A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

03/06/2012 11:50

Em 7 dias, acidentes mataram 5 pessoas em Campo Grande

Nadyenka Castro

Dois dos acidentes aconteceram na principal avenida da Capital: a Afonso Pena

No local onde Davi morreu ficaram os sapatos dele e destroços da moto. (Foto: Luciana Brazil)No local onde Davi morreu ficaram os sapatos dele e destroços da moto. (Foto: Luciana Brazil)

Em sete dias, cinco pessoas morreram no trânsito de Campo Grande. Dois destes acidentes fatais aconteceram na avenida Afonso Pena, a principal da Capital.

Mais do que entrar para a estatística da violência no trânsito, estas pessoas deixam família, amigos. Gente que não vira número; não perde a vida, mas ‘perde muito da vida’.

Um exemplo é de Lays Mariane Oliveira da Silva, 23 anos. Ela é viúva do segurança David Del Vale Antunes, de 31 anos. Ele estava parado no semáforo com sua motocicleta, aguardando a cor verde, quando foi atingido pelo Fiat Punto dirigido pelo estudante de Direito Richard Ildivan Gomide Lima, de 21 anos.

O segurança morreu na hora. Richard não ficou no local; ligou para a namorada chamar por socorro, mas, acabou preso minutos depois. Enquanto tudo isso acontecia, Lays esperava pelo marido, com o filho de um ano e um mês, que, quando ouve barulho de motocicleta pensa que é o pai.

O acidente aconteceu na avenida Afonso Pena, cruzamento com a Arquiteto Rubens Gil de Camilo, na madrugada do dia 31 de maio. Dois dias depois, também na madrugada e na Afonso Pena, esquina com a rua João Rosa Pires, outra colisão fatal.

Israel Gomes Charão, 28 anos, bateu o Astra que dirigia em uma motocicleta e depois no poste de um semáforo. Ele morreu no local e outras três pessoas ficaram feridas.

Família se desespera junto ao corpo de Alan, a quinta vítima da violência do trânsito em cinco dias. (Foto: Rodrigo Pazinato)Família se desespera junto ao corpo de Alan, a quinta vítima da violência do trânsito em cinco dias. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Estes acidentes aconteceram no fim da semana que começou com a morte de Vaelle Acosta Batista. Na madrugada de 27 de maio (domingo), Vaelle bateu a moto que pilotava em outra e morreu. Ele seguia pela contramão da rua Brilhante.

No dia 29 (terça-feira), morreu Caroline Puppo. Ela estava internada na Santa Casa com ferimentos graves provocados por acidente ocorrido cinco dias antes, na rua 14 de Julho. Caroline pilotava uma moto que bateu em uma camionete.

Na manhã deste domingo Alan Dionizio Ojeda, 19 anos, fazia caminhada na avenida Marquês de Pombal, bairro Tiradentes, quando foi atropelado pelo Fiesta dirigido por Camila Cristina Correa Fernandes, 26 anos.

Alan morreu na hora. Familiares dele foram até o local e chegaram a deitar ao lado do corpo. A motorista ficou em estado de choque e foi levada para atendimento médico.

Estatística - De acordo com números do Detran (Departamento Estadual de Trânsito), que não leva em consideração vítimas de acidentes que morrem em hospitais, em 2011, 70 pessoas morreram nos locais das ocorrências.

Foram 12.357 acidentes ano passado, sendo 6.037 com danos materiais; 6.254 com feridos e 66 fatais. A maioria das vítimas de acidentes fatais é motociclista (39), seguido por ciclista (nove) e homens - 61.




Deveriam implantar um limitador de velocidade nos veículos em que não ultrapassassem a velocidade permitida na via, seria como se tivesse um sensor em cada placa de velocidade quando o veículo passar perto atingisse no máximo a velocidade permitida por ela, só assim para resolver o problema da alta velocidade que traz a violencia no transito, agora quanto a conscientização depende de cada um.
 
Humberto José em 04/06/2012 12:45:31
Enquanto não houver punição severa às pessoas que cometem crimes de trânsito, continuaremos a ver essas barbáries todas as semanas.
De que adianta a policia de trânsito fazer blitz 17 hs? Deveriam ocorrer com mais frequencia pela madrugada. Já ia me esquecendo, os donos dos bares na maioria são pessoas de dentro de órgãos de segurança, não podem ter diminuição do movimento. Enquanto isso...
 
Nayane Morais em 04/06/2012 10:41:29
É o que acontecem, os carros estão ficando cada vez mais velozes, as ruas uma verdadeira pista de corrida por estarem com asfaltos de boa qualidade e muitas vezes com o maldito álcool e direção que não da pra entender o porquê que os motoristas não se conscientizam que não é uma combinação legal. Tudo fica propicio as facilidades o comando com álcool não é a mesma coisa gente. E ai fica as famílias chorando eternamente com seus antequeridos. E vou dizer mais, muitos me criticam quando não deixo minhas filhas de 17 anos atravessarem a rua, é por isso medo de chorar depois. Ta terrível alguma coisa tem que mudar. To achando muito legal são as lombadas extensa como na Dom Aquino, posso dizer que a velocidade dos carros diminuiu. Já vi até carro voando por cima por pegarem de surpresa, mas na próxima o motorista vai lembrar q ali tem lombada. Esta é a minha sugestão já que semáforo e redução de velocidade não estão dando resultados.
 
Noemi F. da Rosa em 04/06/2012 10:02:39
Concientização e coisa futorista, o nosso transito precisa de atitudes urgentes, se nao todos os dias vai morrer humano no transito de nossa linda capital! Quebra molas , lombadas eletronicas , radares , e placas indicativas de velocidade permitida em condiçoes visiveis e mais agente de transito atuando nas ruas e multando
 
necime l peres em 03/06/2012 12:56:24
O PIOR É QUE QUANDO POLICIAIS TENTAM FAZER ALGUMA COISA PRA ACABAR COM TANTA VIOLENCIA, SAO PUNIDOS INTERNAMENTE POR "SINDICANCIAS".
 
emerson de oliveira em 03/06/2012 09:31:39
TEM QUE ACABAR COM A POLITICAGEM, E MOSTRAR TRABALHOS OS ORGAOS DE TRANSITO DE CAMPO GRANDE! E OUTRA COISA, A CIPTRAN NAO IRIA VIRAR BATALHAO?
 
emerson de oliveira em 03/06/2012 09:28:33
NINGUEM É VITIMA DO TRANSITO, SOMOS VITIMAS DE NOS MESMOS, DE NOSSAS ATITUDES.
 
emerson de oliveira em 03/06/2012 09:22:16
O problema do trânsito de Campo Grande são os motoristas; especialmente os jovens (eu tenho 25 anos de idade). Os garotões e as patricinhas alcoolizados na maioria das vezes) transformam-se em verdadeiros assassinos ao volante, pois impera e lei do tamanho do veículo (o mair tem preferência).
Deveria haver controle rígido na emissão de habilitação, e controle maior para esse perfil de motorista.
 
Thiago Dias em 03/06/2012 09:16:25
O SER HUMANO SÓ SENTE DOR EM UM LUGAR: NO BOLSO !
 
wladimir eudociak em 03/06/2012 07:56:11
Pessoal da Agetran insiste na educação no trânsito, conscientização, propagandas lights na televisão. Comecem a tascar multa mesmo em qualquer tipo de infração, por minima que seja, façam propagandas violentas e mostrem a realidade assim como em outros paises mais desenvolvidos já foi feito.

Ah, mas esse tipo de propaganda nao deu mto resultado nesses países. NESSES países não deu certo. Aqui dá
 
Thiago Kalunga em 03/06/2012 04:15:59
É difícil. Tinha que descer multa, com força em quem não respeita os limites de velocidade e tudo o mais da legislação. Mas se a polícia começa a multar o povo fica "chorando" que é "indústria da multa" e blá, blá, blá .... não chora por causa do bolso, chora por causa do peito.
 
Aminaro Raiferer em 03/06/2012 04:05:46
Eita, mas o "placar da morte" tá bombando esse mês em Campo Grande hein???!!!! E enquanto a guerra está declarada e a batalha acontecendo nas ruas da nossa querida cidade Morena alguns "entendidos" ficam indignados e dizem que vão "tomar uma atitude"... Mas, o garçon, meio surdo, entendeu "tomar Absolut"... Aí, já viu né, o jeito é marcar mais uma passeata pedindo paz no trânsito.
 
Luciano Melo em 03/06/2012 02:10:43
Não podemos ficar passivos frente a este problema. Vamos orar por essas vítimas e seus familiares. Mas devemos nos mobilizar para debater soluções.
 
Juarez Goncalves em 03/06/2012 02:08:10
Hoje pela manhã eu andei de carro na cidade. Vi inúmeras barbaridades. Se você anda devagar para achar o endereço que procura, os carros atrás só faltam passar por cima, vi um monte de carros e motos furando sinal vermelho, uma moto quase foi para cima do meu carro na contramão, os carros passam na sua frente quase arranhando no seu parachoque, um fiat fez zigue-zague na Júlio de Castilho,...
 
Neide da Silva em 03/06/2012 02:04:05
Deus conforte essas famílias pois o sofrimento dlas é grande perder um ente querido não é facil.
"AQUELE Q/ AMAMOS NUNCA MORRE, PERMANECEM VIVOS NAS NOSSAS LEMBRANÇAS E NO NOSSO CORAÇÃO"

DEUS ABENÇOE TODOS
 
SILVANIA ROSA em 03/06/2012 01:18:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions