em 18/09/2012 04:49:49
Eu "acho" uma boa iniciativa., No entanto, o que está sendo ensinado agora para as crianças,. somente daqui a uns.. sei lá... no mínimo dez anos será praticado. E nesse período, vamos continuar vendo esses motoqueiros, esses motoristas irresponsáveis fazendo ou dando os seus shows? Tem que aplicar multa altissima mesmo, se n ão vai por bem, VAI POR MAL e chega de bla bla bla bbla
 
Gilson Giordano em 18/09/2012 03:17:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions